As meninas da Ribeira do Sado

O Vitória Sport Clube, teve ontem uma sempre difícil deslocação ao reduto do outro Vitória, o Futebol Clube, que como já tem sido hábito, conseguiu levar a melhor, e manter a invencibilidade em casa.

O nosso Vitória, durante todo o jogo, não teve objectividade, nem consistência, quer defensiva, quer ofensiva. Devido a duas gravíssimas falhas da defesa do nosso Vitória, aos vinte minutos de jogo, em dois remates, o Vitória do Sado faz dois golos.

O Vitória até dominava o jogo, mas quem não marca não ganha, e a falange de ataque Vitoriana, após os trinta minutos, a jogar numa espécie de 4-2-4, não encontrava soluções para invadir a área contrária, desperdiçando jogadas de ataque, com remates de fora da área, completamente sem nexo.

O descanso costuma ser bom conselheiro, mas Manuel Machado não conseguiu que o plantel interiorizasse o valor deste jogo, e logo no início de jogo, mais uma erro crasso da defesa, ao permitir que um atacante Sadino entrasse na área, com total liberdade, e rematasse, desta feita à trave.

Manuel Machado ainda tentou ajustar a equipa, com a entrada de Rui Miguel e William para o lugar de Edson e Toscano respectivamente, mas mesmo assim, o Vitória não foi capaz de derrubar a muralha Sadina, com excepção de mais um lance de bola parada (como tantos outros) em que Edgar (depois de falhar muitos cabeceamentos) acerta finalmente na trajectória e reduz a desvantagem.

Mas era um jogo já perdido, o Vitória teve dezenas de oportunidade de concretizar, mas faltou sangue frio aos atacantes, para conseguir dar a volta ao resultado.

Penso que a direcção e equipa técnica têm que repensar bem a mensagem que andam a passar aos jogadores, pois psicologicamente, e com a excepção de dois ou três, para eles é indiferente, o que eles querem é ver os ordenados no final do mês…

Já aconteceu e voltará a acontecer se necessário, será preciso serem os sócios a cravar essa mensagem na mente dos jogadores???