[Antevisão] Vitória SC – Beira-Mar

Depois de uma derrota o Vitória quererá certamente voltar às vitórias e nada melhor que uma recepção ao último classificado para que isso possa acontecer. Este domingo no D. Afonso Henriques o Vitória pode tentar recuperar o espaço perdido na última jornada em relação ao quinto lugar, desde que para isso vença um Beira-Mar que nas últimas jornadas tem apresentado um futebol mais interessante, há até quem diga belo, mas que não tem conseguido traduzi-lo em termos de resultados, ou não estivesse sem ganhar há mais de 3 meses e o próprio “novo” treinador tenha dito que a própria equipa precisa de jogar pior, e é por aqui que vou começar. Este Beira-Mar nas últimas 5 jornadas, com novo treinador (Costinha) experimentou o sabor de roubar pontos a 2 candidatos europeus (Paços e Nacional), sendo que em ambos os casos deixou-se empatar nos últimos minutos, e perdeu 3 jogos (Setúbal, Benfica e Olhanense), porém em todos eles ficou a ideia de que este Beira-Mar tem qualidade, algo que só alguém distraído poderia não saber. O Vitória está certamente avisado para a qualidade de uma equipa que na primeira volta quase derrotou os conquistadores. E antes de irmos às questões tácticas, nota para o bonito gesto da equipa do Beira-Mar que em conjunto com a SAD vão pagar parte da viagem aos seus adeptos, um gesto de humildade tão raro no futebol de hoje.

Questão Táctica


Não deve haver muitas surpresas do lado vitoriano. Eu diria mesmo que exceptuando a entrada de N’Diaye para o lugar de El Adoua, a outra surpresa, ou não pois Luís Rocha foi chamado ao jogo da equipa B, será o regresso de David Addy à lateral esquerda. E se pensarmos que Kanu foi também chamado para a equipa B,então percebemos que a possibilidade de haver surpresas diminui ainda mais, pois do meio-campo para  frente não há razões para haver mexidas. E os dispensados para equipa não surpreendem visto que na semana passada Luiz Filipe se insurgiu contra a falta de opções válidas na sua equipa.
Assim sendo o Vitória vai neste jogo jogar num 4x2x3x1 que a espaços poderá parecer mais um 3x1x4x2, em ataque, pois tanto André como Addy vão aparecer muito no ataque e perto da área, o primeiro trocando com Tiago Rodrigues ou a par dele, e o segundo ocupando o espaço de Soudani que vai flectir para o centro e para junto de Baldé de forma a abrir a ala para um lateral que gosta de atacar como é Addy. Já em termos defensivos o Vitória irá muitas vezes ficar numa espécie de 4x4x2, pois tanto Baldé como Soudani  não deverão recuar muito, sendo que o argelino o fará algumas vezes. Caberá assim a um dos médios centrais dar apoio ao lateral.

Do lado do Beira-Mar à jogadores a ter em conta, sobretudo quando lançados em velocidade. Costinha tem apostado num 4x4x2 que a espaços se confunde com um 4x3x3. Teremos uma defesa algo jovem, com Pedro Moreira, Bura, Jaime e Helder Lopes. No meio campo teremos Ricardo Dias mais atrás na função destrutiva, com Rui Sampaio (jogador que esteve várias vezes na lista de reforços do Vitória) e Rúben Ribeiro a ficarem com a fase de transição e no apoio aos pontas-de-lança estará o criativo e demónio vitoriano Nildo Petrolina, ele que tantas vezes nos tem feito a cabeça num 8. Na frente estarão dois jovens portugueses Abel Camará e o “marroquino” Yazalde, jogadores que aliam alguma técnica à grande velocidade que conseguem imprimir. E é aqui que o Vitória tem de ter cuidado, pois o Beira-Mar deverá vir a Guimarães jogar no contra-ataque, pois vitórias morais não dão pontos, algo que a equipa muito precisa, e como tal Yazalde e Camará estarão como peixes na água.
Mas se é preciso ter cuidado com estes, com os que estão no banco também haverá que ter cuidados, caso sejam chamados. Balboa, Serginho e Saleh serão 3 jogadores que no caso de serem utilizados poderão ter uma palavra a dizer, não fossem eles jogadores irreverentes e criativos, eu arriscaria mesmo a dizer que dos últimos 6 que falei alguns teriam espaço na próxima época no plantel do Vitória caso o Beira-Mar seja relegado para a 2ª liga.

A Chave da Solução

A solução deste jogo estará sobretudo nas defesas. A defesa que cometer menos erros e que melhor controlar o sector ofensivo adversário deixará a sua equipa em melhor posição para conquistar os 3 pontos. No caso do Vitória com a introdução de Addy e N’Diaye a defesa ganha velocidade, o que é importante contra um ataque que usará a velocidade como arma de destruição maciça. Porém a minha preocupação é o lado direito da defesa, mais precisamente, Alex. O capitão está “velho” e tem dificuldade a acompanhar a velocidade de outros jogadores mais jovens, basta lembrar os últimos 2 jogos. Assim sendo, terão de ser Paulo Oliveira, Olimpio e Ricardo a vir em salvamento de Alex, alternadamente.

Do outro lado a defesa do Beira-Mar tem um problema à esquerda desde que saiu Joãozinho para o Sporting, pelo que o Vitória poderá explorar esse lado com a irreverencia de Ricardo, sobretudo em contra-ataque. Baldé e Soudani terão um papel terão também um papel importante, uma vez que o Vitória estará em inferioridade no centro do meio-campo (3 para 4), a aposta na bola directa será um recurso comum. Atendendo que os centrais do Beira-Mar são jovens e não serão páreos para Baldé e terão dificuldades também com Soudani o Vitória terá aqui uma arma forte para construir ataques.
Não será de excluir também que as bolas paradas terão, em termos ofensivos, uma importância fulcral para o Vitória, ou não houvesse uma diferença considerável de alturas entre os mais altos do Vitória e do Beira-Mar.