Emílio Macedo responde a Pinto Brasil

Emílio Macedo da Silva acaba de responder à carta aberta de Manuel Pinto Brasil com comunicado no site oficial do Vitória.

O presidente do Vitória Sport Clube lamenta que encontre constantemente oponentes ao desenvolvimento do clube e que muitos deles estejam próximos. Questiona as acções e comportamentos de Pinto Brasil e aproveita ainda para revelar o, por ele chamado, “vigarista” no caso Carlão: Jorge Baidek, o empresário do jogador.

Podem ler em seguida o comunicado emitido esta tarde:

«A propósito das infames declarações de Manuel Pinto Brasil, cumpre-me, enquanto Presidente do Vitória Sport Clube, tecer algumas considerações. Não raras vezes, o associado em questão já dera mostras de total inoportunidade nas suas intervenções públicas. O que não se conhecia, e veio agora tornar-se revelador, era um óbvio talento para envergonhar todos aqueles que pertencem à família vitoriana. Entre o chorrilho de inverdades descrito nessa pseudo “carta aberta”, é absolutamente falso que o Vitória tenha rejeitado a renovação do contrato de publicidade do Voleibol que vigorou na época transacta. Vivemos tempos difíceis, como todos sabem, pelo que não estamos em condições de recusar apoios. Venham eles de onde vierem.

Mesmo não se percebendo as suas reais intenções, torna-se completamente claro que o seu objectivo passa por lançar o caos e dividir os vitorianos. O teor das suas declarações é verdadeiramente absurdo, não há dúvidas, mas, felizmente, não possui carácter contagioso. Os vitorianos sabem que este caminho, ridículo e hediondo, não se adequa a uma instituição com quase 90 anos de história. Como souberam nas eleições de Março de 2010.

O Vitória Sport Clube não necessita de gente que, apenas para garantir publicidade gratuita, se preste a actos nada abonatórios e despidos de inteligência. A crítica é algo que aceito com toda a naturalidade e que é inerente ao cargo que ocupo. O que é inaceitável são estas opiniões infundadas e estes comportamentos execráveis, próprios de quem prefere esconder-se atrás da cortina ao invés de se expressar nos locais adequados. Porque razão Manuel Pinto Brasil permaneceu todo o tempo sentado, na última Assembleia Geral, quando tinha a oportunidade de se manifestar perante os seus consócios? Porque razão o mesmo associado, depois das eleições a que concorreu, deixou de ser visto nos estádios onde joga o Vitória? Não será, certamente, por falta de tempo ou disponibilidade…

Como pude comprovar na tentativa de transferência de Carlão, o Vitória não encontra apenas adversários dentro do terreno de jogo. Pior do que isso, alguns desses oponentes que encontramos fora das quatro linhas estão desprovidos de honra e dignidade.

Jorge Baidek acertou comigo, depois de inúmeras reuniões e contactos que mantivemos nas últimas semanas, todos os pormenores da transferência do jogador. Lamentavelmente, há gente que se vende por um punhado de notas, deitando para trás das costas a palavra e o compromisso. A partir deste dia, Baidek é considerado “persona non-grata” no Vitória, dado que as portas do nosso clube estarão sempre fechadas para indivíduos desta “categoria”.

Emílio Macedo da Silva
Presidente do Vitória Sport Clube»