Continuam por pagar ordenados no voleibol e basquetebol

“É uma situação que não podemos esconder, mas que segundo as informações que temos da Direcção está a ser resolvida, e irá ser a curto prazo.” Estas palavras foram de Aníbal Rocha, director do voleibol vitoriano, em meados de Junho, numa entrevista concedida ao portal VitóriaSempre. Mas a verdade, e apesar de não ser da responsabilidade directa da secção e dos seus responsáveis, é que os jogadores e técnicos do voleibol do Vitória continuam sem ver a cor do dinheiro.

Desde Março que não há ordenados no voleibol do Vitória. Se para os jogadores isto equivale a dois salários em atraso – Março e Abril – o caso piora quando se fala na situação dos técnicos, especialmente da formação. Para esses a dívida é já de quatro meses, uma vez que continuaram a trabalhar até finais de Junho, mas sem que um único cêntimo lhes fosse pago.

Esta situação veio a público há já algum tempo, mas nem por isso a direcção vitoriana, e o responsável máximo pelas modalidades conseguiram ainda resolver. Segundo apuramos, esta questão tem sido adiada sistematicamente, com promessas, em vão, tanto do líder máximo do clube, Emílio Macedo, como do das modalidades, Eugénio Rodrigues.

Esta não é a primeira vez que o Vitória fica em falta para com os atletas e técnicos. Já na época anterior, todos foram de férias e tiverem de esperar cerca de dois meses para receberem o dinheiro a que tinham direito.

De resto, esta questão dos ordenados em atraso, ainda segundo aquilo que conseguimos saber, não se cinge apenas ao voleibol. Também no basquetebol há ordenados por liquidar a jogadores e técnicos.

Recorde-se que há bem pouco tempo o futsal feminino esteve na iminência de acabar, igualmente por questões de índole financeira, ainda que na altura este argumento tenha sido rejeitado.

Mas a crise não é apenas monetária. Há também falta de justificações para com atletas, ex-atletas, e técnicos vitorianos, que mesmo não querendo, deixam escapar o desânimo por uma situação incómoda.

O momento, é como se disse, de bastante desalento nas hostes das modalidades vitorianas, que como se sabe, são as responsáveis pelos maiores feitos nos últimos anos no nosso clube. Bastará lembrar a épica conquista da Taça de Portugal pela equipa de Basquetebol, ou os títulos do Voleibol – Campeonato e Taça.

Esperemos que esta situação se resolva, definitivamente e a breve trecho, para que tanto o voleibol como o basquetebol, nos possam continuar a dar alegrias.

  Categories: