Benfica – Vitória (Antevisão)

Este Sábado o Jogo da Jornada 8 joga-se no Estádio da Luz, com um frente a frente entre o Lisboa e B e o Vitória.

É de prever uma excelente Partida de Futebol, com resultado imprevisível, e com um grande ambiente em redor do espetáculo.

O Vitória pretende dar continuidade aos últimos 3 triunfos (2 para a Liga, frente a Académica e Vitória de Setúbal), e cimentar uma posição nos primeiros lugares, e para isso é necessário sair do relvado com um resultado positivo.

Na totalidade de confrontos para a Liga Portuguesa de Futebol, o Vitória por 67 ocasiões que defrontou o Lisboa e B, conseguiu vencer por apenas 3 ocasiões (em 95, 97 e 2009), empatou por 8 vezes, e saiu derrotado em 56 desafios.

No Estádio da Luz, os Conquistadores terão o apoio de um Milhar de Vitorianos, que vão apoiar ao longo de todo o Jogo os Branquinhos, e que vão seguramente querer calar os adeptos encarnados ao longo do desafio.

O Juiz da Partida será João Ferreira, um confesso adepto do Lisboa e B. O que se pede, é que seja isento, e que não faça “inclinar” o Campo, situação muitas vezes vista quando o Vitória se desloca a Lisboa. Ainda o ano passado, se assistiu a um autêntico “roubo”, com os Branquinhos a serem espoliados durante todo o Jogo, e tornando-se praticamente impossível trazer um resultado positivo para a Cidade Berço.

Isenção é somente o que se pede a João Ferreira e seus pares!

Questão Técnico -Tática

Este Sábado na Luz, e em relação ao Jogo frente ao Vitória de Setúbal, Rui Vitória é obrigado a fazer uma alteração no 11. Assim, e sem puder contar com Soudani, o Técnico Vitoriano, deve à imagem da 2ª parte frente aos Sadinos, colocar Marcelo Toscano, como o homem mais adiantado da Equipa.

Na zona intermediária, na posição 10, que vem sendo acompanhada por Marcelo Toscano, deve entrar André André (3 Jogos deve voltar à titularidade, e o médio pode ajudar no controlo do Jogo a meio-campo, e a Equipa pode ganhar mais qualidade no passe, e melhor definição nas saídas para o ataque), ou mesmo Barrientos, que pode voltar a ter uma oportunidade por parte de Rui Vitória, que poderá apostar na criatividade e no “guardar” de bola do uruguaio, detalhe que pode ser importante no Jogo.

Uma alteração mais remota, passa pela colocação do “gigante” Amido Baldé como referência na área, e a manutenção de Marcelo Toscano como médio ofensivo. Ainda assim, Rui Vitória deve optar pela 1ª possibilidade, optando numa 1ª fase, na aposta das rápidas transições ofensivas, e com uma frente de ataque mais móvel.

No restante da Equipa, não haverão alterações, ainda assim é importante retificar algumas situações, que tem estado menos bem.

Assim, no lado direito da defesa, Alex, tem que estar mais atento a fechar a zona central, e a dar menos espaços nas costas, situação que aconteceu frente ao Vitória de Setúbal, e que poderia trazer dissabores à Equipa.

No lado esquerdo da defensiva, David Addy, também terá que dar menos espaços nas costas, até porque o adversário deste Sábado, conta com Sálvio, um Extremo veloz, forte no 1×1, e que procura muito as costas do lateral adversário.

Na zona intermediária, El Adoua, terá que “encostar” mais em N´Diaye e Defendi, pois o Lisboa e B, joga com 2 Avançados, e o Marroquino, pode equilibrar este “duelo de forças”, pois será necessário o Vitória estar em vantagem numérica junto a sua área, e El Adoua pode ser o elemento encarregue de fazer as dobras, tanto a N´Diaye como a Defendi, que terão que estar muito atentos as movimentações de Cardozo, mas principalmente de Lima.

Já Leonel Olímpio, terá que continuar a jogar com a “garra” que tem vindo a fazer, mas terá que ter melhor critério no passe, pois será muito importante para o Vitória, sair com qualidade para a transição ofensiva.

Na frente de ataque, o “L´ Enfant Terrible” João Ribeiro, está num excelente momento de forma, e o Extremo pode desequilibrar no Jogo deste Sábado, pois a sua capacidade técnica e o seu forte jogo interior, podem desorganizar a defensiva encarnada.

No lado direito, Ricardito, pode aproveitar as debilidades defensivas de Melgarejo.

Na área, Marcelo Toscano, será o “falso” Avançado, e é primordial que deambule na frente, e segure bem a bola, esperando pela subida da Equipa. Deve também tentar o forte remate que possui, tentado surpreender Artur Moraes.

O Vitória tem que entrar determinado, confiante, e não pode entrar receoso, pois o Lisboa e B, vai tentar impor um ritmo alto nos primeiros minutos, tentado “abafar” o Vitória logo à saída da sua área.

Será importante, que os Conquistadores, defendam muito bem, façam uma boa circulação de bola (enervando o adversário e os seus adeptos, e fazendo com que ataquem com muitos jogadores, mas abrindo brechas atrás), e consiga “esticar” o seu Jogo, chegando assim chegar à Baliza do Lisboa e B. Nas oportunidades que o Vitória tiver, terá que ser tremendamente eficaz, pois assim trará de certeza um bom resultado para a Cidade-Berço.

Com muito empenho, solidariedade, e espírito de Equipa, o Vitória pode fazer o que já fez algumas vezes nos últimos anos, “apagar a Luz”.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Jorge Jesus, tem colocado a sua Equipa a jogar numa variante muito ofensiva, um 1x4x2x4 (deve colocar Ola John e Sálvio nas faixas, e a dupla Cardozo e Lima na área), que pode nas transições defensivas, se transformar num 1x4x4x2 (Ola John e Sálvio descem no terreno, juntando-se mais ao duplo pivô Matic e André Gomes, ou mesmo Carlos Martins que pode jogar na posição 8 este Sábado).

Frente aos Branquinhos, Jesus deve manter o mesmo sistema tático, a não ser que jogue num 1x4x2x3x1, com a saída de Cardozo da frente de ataque, e a entrada de Carlos Martins ou Bruno César para a posição 10, jogando assim com um playmaker nas costas de Lima.

O Lisboa e B, conta com muitas soluções ofensivas (Jesus ai pode fazer muita rotatividade), mas a nível defensivo e na zona intermediária, tem várias debilidades, detalhes que o Vitória pode e deve explorar.

Pontos Fortes
* Profundidade que os laterais Maxi Pereira (procura muito zonas interiores) e Melgarejo (é muito mais vertical que Maxi) dão à Equipa Encarnada.
* Na zona intermediária, o Jovem André Gomes, tem bom toque de bola e é raçudo, pressionando bastante o portador de bola na zona nevrálgica do terreno.
* Nas alas, Sálvio é veloz e muito forte no 1×1, e Ola John gosta de ir a linha cruzar, tentando algumas vezes a diagonal para a zona central, tentando de seguida o remate.
* Na frente de ataque, Lima é “explosivo”, é veloz nos movimentos, e cria desequilíbrios, tanto a sair de uma faixa, como nas tabelas com Cardozo já na área adversária. Já Cardozo é um Avançado que gosta de estar fixo na área, tentado sempre aplicar o seu forte remate, quando tem uma nesga de espaço junto à Baliza adversária.
* Nas bolas paradas ofensivas, os Encarnados não estão tão fortes como num passado recente, até porque não contam neste momento com Luizão e com o transferido Javi Garcia, dois Jogadores muito fortes no jogo aéreo, e nos “bloqueios” que faziam nas bolas paradas. Ainda assim, é necessária atenção em Jardel (aparece na zona do penalty), Garay (surge ao 2º poste) e Matic (aparece no 1º poste).Nos lançamentos laterais, Maxi Pereira lança sempre longo para a área, o que cria dificuldades, pois há sempre ressaltos junto à Baliza.
* Mesmo sem Enzo Pérez, Aimar e Nolito, há muitas soluções ofensivas, como Carlos Martins (costuma fazer grandes exibições frente ao Vitória), Bruno César, Gaítan (extremo muito vertical e fortíssimo no 1×1) e Rodrigo (gosta de vir “embalado” de trás, e surge bem no espaço vazio), que podem entrar e “mexer” sempre com uma Partida.

Pontos Fracos
* Maxi Pereira, não passa por um bom momento, e dá espaços nas costas, e não é um lateral veloz. Já Melgarejo, a nível defensivo, fecha mal a zona central, e mostra ainda bastante falta de rotinas para jogar como lateral, e neste contexto, Ricardito com a sua velocidade e capacidade técnica pode desequilibrar na faixa direita.
* Na zona central da defesa, Jardel é lento e débil no jogo de cintura. Já Garay, é forte nas dobras, mas como pode ir fechar várias vezes a subida de Melgarejo, pode abrir espaços no eixo da defesa.
* Matic na zona intermediária, não dá o equilíbrio que Javi Garcia (fechava as subidas de Maxi, e recuava muitas vezes para o eixo da defesa, na 1ª fase de construção de Jogo da Equipa), e tem uma fraca qualidade de passe, o que faz perder muitas bolas no meio-campo, e expor o Lisboa e B, a rápidas transições ofensivas, por parte dos adversários.
* Nas bolas paradas defensivas, o Lisboa e B, sente mais dificuldades, com bolas que são colocadas ao 1º poste, onde nesse raio de acção, a Equipa não é “agressiva” no atacar da bola.

  Categories: