Primeira Abordagem ao Projeto da Equipa B

Imagem retirada de vitoriasc.pt

 

Como é do conhecimento de todos os Vitorianos, esta época teremos futebol a dobrar no Afonso Henriques. À tradicional equipa que há 90 anos ostenta o símbolo do Rei juntar-se-á uma formação B, que competirá um escalão abaixo da equipa principal.

E é precisamente sobre a criação desta equipa B do Vitória que este texto vai incidir. Se por um lado pode parecer contraditório proceder à formação de mais uma equipa perante a situação calamitosa em que o clube se encontra, por outro este processo pode e deve ser encarado como uma oportunidade definitiva de mudar o rumo que o Vitória tem alinhavado nos últimos anos – o rumo do abismo…

Como, perguntam os caros leitores. Como é que numa primeira análise criar mais despesa num clube arruinado financeiramente pode ajudar o clube a inverter a tendência de queda dos últimos tempos?

A resposta é simples. O Vitória tinha nas suas fileiras à entrada para esta época desportiva 52 jogadores com contrato profissional. A maior parte deles jovens à procura de despontar porém com poucas chances de serem integrados imediatamente na equipa principal.

A política (?) de empréstimos implantada no clube definia que a maioria destes jovens fossem sucessivamente emprestados a vários clubes semi-profissionais inseridos em campeonatos com poucas condições que permitam aos jovens jogadores desenvolver as suas capacidades técnicas, táticas, físicas e mentais (costuma dizer-se que aí se “joga mais com o coração do que com a cabeça”), colocando um travão no crescimento desses muitos jovens talentos das escolas do Vitória, que também devido à falta de acompanhamento depois se perdem nas divisões secundárias (hoje redescobrimos o “nosso” João Aurélio no Nacional, por exemplo).

Ora com o surgimento deste novo projeto da equipa B todos esses jovens valores serão agrupados numa só equipa que representa o Vitória, disputando a sempre competitiva Liga de Honra  ao lado de outras formações B de clubes como Porto, Benfica, Sporting e Braga– que, afinal, só se encontra a um patamar do escalão máximo do futebol português. Treinarão nas mesmas instalações que os mais velhos e estarão inseridos num contexto técnico-tático semelhante à equipa principal, facilitando imenso a sua posterior inclusão na equipa que é o expoente máximo do futebol no Vitória –  situação que pode ocorrer assim que os responsáveis Vitorianos o entenderem, ou seja, a qualquer altura da época. Para além disso a recém-criada equipa B terá ao leme um homem da casa. Luiz Felipe já trabalhou com alguns dos atleta que agora formam a equipa B, e certamente saberá retirar o máximo de cada jogador e trabalhar em prol de uma casa que já muito bem conhece.

Pode comparar-se por isso esta equipa B como uma espécie de “ponte” entre o término da formação e a integração no plantel sénior. Uma ponte sólida e organizada que proporcionará as melhores condições aos mais jovens para evoluírem – pois, afinal de contas, eles são o futuro do Vitória. São eles que, orgulhosos por ter a oportunidade de envergar a sagrada camisola do Vitória, comem a relva e dão tudo para agarrar definitivamente a sua oportunidade. São eles que orgulham os Vitorianos pois personificam tudo aquilo que um Conquistador de Guimarães deve ser – Quem não se lembra de Laureta, Costeado, Miguel, Abreu e muitos mais? – São eles que, não tendo muitos custos associados para o clube , têm valor de mercado e podem garantir avultados encaixes financeiros para clube que tanto precisa. São eles, o futuro do Vitória.

Neste aspeto nós , sócios, teremos mais uma vez de ser o número 12. Temos a missão de ser compreensíveis para com este projeto e de ajudar no desenvolvimento dos nosso conquistadores mais jovens, pois podem não aparecer resultados concretos de imediato. Tal como um comum ser humano, também os jovens jogadores podem cometer erros. Mas são estes erros e as experiências menos boas que tornam as pessoas mais fortes,  em especial se nos referirmos aos descendentes D´el Rei D. Afonso Henriques! Com paciência e apoio este projeto dará bastantes frutos no futuro e teremos um Vitória maior, quem sabe, como já todos os Vitorianos sonharam, feito de Vitorianos!

 

Brevemente análise aos jogadores e equipa técnica.

 

 

  Categories: