DEMITA-SE Ou Demitam-no!

O Vitória nos tempos que correm, vive momentos de turbulência.

Desde uma equipa de futebol que tem deixado (muito!) a desejar, até a um passivo cada vez mais mostruoso, tudo tem servido para atormentar o espírito dos adeptos que, dia após dia, sofrem e preocupam-se com o negro momento que o clube vai vivendo.

E dessa preocupação com a actual situação e com a gritante incapacidade de quem se encontra mandatado para gerir a situação resultaram os gritos de revolta da passada Sexta-feira, e que aqui foi apodada de Primavera Vitoriana, atendendo aos seus contornos prolegoménicos de rebelião contra um poder instalado, que ostraciza os vitorianos e que de modo autista vai se deixando enlear nas suas próprias contradições.

Porém, como em todas as revoluções, o início traz sempre uma figura de proa no poder instalado, que não o presidente… Quem já esqueceu o outrora famoso Ministro da Informação Iraquiana tentando salvar o que já se sabia perdido?

Pois bem… no Vitória, ele também existe, e as suas intervenções, de tal modo desabridas, assemelham-se a esse personagem!

Falamos de Luciano Baltar, que ontem atirou-se aos vitorianos – supostamente parceiros de paixão – apodando-os de mal educados, incultos e que  com as suas actuações causaram mal-estar às pessoas de bem da direcção.

Ora, sabendo que em qualquer revolução popular podem existir alguns exageros, importará lembrar que estes não foram nem mais nem menos do que os que sucederam em outras Assembleias… e se Baltar e Macedo minimizaram o resultado negativo, para eles, da reprovação do Relatório e Contas afirmando que já outros houveram sido negados, seria de bom tom lembrar que em outras Reuniões Magnas houve momentos de exaltação…inclusivamente, no c0nsulado desta Direcção… mas aí os resultados foram os pretendidos e houve uma esponja passada sobre o assunto!

Além disso, Baltar, simplesmente, humilhou os vitorianos de coração… Que sentido, faz vir acusar para a imprensa quem paga as quotas e ajuda, apaixonadamente, a manter o clube do qual ele se ufana de ser dirigente quando por questões de privacidade a direcção da qual é parte impediu, de modo nada democrático, a entrada dos jornalistas nas mesmas reuniões magnas?

E nessa senda de humilhação, realizou o que nenhum dirigente desportivo alguma vez fez…insultou os sócios do clube da qual é vice- presidente, para depois se auto-promover dizendo que ele e os outros membros são pessoas de bem!

Ora se assim é, tem boa solução…como pessoa de bem que é, demita-se já hoje, pois há-de convir que é mais fácil demitir-se uma pessoa, do que 25000 sócios e pessoas, igualmente, de bem demitirem-se de uma paixão, após as suas escabrosas declarações… e repare que, esta sugestão simplesmente pretende acautelar o seu lado de bem… é que o sendo, não pode ouvir os supostos desaforos que descortinou!

Caso não o faça, pois bem, há sempre alguém que zela pela nossa idiossincracia e princípios…. e aí, o Presidente da Direcção – que conjuntamente com o próprio Baltar, ainda, não teve discernimento para entender que trata-se de tudo menos de resultados desportivos – deverá zelar pela dignidade do vice-presidente demitind0-o…de modo a demonstrar que, pelo menos para ele, Baltar é uma pessoa de bem…ainda que faça as contas do clube de cabeça errando nuns míseros milhões…

  Categories: