Braga x Vitória – antevisão

wpid-Sporting-Braga-vs-Vitoria-Guimaraes_thumb[1]

 

A 20ª jornada do campeonato traz um dos jogos com mais tradição a nível nacional. O Vitória terá pela frente uma viagem de 20km para defrontar o eterno rival na sua casa. Depois de 3 jogos entre estas mesmas equipas no D. Afonso Henriques (com o saldo de 1 vitória (e passagem às meias-finais da Taça de Portugal), 1 empate e 1 derrota) será a vez de os Vitorianos se deslocarem à Pedreira para defrontar os arcebispos.

Após ter arrecadado mais 3 pontos no derby concelhio, o Vitória parte para este jogo com a ambição de manter o 7º lugar com vista a escalar mais umas posições na tabela. Os Conquistadores já não trazem o triunfo de terras alheias há uma década, porém nada melhor que o dia de hoje para matar o borrego. O Braga já não vence há 4 partidas e José Peseiro está cada vez mais entre a espada e a parede com o aumento da contestação no seio dos adeptos. Os bracarenses já estão a 4 pontos do 3º lugar e este poderá ser um jogo de vida ou de morte em relação às suas aspirações…

 

O adversário

O Braga, tal como a maioria das equipas nacionais, mantém-se organizado numa estrutura de 1x4x2x3x1. Com uma filosofia e princípios de jogo próprios das equipas de José Peseiro, os arsenalistas têm feito uma temporada abaixo das expectativas dos seus responsáveis. Afastado das competições europeias e da Taça de Portugal, o Braga centra todas as suas atenções no campeonato onde vê o 3º lugar fugir para um super Paços de Ferreira.

Com uma postura de controlo do jogo e da manutenção da posse de bola, os “Gverreiros” (como gostam de ser tratados desde há uns tempos para cá) praticam um futebol atractivo para os espectadores. Com uns impressionantes 41 golos é destacadamente o 3º melhor ataque do campeonato e a equipa que mais golos marca no seu terreno. Neste ponto há que dar natural destaque a Éder, o artilheiro da equipa com 11 golos apontados.

Tirando o avançado português, o resto da equipa tem-se exibido a um nível razoável, longe das boas exibições de outros tempos. Hugo Viana é talvez o caso mais sintomático desta mediania, ele que diz-se estar de malas feitas para a Turquia no final da temporada.

Por fim este Braga revela um desempenho defensivo anormal para quem quer chegar ao pódio do campeonato. Com apenas menos 1 golo sofrido e 1 derrota que o Vitória,  já passou mais de 1 mês da ultima vez que o Braga manteve uma clean sheat .

Sempre que é apanhada em contrapé a equipa de Peseiro revela dificuldades em acertar com o posicionamento defensivo das suas unidades mais recuadas (pouco compactas e pressionantes e com dificuldades em se organizar em linha) e dos elementos do meio-campo (não fecham o espaço nas suas costas). O exemplo mais evidente é mesmo o encontro da Taça de Portugal onde o Vitória aproveitou erros adversários para marcar 2 golos em jogadas rápidas e letais.

Com Sasso ainda em fase de adaptação e Elderson a realizar um dos primeiros jogos após a saída de Ismaily, este será mesmo o sector mais fraco do adversário e aquele a explorar pelo Vitória. O francês, apesar de bom jogador, tem cometido alguns erros de posicionamento e o nigeriano Elderson sempre foi pouco mais que medíocre a defender e no ataque ainda está pouco entrosado relativamente às combinações com Rubén Amorim que tantos frutos deram ao Braga com Ismaily.

 

O Vitória

Privado de Leonel Olímpio e Barrientos (castigados) e de N´Diaye, Freire, Hernâni e Dinis, Rui Vitória efectuou algumas alterações na convocatória para o derby relativamente ao encontro com o Moreirense.

Alex está de volta e deve assumir o lugar na direita da defensiva, sendo que Kanu ainda não adquiriu o ritmo desejado depois de uma paragem prolongada. Com o recuo de Adoua para o eixo da defesa Bamba deve entrar para o duplo-pivôt do meio-campo e André André regressa para ocupar a vaga de Jean Pierre Barrientos.

574576_4518648329741_1364307901_n

Organizado igualmente num esquema de 1x4x2x3x1, o Vitória opta no entanto por assumir outra postura: bloco mais recuado e cedência do domínio do jogo ao adversário. É de esperar, portanto, um Braga com mais bola à semelhança do jogo da Taça de Portugal… mas tal como esse memorável encontro na Cidade-Berço, o Vitória aproveitará todas as oportunidades para sair em transições rápidas para o ataque e aproveitar o ponto fraco do adversário para lograr o golo. Ricardito, Marco Matias e Soudani terão um papel activo e decisivo nas esperanças dos Vitorianos em alcançar um resultado positivo na Pedreira… Rui Vitória e o coração de todos os Vitorianos confiam na capacidade desta tripla em trocar as voltas aos defesas adversários fazendo uso da velocidade e agilidade por forma a alcançar um objectivo comum: colocar a redondinha no fundo da baliza de Quim. Com uma equipa solidária e coesa (principalmente lá atrás) e munidos da inteligência e frieza que têm faltado ao titubeante adversário de amanhã, os Branquinhos podem muito bem ir de novo contra as previsões daqueles que consideram à partida o Braga como natural favorito.

Os mais de mil vitorianos que se deslocarão à Pedreira garantirão certamente que os 11 Conquistadores manterão a mesma atitude com que El´Rei D. Afonso Henriques despachou os inimigos… raça, abnegação, espírito de sacrifício… tudo será pouco para derrotar um eterno rival obrigado a vencer para evitar um cenário de crise!

 

Por fim, uma ultima mensagem para os nossos super-jovens:

“Todos podem ser guerreiros, mas nem todos são Conquistadores”.

 

FORÇA VITÓRIA!

 

 

 

  Categories: