Braga-Vitória (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Vem ai mais um derby de todas as emoções no Minho. Esta 2ª feira, o Vitória desloca-se à Pedreira para defrontar o eterno rival. Será um jogo, que fica desde já marcado pela polémica em torno dos bilhetes que o clube de lá da Morreira tinha que enviar para Guimarães, e não o fez da forma como devia ter acontecido e havia ficado estipulado.

No que diz respeito ao jogo dentro das 4 linhas, espera-se uma partida entusiasmante, sem casos de arbitragem, e que os branquinhos consigam trazer os 3 pontos para a Cidade Berço. Que os Conquistadores, consigam dentro de campo ser mais fortes, e “silenciem” a Pedreira. Seria uma “bofetada” de luva branca a todo o clube adversário. Para que isto aconteça, será necessária uma equipa solidária, coesa e que jogue pelos ímpares adeptos que estarão a torcer imensamente pelo seu Vitória Sport Club.

Em comparação ao último jogo frente ao Sporting, esperam-se 3 alterações no onze inicial. No quarteto defensivo, e não podendo contar com o castigado Bruno Teles, abre-se a possibilidade de estreia do brasileiro Anderson Santana. Outra hipótese, ainda que menos crível, é o recuo de Jorge Ribeiro para lateral esquerdo. Ainda assim, parece muito mais provável que seja Anderson Santana a ser o eleito, até porque é um lateral de raiz, e será necessário a meu ver um jogador “fresco” a nível físico, de forma a parar o Alan.

No meio campo, a chamada de Rui Miguel ao onze terá que acontecer, pois o virtuoso centrocampista do Vitória, traz sempre “alegria” e fantasia ao jogo vitoriano. Manuel Machado, tem que entender de uma vez por todas que Rui Miguel é sem dúvidas o melhor médio do plantel, e que tem que ser titular neste Vitória.
Na frente de ataque, e com mais uma ausência de João Ribeiro por opção técnica de M.Machado, abre-se a porta da titularidade a Edgar, que após vários jogos no banco, regressará à titularidade. Toscano, que vinha jogando como “falso” avançado, jogará na faixa esquerda do ataque, à imagem do que fez e bem na 2ª parte do último jogo frente ao Sporting. É fulcral, que o Vitória consiga ser eficaz nas oportunidades que pode dispor nesta partida.

O Vitória deve apresentar-se num 1x4x3x3 e apresentar o seguinte onze:

Adversário: Sp.Braga

O adversário do Vitória nesta ronda, passa pelo melhor momento da época, nesse contexto as dificuldades para esta partida serão ainda mais acrescidas.

Neste momento o Braga esta na 4ª posição da Liga, o que em muito contribuiu os 4 triunfos que conseguiu nas últimas 4 jornadas.

A nível tático o Braga tem jogado num 1x4x2x3x1 que pode desdobrar-se num 1x4x4x2 (neste caso com Paulo César a encostar na frente com Lima).

Na baliza contam com Artur Moraes, um guarda-redes que esta num excelente momento de forma.

Na direita da defesa, jogará o português Miguel Garcia um lateral muito raçudo, mas lento e com dificuldades em parar alas velozes.

No eixo da defesa e não podendo jogar Rodriguez, irão jogar os brasileiros Paulão e Kaká, uma dupla forte no jogo aeréo, mas a denotar imensas dificuldades em jogo rente ao relvado.

Na esquerda estará o internacional Sílvio, um lateral que dá profundidade ao jogo bracarense pelo lado esquerdo, e que tem o timing certo para o fazer.

Na zona intermediária, e em frente à defesa estará Custódio, médio recuperador de bolas e que tem boa qualidade de passe. A seu lado estará o canhoto Hugo Viana, ele que começa a fazer a transição para o ataque, e que pauta o jogo bracarense com mestria.Hugo Viana é também muito perigoso nas bolas paradas, pois chuta forte e de forma tensa. Como médio organizador estará Márcio Mossóro, jogador com uma técnica refinada, e que dá o toque artístico ao último terço de terreno da sua equipa.

Na frente de ataque, e pela direita é necessária muita atenção a Alan, pois as suas diagonais, os seus movimentos interiores, e a sua técnica, causam muitas dificuldades ao lateral contrário. Na esquerda deve jogar Ukra (encontra-se mais fresco que Paulo César), um extremo muito rápido e tecnicista, e que chuta bem de meia distância.

A referência na área será o brasileiro Lima, um avançado “vagabundo”, pois é muito móvel e causa dificuldades na marcação dos centrais. Tenta muitas vezes o forte remate que possui.

Nas bolas paradas ofensivas, atenção ao jogo aéreo de Paulão, Kaká e Custódio, que jogam bem de cabeça.
Quanto ao Vitória, terá que nas suas bolas paradas, atacar o 2º poste, pois aí o Braga sente dificuldades e não é agressivo.

Apesar de não se deslocarem tantos adeptos quanto era desejo dos Vitorianos, todos os que não marcarão presença na Pedreira, estarão a torcer pelo Vitória. É hora de os Conquistadores “assaltarem” a casa adversária, onde o Vitória ainda não lá conseguiu vencer desde que a Pedreira existe.

Que os jogadores do Vitória dêem tudo dentro de campo, e joguem com a garra das gentes vitorianas.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: