Belenenses x Vitória – Antevisão

305915_4691724296532_512853596_n

É já hoje que tem lugar um dos jogos mais esperados pelos Vitorianos nos últimos tempos: a meia-final da Taça de Portugal! Os Conquistadores vão travar esta batalha no mesmo local onde D. Afonso Henriques expulsou os Mouros na guerra pela expansão do território português – também as tropas de Rui Vitória têm aqui a derradeira oportunidade para desbravar caminho na luta pela tão ansiada final do Jamor!

Para esta 1ª mão de uma longa e dura batalha, o comandante do exército Vitoriano não vai poder contar com dois dos seus mais influentes soldados: Kanu, suspenso após expulsão controversa no último jogo, e Soudani, ao serviço da sua seleção, são baixas de peso para Rui Vitória.

O brasileiro agarrou definitivamente o lugar na direita da defensiva e o artilheiro argelino contribui decisivamente para o aumento da produtividade ofensiva da equipa desde que regressou da CAN, somando 3 golos em 5 jogos.

Para os seus lugares o técnico vitoriano deve promover o regresso do capitão Alex, que depois e algum tempo afastado da competição regressou aos relvados no domingo pela equipa B, em Tondela; na esquerda do ataque Marco Matias é também um regresso ao 11 inicial, ele que iniciou a época como titular e foi perdendo esse estatuto com a reintegração de Soudani.

Quem também está de regresso à equipa após castigo é o “Muralha” Douglas Jesus, embora esta fosse já um troca previsível dada a influência do guardião na equipa.

Sendo assim, estes serão os 11 homens do Vitória a pisar o relvado do Restelo:

11 (3)

Apesar das ausências, não se pode dizer que esta equipa do Vitória tenha perdido a sua espinha dorsal. Tanto Alex como Marco Matias já acumularam mais de mil minutos de jogo esta temporada e estão familiarizados com a filosofia e os princípios de jogo desta equipa. É portanto expectável que o Vitória se mantenha fiel a si próprio durante os 90 minutos.  O tónico desta equipa será como sempre o espírito de sacrifício do coletivo, que nada nem ninguém consegue abalar pese embora as (frustradas) tentativas!

 

 

O adversário

 

Líder incontestável da Liga de Honra e à distância de um triunfo de assegurar a subida de divisão, este Belenenses de Van der Gaag será um osso bastante duro de roer. A turma do Restelo mantém-se ainda invicta no seu estádio, sendo que apenas foi derrotada por duas vezes em toda a temporada. O último desaire dos azuis remonta a 6 de outubro do ano passado na Vila das Aves. Desde então já passaram quase 7 meses e 40 jogos sem conhecer o sabor da derrota. Há muito tempo que uma equipa da 2ª Liga não apresentava semelhante registo, sendo que parece óbvio que a 1ª divisão assenta que nem uma luva a este Belenenses.

De resto, esta formação dos “Pastéis” apresenta muitas semelhanças com a do Vitória. Van der Gaag também opta pela estrutura de 1x4x2x3x1 e costuma apresentar na baliza o inglês Matt Jones, sempre frio e seguro quando chamado a intervir à semelhança de Douglas. Na defesa o jovem cabo-verdiano Kay é uma das revelações desta equipa, destacando-se pela sua consistência e solidez à imagem de Paulo Oliveira. Os centrocampistas Diakité e Fernando Ferreira são o Leonel Olímpio e o André do Belenenses, exercendo os papéis de destruidor e construtor de jogo respetivamente. No último terço do terreno é o prodígio Tiago Silva que assume a batuta de jogo, acompanhado dos velozes Arsénio e Freddy, do experiente Yves Desmarets e da referência Tiago Caeiro, que à semelhança de Baldé no Vitória é solicitado maioritariamente pelo ar.

Por último ainda uma referência aos lances de bola parada, onde a equipa do Restelo é especialmente perigosa fazendo variadas vezes uso deste tipo de lances para decidir jogos a seu favor. Homens como Kay, João Afonso, Diakité e Tiago Caeiro são poderosos no jogo aéreo e aparecem frequentemente na zona do 2º poste, situação que deve merecer o máximo de atenção por parte de Rui Vitória.

Amanhã vamos todos a Belém ajudar o Vitória! Força Miúdos!