Comunicado Imprensa – Paulo Emanuel Mendes

Recebemos um comunicado na caixa de correio (E-Mail) , o qual passamos a transcrever :

COMUNICADO

Em 24 de Novembro de 2011 foi entregue um requerimento na sede do Vitória Sport Clube, assinado por 168 sócios, dirigida ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral, a pedir a marcação de uma assembleia-geral, com a seguinte Ordem de Trabalhos: Ponto Único: deliberação acerca da demissão do Presidente da Direcção.

Datada de 20 de Dezembro de 2011, foi-me remetida uma carta pelo Presidente da Mesa da Assembleia Geral em que invoca a existência de irregularidades no requerimento apresentado.

Alegadamente o atraso na resposta terá ocorrido em virtude do Presidente da Mesa da Assembleia Geral ter solicitado parecer ao Conselho de Jurisdição acerca do requerimento apresentado, não obstante aquele Órgão não ter legitimidade para o efeito, tal como se constata do artigo 34º dos Estatutos.
Foi hoje enviada uma carta registada com AR ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral em que se dá conta de que o mesmo desrespeita os sócios e viola os Estatutos.

Sublinha-se que petição que lhe foi entregue, de forma indecomponível, ao contrário do que ele pretende fazer crer, é um documento constituído por 20 folhas numeradas e rubricadas, sendo vontade inequívoca e expressa de todos quanto a assinam – e não o fizeram em branco – que seja marcada a assembleia geral extraordinária nos termos do artigo 28º, alínea b) dos Estatutos.

Estranha-se que tendo meios para aferir da veracidade da pretensão dos sócios subscritores do requerimento, designadamente através da aplicação do parágrafo único do referido artigo 28º dos Estatutos, ande a perder tempo com o envio de cartas.

O requerimento é claro e cumpre na íntegra o que consta dos Estatutos.
Pretende-se que seja convocada a Assembleia Geral Extraordinária com a seguinte Ordem de Trabalhos: Ponto Único: deliberação acerca da demissão do Presidente da Direcção.

Nos termos do artigo 25º, nº 1 dos Estatutos, o Presidente da Direcção pode ser demitido em Assembleia Geral. Ora é precisamente o que pretendem os sócios subscritores da petição que foi entregue ao Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

Em nenhuma parte dos Estatutos se exige qualquer fundamentação para suportar a pretendida ordem de trabalhos. Tal é matéria a tratar nas intervenções a realizar na Assembleia.

Informou-se aquele de que não será efectuada qualquer correcção à petição entregue, apelando à seriedade e ao bom desempenho das suas funções no sentido de marcar a Assembleia Geral Extraordinária, tal como se pediu.
Apelando-se ainda a que não permita uma revolta irreversível por parte dos sócios nem o recurso à via judicial, tudo para bem do Vitória.

Com os melhores cumprimentos,
Paulo Emanuel Mendes

  Categories: