À Lupa, Os Reforços…Fábio Fortes

Desde o pretérito ano, que todos os vitorianos encaram a contratação de jovens desconhecidos com redobradas expectativas!

Efectivamente, desde o meteorito Bebé, que qualquer jogador descoberto nos escalões inferiores, parece acarretar uma auréola de vedeta que poderá garantir inúmeras glórias…ou quanto muito, um surpreendente transferência com um encaixe de muitos milhares de euros!

E, o jovem Fábio, apesar de já se ter auto-definido como totalmente distinto do antigo jogador do Estrela da Amadora, possui um ponto em comum e que poderá atestar das esperanças em si depositadas: é representado pelo Empresário FIFA 2010 e, como sabemos, Jorge Mendes não costuma dar ponta sem nó.

Formado no Real de Massamá – localidade, agora celebrada por ser a residência do neófito primeiro-ministro -, lá jogou dos 13 anos até à presente data.

Aí, brilharia nos escalões de base, apontando golos, desequilibrando a balança a favor da sua equipa e despertando as atenções de clubes de dimensão média alta europeia. O último deles foi o Lille, o actual campeão francês, que desde há alguns anos procura fabricar talentos na sua fábrica… o último deles e mais reconhecido foi Éden Hazard, já reputado pelo próprio Zidane como o seu futuro sucessor no Real Madrid.

O jovem chegaria, mesmo, a treinar-se à experiência nos dogues -nick dos homens que se encontram na fronteira com a Bélgica -, mas por desencontro de verbas não chegaria a assinar contrato, retornando aos júniores do Real, e de quando em vez alinhando na equipa principal.

E seria num desses desafios, frente ao Atlético, na Tapadinha que Manuel Machado o descobriria… e, apesar de estar, supostamente, a observar o, também, jovem talentoso Rudy dos alcantarenses, o alvo mudaria de mira… e Fábio entrava nas bases de dados do Vitória, para ficar.

Também, desde esse momento, assumiria o estatuto de arma-secreta na equipa que revelou ao mundo homens como Nani ou Diogo Salomão. Aliás,titular na equipa sénior só seria no último desafio do campeonato, frente ao Juventude de Évora.

Definindo-se, ambiciosamente, como uma mistura de Eto’o e Drogba, parece viver num mundo de fantasia…mas nessa inocência revela os seus arquétipos genéticos…rapidez, agressividade e potência quer física quer no remate fazem dele um bom jogador em potência!

Caberá a Manuel Machado lapidar o diamante...