Beira-Mar vs Vitória (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

As emoções da Liga voltam este Domingo, com o Vitória a deslocar-se a Aveiro, para defrontar o Beira-Mar.

Em Aveiro, o Vitória, tentará conquistar mais um triunfo, que lhe pode permitir ficar ainda mais perto do 5º lugar, meta estabelecida no início da época.

Para o jogo frente ao Beira-Mar, e comparativamente ao último jogo da Liga frente ao Nacional, Rui Vitória, vê-se forçado a fazer uma alteração no 11, pois Nuno Assis é baixa de peso, por se encontrar lesionado.

Assim, no quarteto defensivo, é muito provável que Rodrigo Defendi (fez uma exibição consistente), continue como titular, fazendo parelha com João Paulo, que pelo 2º jogo consecutivo, irá jogar sobre o lado direito do eixo defensivo.

No restante do sector, não haverá alterações por parte do Técnico Vitoriano, ainda que seja importante que Bruno Teles corrija erros posicionais, pois deu muitos espaços nas costas na última partida, o que obrigou muitas vezes Defendi a fazer a dobra, e que fez com que se abrissem brechas na zona central da defesa.

Na zona intermediária, Leonel Olímpio continuará a jogar como médio defensivo, mas tem que ser mais lúcido na entrega da bola, pois é importante que o Vitória perca menos a bola na 1ª fase de construção de jogo.

Na posição 8, El Adoua, tem estado bem na recuperação de bolas ao adversário, e só lhe falta acertar mais no passe, se conseguir melhorar neste capítulo, fará um resto de campeonato em grande plano.

Na posição 10, Barrientos, deve ocupar o lugar de Nuno Assis, e o jovem médio uruguaio, terá que assumir a batuta do jogo ofensivo Vitoriano, mostrando todo o seu potencial, que é muito, e que pode ajudar bastante a Equipa no que ainda resta da época.

Outra possibilidade, passa pela colocação de Toscano na posição 10, (posição que já desempenhou) e Paulo Sérgio e Urreta (traz mais objetividade e irrequietismo) a jogarem nas faixas, ainda que possa haver muita movimentação destes 3 no meio-campo ofensivo Vitoriano.

Nas alas, é fulcral, que tanto Paulo Sérgio (continua muito “precipitado” a decidir o último passe), como Toscano, sejam mais ativos na partida, e ambos tenham a noção que devem acompanhar as subidas dos laterais adversários, que muitas vezes não tem o devido acompanhamento por parte dos alas do Vitória, e que contando com essa “liberdade” criam vários desequilíbrios nos corredores da Equipa Vitoriana.

Na frente, Edgar continua intocável, e que bom seria, continuar na senda dos golos, e os Branquinhos dessa forma alcançarem mais um triunfo.

Após uma semana agitada, no que diz respeito a questões directivas, que culminou com a inevitável “queda” da Direcção, seria muito importante um forte apoio dos Vitorianos em Aveiro (último triunfo remonta à época 94-95 por 2-3, golos de Gilmar, Emerson e Zahovic), ajudado a Equipa a vencer a partida, e mostrando mais uma vez que juntos somos únicos!

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
A Equipa orientada por Rui Bento, tem jogado praticamente sempre num formato tático assente num 1x4x1x3x2 (Nuno Coelho como médio defensivo, e uma linha de 3, com Nildo na esquerda, Zhang à direita e Artur na posição 10, no apoio à dupla constituída por Douglas e Élio, que vem jogando no lugar de Cristiano suspenso pelo clube), que pode passar em algumas fases do jogo a um 1x4x3x3 (com Zhang e Élio a jogarem nas faixas e Douglas a jogar só na área).

Frente ao Vitória, Rui Bento, deve continuar a colocar a Equipa a jogar em 1x4x1x3x2, mas com a dupla da frente a ser constituída por Douglas e Zhang, passando Balboa a jogar no lado direito, posição habitualmente ocupada pelo chinês.

A formação Aveirense (começou muito bem a Liga e até venceu em Guimarães por um concludente 0-3), vem de 4 derrotas consecutivas na Liga, nesse contexto este jogo com o Vitória é muito importante, para os auri-negros, que estão neste momento, muito próximos da linha de água, e que darão tudo na partida diante dos Branquinhos!

Para a partida diante do Vitória, Rui Bento, já conta com os reforços de Inverno, casos de Nuno Lopes, Abel Camará e Cássio (pode ser o goleador que falta à Equipa), que vem dar mais opções ao Técnico Aveirense.

Pontos Fortes
* Organização que a Equipa demonstra a nível defensivo, com o “baixinho” Rui Rego a mostrar segurança na baliza, o experiente Hugo, a ser o líder da defesa, e o valor emergente Yohan Tavares (rápido e eficaz no desarme), a mostrar muita qualidade no eixo da defesa. Também Pedro Moreira, no lado direito da defesa, ajuda à boa sincronização neste sector.

* Zona intermediária de qualidade, com Nuno Coelho (é o pêndulo da Equipa), Nildo (médio canhoto brasileiro, com excelente capacidade técnica, e que equilibra o meio-campo Aveirense), Zhang (o chinês, tem feito uma boa época, e a nível tático é muito útil), Balboa (tem feito boas exibições em Aveiro), e Artur (é um 10 de grande categoria, com qualidade técnica e visão de jogo apuradíssimos, e que pauta o jogo ofensivo da sua Equipa com mestria).

* O Beira-Mar, é uma equipa que gosta no seu terreno, de discutir o jogo pelo jogo, e que privilegia o futebol positivo, por isso é de esperar uma boa partida este Domingo no Estádio Municipal de Aveiro.

Pontos Fracos
* Com o castigo do lateral esquerdo Joaozinho (tem sido uma agradável surpresa no seu ano de estreia na Liga), a formação do Beira-Mar, vai perder consistência no lado esquerdo da defesa, pois o francês Túran que será o substituto, não tem a mesma capacidade do habitual titular, e o Vitória pode e deve explorar o lado canhoto dos auri-negros.

* No ataque, Douglas e Élio não tem feito golos (espera-se que este Domingo assim continue), o que faz com que o Beira-Mar, seja o 3º pior ataque da Liga.

* Nas bolas paradas defensivas, o Beira-Mar mostra debilidades (o último jogo em Alvalade mostrou isso mesmo, com os 2 golos sofridos a serem “fotocópias”, e onde não se viu os seus jogadores a atacar a bola), até porque no seu habitual 11, não conta com uma média de altura alta, em contraponto com o Vitória, que tem jogadores altos, e que podem fazer a diferença no jogo aéreo, casos de João Paulo, Defendi, Bruno Teles, Adoua, Toscano e Edgar, neste contexto, há que tentar explorar as bolas paradas, situação que cada vez mais resolve uma partida.

  Categories: