Benfica – Vitória (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Prossegue a Liga este Sábado para o Vitória, com uma complicada deslocação à Luz para jogar com o Benfica.
Após a excelente estreia de Rui Vitória ao leme da equipa vitoriana, os branquinhos tentarão dar em Lisboa, sequência ao triunfo concludente alcançado na Choupana.

Frente aos encarnados, espera-se novamente um Vitória a jogar um futebol alegre, com boa circulação de bola, e pressionando alto, mostrando com isso, não se sentir amedrontando por jogar na casa de um crónico candidato ao título.

Comparativamente ao último jogo frente ao Nacional, é esperada apenas uma alteração no onze inicial, com a saída do lesionado Pedro Mendes (estava a encher o campo na Choupana), e a entrada de Olímpio (tarda em mostrar o rendimento de Paços de Ferreira), que já o havia substituído no decorrer do jogo realizado na Madeira.

Quanto ao restante da equipa, Rui Vitória não deve efectuar nenhuma alteração.

Na defesa, apesar de Anderson Santana, já se encontrar disponível, o seu compatriota Bruno Teles (apesar da infelicidade no auto-golo, esteve seguro, e fez a assistência para os 2 golos de Edgar), deve manter a titularidade no lado canhoto da defesa vitoriana.

No meio campo ofensivo, o jovem uruguaio Barrientos (enquanto teve frescura física, fez um partidaço na Madeira, jogando e fazendo jogar a equipa), deve manter a titularidade, apesar de o rato atómico Nuno Assis (ainda não está nas melhores condições físicas), já estar disponível para jogar.

Na frente de ataque, Abdelghani Faouzi (tem excelente capacidade técnica, e velocidade, mas tem que ser mais objetivo na hora de decidir), deve manter a titularidade na faixa direita do ataque. Toscano (fez um grande jogo na esquerda, e as diagonais que fez para o centro do ataque, foram muito bem conseguidas, levando sempre perigo para a baliza adversária), continuará na faixa esquerda do ataque.

A referência na área deve continuar a ser Edgar (o bis que marcou, vem dar-lhe mais confiança), a não ser que Rui Vitória, faça entrar Targino para uma das faixas, e coloque Toscano como “falso” avançado, jogando mais numa toada de contra-ataque.

É muito importante, que o Vitória defenda bem (toda a equipa tem que defender, quando a bola está na posse do adversário), e saía para o ataque com qualidade, fazendo uma circulação de bola com inteligência, pois aí o Benfica, vai ficar nervoso, e irá sentir dificuldades, passando o Vitória a ter espaços para causar mossa nos encarnados.

Adversário: Benfica

A formação encarnada, está a ter um bom início de Liga, isto em comparação à última época, onde nas primeiras jornadas já tinha praticamente entregue o campeonato ao rival Porto.

Na presente época, a formação orientada por Jorge Jesus, tem utilizado uma variante tática diferente da época passada. O habitual 1x4x1x3x2 (muita dinâmica ofensiva), que Jesus utilizava, deu agora lugar a um mais conservador 1x4x2x3x1 (a troca de um avançado, no caso Saviola, por um médio box-to-box, o belga Witsel, mostra isso mesmo).

A nível defensivo, o conjunto encarnado, mostra estar mais forte, pois o guarda-redes Artur Moraes, e o central argentino Garay, vieram dar outra coesão à equipa.

O Vitória terá que apostar nas faixas, onde os laterais Maxi Pereira (não esta nas melhores condições físicas, e é um lateral lento) e Emerson (é um lateral que defende bem, mas tem erros posicionais, dando espaços nas costas, e não fechando bem o espaço interior), são os elos mais frágeis da defesa.

Na zona intermediária, o espanhol Javi Garcia (é muito agressivo, e Barrientos tem que arrastar a marcação que será alvo do espanhol), e sobretudo o belga Witsel (melhor contratação dos encarnados, pois é um médio de transição, que tem excelente capacidade técnica, e que defende e ataca com a mesma qualidade), tem funcionado bem.

Nas alas, é necessária muita atenção, ao argentino Gaítan (muito dotado tecnicamente, tem jogado está época na direita, tentando fazer diagonais curtas para zonas interiores), e o espanhol Nolito (destro que tem jogado na esquerda, fazendo quase sempre a diagonal para o interior, e rematando sempre forte e colocado para a baliza adversária).

A assumir a batuta de jogo, estará Aimar (está num excelente momento, mostrando estar em boas condições físicas). É importante que o Vitória não deixe que o argentino pegue na construção de jogo do Benfica, se o conseguir, terá maiores probabilidades de sair da Luz com um bom resultado.

Na frente de ataque, joga Cardoso (o paraguaio move-se pouco, mas nos passes de ruptura de Aimar, aparece bem nas costas dos defesas adversários).

Atenção nas bolas paradas, a Luizão, Garay e Javi Garcia, que são muito fortes no jogo aéreo.

O Vitória, nas últimas 4 épocas, venceu na Luz por duas vezes, e empatou uma outra partida, o que mostra que os branquinhos têm claramente qualidade, para ir vencer novamente a Lisboa, onde terá o apoio de meio milhar de adeptos, que o apoiará do primeiro ao último minuto.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: