À terceira é de vez…

O Vitória defronta, hoje, pelas 20h15m, no Estádio D. Afonso Henriques, o Benfica numa partida que definirá o vencedor do torneio que tem o nome desta linda cidade, Guimarães, e revelará, naturalmente, quem ficará com o magnífico troféu que tem como imagem o nosso primeiro Rei, também ele símbolo do nosso clube.
Mais uma vez o vencedor desta competição será decidido entre o Vitória e Benfica (visto que o Groningen está automaticamente arredado do primeiro lugar). O histórico global de jogos com os lisboetas não nos é favorável, bem pelo contrário! Além do mais, estes venceram-nos sempre nesta prova, tendo, consequentemente, conquistado as duas últimas edições deste torneio.

No final do jogo com o Groningen, em declarações à comunicação social, Manuel Machado afirmou que o resultado (4-2) «valeu o que valeu» e que «os jogos oficiosos não determinam a classificação». No entanto, o professor não deverá abordar o jogo com os campeões nacionais como «mais um» de preparação ou não fosse ele um vimaranense e vitoriano ferrenho e não estivesse do outro lado… Jorge Jesus!

É certo e natural que o esquema ainda está a ser ajustado, uma vez que entraram muitos jogadores novos para o Vitória. Porém, o jogo frente aos holandeses deu boas indicações de que já há uma equipa, aliás, «equipas», visto que o professor fez actuar vários jogadores e dois esquemas tácticos diferentes. Neste primeiro jogo, o Vitória esteve bem a atacar e menos bem a defender e será na defesa que Manuel Machado deverá fazer alterações.

Em relação ao onze inicial que defrontou os holandeses, no encontro com lisboetas deverão sair do centro da defesa Moreno (que não é central!) e Freire que darão lugar a Valdomiro e Ricardo. Esta dupla, apesar de ter actuado poucos jogos junta, tem um conhecimento mais profundo do futebol português e dos avançados adversários. Na segunda metade da época passada o central brasileiro pautou-se como um dos melhores vitorianos, tendo mesmo marcado golos decisivos, e o cabo-verdiano foi um dos indiscutíveis pacenses. Do lado direito da defesa, Pereirinha poderá dar o seu lugar a um dos «meninos» de Manuel Machado, Alex. O jovem que veio emprestado pelo Sporting ainda não está adaptado ao lugar de defesa direito, deixando muitas vezes o seu flanco permeável a investidas adversárias (como aconteceu no segundo golo do Groningen). Nilson, recuperado da lesão contraída em Freamunde, deverá regressar ao seu lugar em troca com Serginho que se mostrou demasiado nervoso nas «saídas» …

Quanto ao nosso adversário, o seu plantel sofreu poucas alterações. No entanto, para este jogo Jorge Jesus não contará ainda com os «mundialistas» (à excepção de Ruben Amorim) e com o argentino Di Maria que «voou» para Madrid.

Por todos os motivos e mais alguns, o jogo com o Benfica é daqueles que todos nós, vitorianos, queremos vencer (e não queremos sempre?). Para levarem de vencida este adversário, os nossos jogadores têm de demonstrar desde o primeiro segundo do jogo que o querem vencer, assumir a sua ambição e lutar até ao limite das suas forças para o conseguir. Como disse (e muito bem) o nosso número doze, William, sobre o Benfica: «há que respeitar mas nunca temer». Nós, adeptos, temos também de fazer a nossa parte: ir ao estádio, apoiar o Vitória e, se for preciso, pegar na equipa ao colo e levá-la à conquista de mais um troféu!