(Antevisão) Sporting – Vitória

387012_4323596333563_638332212_n

O Vitória desloca-se amanhã a Alvalade, em partida a contar para a 16ª jornada do campeonato português, a primeira da 2ª volta. Para esta viagem a Lisboa Rui Vitória efetuou apenas uma alteração na convocatória, por aparente lesão de João Ribeiro que cedeu o lugar nos 18 eleitos ao jovem Areias.

Ainda sem derrotas no ano de 2013 (a ultima aconteceu a 16 de dezembro na Mata Real) e numa série de 3 vitórias e 4 empates nos ultimos 7 jogos (a melhor da época), o Vitória entra para este jogo com os mesmos pontos que tinha por esta altura na temporada passada, em que acabou no 6º posto.

Apesar de todos os problemas envolvendo o Clube, a verdade é que em termos desportivos o Vitória não tem fugido muito à regra das suas prestações habituais (que ganha ainda mais relevo tendo em conta a idade do plantel) e encontra-se posicionado à frente do seu rival de amanhã, que geralmente entra nas contas da luta pelo título. Tendo em conta estes fatores, espera-se amanhã um Vitória bem mais tranquilo que o seu adversário, o Sporting, que perante o seu impaciente publico terá a pressão do jogo.

O adversário:

O Vitória, 6º classificado, irá ter pela frente o Sporting, atual 9º classificado. Como é perceptível, o clube de Alvalade está a fazer uma época muito aquém da dimensão do seu estatuto. Arredado das competições europeias, da Taça de Portugal, da Taça da Liga e das contas do título já desde uma fase muito prematura da época, resta agora aos Leões tentar uma aproximação ao 3º lugar do campeonato.

Após Ricardo Sá Pinto, Oceano Cruz, Franky Vercauteren e, quem sabe, a Direção de Godinho Lopes, Jesualdo Ferreira é o homem que tenta evitar o naufrágio total do Titanic de Alvalade. Até agora tem tido uma missão bem sucedida, com o pleno de 3 vitórias em 3 jogos e ainda nenhum golo sofrido.

Resta saber se estas melhorias nos resultados se devem apenas à injeção de confiança que normalmente se verifica no plantel após a chegada de um novo treinador (tal como se sucedeu com os ultimos timoneiros que passaram por Alvalade) e será, portanto, efémera, ou se é desta que o Sporting finalmente enceta o seu caminho de recuperação na tabela classificativa.

Estatisticamente, estas três vitórias consecutivas indicam que o Sporting entrou na sua melhor fase da temporada. Aliás, não tivessem sido os ultimos dois triunfos frente a Olhanense e Beira-Mar e os Leões estariam nesta altura abaixo da linha de água.

O Sporting mantém a sua estrutura de 1x4x3x3 sob a tutela de Jesualdo Ferreira, assumindo o triângulo invertido no meio-campo. Rinaudo tem tentado segurar as pontas fazendo uso da sua agressividade como médio mais recuado e Adrien e Labyad têm sido finalmente aposta com o “Professor”, eles que com o belga Vercauteren oscilavam entre a titularidade e o banco. Nas alas, Capel, Jeffrén e Carrillo assumem-se como as maiores ameaças à defensiva Vitoriana, pois à falta de coletivo a velocidade e qualidade individual destes sobressai. No centro do ataque, e à falta de outra opção, mantém-se Van Wolfswinkel. O holandês denota estar claramente desmotivado e pressionado depois de ter falhado mais uma grande penalidade na ultima partida, pelo que se a defesa do Vitória se mantiver sólida não vai encontrar grandes dificuldades para o travar. Por fim, e apesar de todas as tentativas de Jesualdo Ferreira em manter um onze base, o técnico leonino vai ser mesmo obrigado a mexer na defesa. Marcos Rojo, lesionado, deverá ceder o seu lugar a Xandão e Joãozinho deverá fazer a sua estreia na vaga deixada por Emiliano Ínsua. Na baliza, claro está, Rui Patrício, o nº 1 da Seleção Nacional. Não fosse ele e o Sporting estaria em muito maus lençóis nesta altura…

VITÓRIA

Os Conquistadores deverão apostar na continuidade, depois de Rui Vitória ter finalmente encontrado de há uns jogos a esta parte a fórmula do sucesso. Apenas uma alteração é expectável, com o jovem Luís Rocha (fez um bom jogo em Vila do Conde) a ceder o lado esquerdo da defesa ao regressado Addy.

Assim, é esperado um Vitória na formação de 1x4x2x3x1 com o seguinte 11:

735115_4323826499317_1644371287_n

A organização coletiva e a entreajuda e espírito de sacrifício serão mais uma vez as principais bandeiras da equipa da Cidade Berço, que assente num bloco médio-baixo irá tentar explorar ao máximo cada erro do adversário (em Vila do Conde a relação remate/golo foi de 33%).

Para conseguir os 3 pontos terá de ser um Vitória muito rigoroso nos seus processos aquele a entrar entrar em campo em Alvalade amanhã. A defesa em linha deverá manter-se compacta todo o jogo (principalmente quando os extremos adversários são rápidos e Wan Wolfswinkel gosta de jogar no limite do fora de jogo), o bloco do meio-campo compacto (Bamba e Tiago Rodrigues irão muitas vezes pisar os mesmos terrenos que os criativos Adrien e Labyad) e os extremos terão que acompanhar os laterais adversários (principalmente Miguel Lopes).

Em relação ao plano ofensivo, o Vitória terá que ser muito eficiente nas transições defesa-ataque à imagem do jogo de Vila do Conde. O Sporting é uma equipa que, pressionada na sua primeira fase de construção, encontra dificuldades para desenvolver o seu jogo e comete muitos erros. O Vitória terá que se manter sempre coeso e procurar criar uma forte zona de pressão nos 30 metros de terreno à saída do meio-campo dos da casa. uma vez recuperada a bola, o Vitória terá que saber explorar as debilidades do Sporting na sua organização defensiva:

golo paços

 

rojo enterra

ganda rojo

Jean Barrientos poderá dispor de muito espaço para explorar entre o meio-campo e a defensiva leonina (1ª imagem), enquanto que Ricardo (que poderá aproveitar o facto de ter pela frente um Joãozinho em estreia) e Marco Matias podem fazer uso da sua velocidade para penetrarem na descoordenada defesa do Sporting (2ª e 3ª imagem).

Posto isto, resta-nos esperar que todas estas vertentes aliadas à entrega e suor dos nossos Branquinhos tragam os importantes 3 pontos de Alvalade.

Força Vitória!

  Categories: