CHEGA !

Chega!

Uma só palavra bastará depois de mais um triste episódio vivido na cidade rival, num daqueles jogos que nem a feijões se devem perder!

Chega de inércia de uma direcção que vê a equipa ser constantemente prejudicada e nada faz… nem sequer um mero comunicado, redigido por quem quer que seja, a lamentar as atrocidades cometidas contra o clube de todos nós…

Chega de silêncios que doem mais do que qualquer pontapé na gramática…

Chega de palavras ocas e subterfúgios para desculpar insucessos…

Chega de árbitros habilidosos que conseguem travestir o cariz de um jogo, com a complacência de quem, mandatado para isso, nada faz para proteger os superiores interesses do clube…

Chega de treinadores defensivos que parecem ter medo da própria sombra… e simultaneamente desrespeitam a importância que este tipo de desafios tem para a auto-estima dos que tudo dão ao clube: os adeptos…

Chega de desresponsabilização… todos os jogos são para ganhar e contra um rival até os treinos são para ganhar…

Chega de falta de ambição, vendendo uma ilusória meta, como uma quimera… para suceder o que sucedeu no último jogo da época passada, em que o profundo estado de sonambolismo em que todos viviam (jogadores, direcção) terminou no malogro europeu…

Chega de apostas incompreensíveis, como a constante aposta em quem nada mostrou (Faouzi) e o voto ao ostracismo de um jogador como Targino, que parece que está de castigo após o bis de Alvalade…

Chega de jogadores, rapidamente, endeusados e que após um bom jogo vivem, permanentemente, dos rendimentos e do valor de um passe que, ainda, ninguém entendeu a razão de ser tão exorbitante…

Chega de mãos brandas e para desculpas baratas… responsabilizem-se os incautos e castigue-se com mão pesada quem não é digno de vestir a camisola do Rei!

Chega de comentadores/analistas contratados para nos denegrir, humilhar, sem uma mera palavra de repúdio de quem quer que seja…

Nunca hão-de chegar as palavras para incensar a melhor massa de adeptos do mundo e que mais uma vez demonstraram que não merecem ser tratados deste modo…

  Categories: