A opinião de…

VITÓRIA E GUIMARÃES PRIMEIRO…

Permitam-me, caros leitores, que use este espaço para, desta vez, abordar uma questão que pode vir a ser altamente perigosa e, porventura, lesiva dos legítimos interesses dos clubes de futebol profissional e até da nossa Selecção Nacional.

Trata-se da tentativa de adaptação dos estatutos da Federação Portuguesa de Futebol ao Regime Jurídico da Federações Desportivas, processo que se arrasta desde 31 de Dezembro de 2008.

A proposta de revisão dos estatutos da FPF foi chumbada, no passado dia 29 de Janeiro, na generalidade, por “insuficiência de maioria qualificada” pelos sócios ordinários do organismo em Assembleia Geral extraordinária. Dos 500 votos, o total do quórum da reunião magna, 353 foram a favor, o que corresponde a 70,6%, quando eram necessários 75%, mais um, e 147 contra (29,4%).

Este chumbo, determinado por 12 associações distritais, deixa o futebol nacional entre a espada e a parede. O Governo pode a qualquer momento decretar a suspensão de toda a actividade desportiva da FPF, deixando de reconhecer as competições e os títulos nacionais atribuídos, assim como a Selecção Nacional, enquanto representante do país. E a FIFA, por arrasto ou até mesmo independentemente da posição do Governo, pode suspender a FPF e impedir clubes e Selecção de disputarem competições internacionais.

Se a AF de Braga tivesse votado favoravelmente, como tinha sido combinado, ter-se-ia evitado este gravíssimo problema e estaríamos hoje, sem as ameaças permanentes dos organismos que tutelam o futebol.

Mas o Sr. Coutada, presidente da AF de Braga, “traíu” os superiores interesses do nosso Vitória (ver comunicado do VSC no sítio oficial do clube) e as consequências, como já vimos, podem ser dramáticas. Para isso, caros leitores, basta que o nosso Vitória consiga um lugar na Liga Europa, situação mais do que provável depois do resultado de 1-0 com a Académica.

O que sentiremos a seguir? Mais uma vez “comidos” pelos mesmos?. Deixem-me extrapolar e dizer com todas as letras que há aqui o “dedo” do Braga (clube) – consta-se que os Salvadores, os Pintos, os Coutadas e outros quejandos foram vistos “juntinhos” num hotel do Porto, dias antes da AG das associações distritais, do tal dia 29 de Janeiro.

Para além disto, e que muito me entristece, é a última nova “investida” – “roubar” o Douglas ao Vitória. Diz-se por aí. e eu acredito, que o Braga propôs um contrato, válido por três anos, ao nosso avançado Douglas.

Basta de “paninhos quentes”! “Quem não se sente não é filho de boa gente”, diz o povo e com razão. De resto, nós, vitorianos, já tentamos tudo, mas eles não mudam; Cumprimos sempre o tal “pacto de não agressão” – não contratar/aliciar jogadores do Braga.

Mas não vale de nada, e por isso, juro, aqui e agora, que farei tudo o que estiver ao meu alcance, para que o nosso Vitória reveja, de vez, as relações com esse clube, se se vier a confirmar a contratação do Douglas.

Estejamos atentos!

Alfredo Magalhães
sócio nº 1580

Ps: Já agora, permitam-me também deixar aqui mais um sinal. Talvez um lamento – os vimaranenses precisam, urgentemente, de se assumirem, de “baterem o pé” e não permitirem que se “cozinhem” comissões e ou grupos de trabalho com gente estranha, seja ela de Braga ou de outras terras, seja para a CEC 2012 ou para outras coisas. Em Guimarães há gente muito boa e capaz. O tempo urge e a mudança será breve!

  Categories: