Enganador!!

O Vitória coneceu novamente o sabor da derrota esta noite frente ao líder do campeonato nacional.
Manuel Machado, optou por iniciar o jogo com uma mudança táctica, que acabou por surtir resultados, pois o Vitória foi muito mais eficaz no futebol realizado, muito por culpa de Tiago Targino, titular esta noite, que com a sua habitual velocidade, podia ter aberto o marcador logo nos minutos iniciais.
O Vitória teve uma maior consistência ofensiva, e poderia ter novamente aberto o marcador, aos vinte minutos, quando o árbitro assistente assinala, erradamente, um fora de jogo a Bruno Teles, que isolou depois Toscano.
Um Vitória muito mais eficaz nas transições defesa ataque, e também com uma maior eficácia defensiva.
Durante o primeiro tempo, o jogo foi completamente disputado “taco a taco”, sem muitos remates, mas com um bom futebol.
Na segunda parte, a equipa da casa foi muito mais eficaz, e acabou por chegar ao golo, numa jogada bem estruturada. Manuel Machado faz duas substituições de assentada, tirando Jorge Ribeiro (que saiu bastante irritado) e Toscano, e fazendo entrar João Pedro e Rafa (que fez assim a sua estreia).
O Vitória não conseguia concretização ofensiva, e não conseguiu fazer um único remate no segundo tempo.
A equipa da casa chegou ao segundo golo, depois de N’Diaye ter visto o segundo amarelo e consequente vermelho, e de João Alves se ter lesionado, após esgotadas as substituições, pois entrou também Edgar para o lugar de João Ribeiro.
Por este jogo se viu que, se Manuel Machado quiser, e caso seja mais arrojado, deixando de parte o seu mais que batido esquema táctico, e alterando certos jogadores, nomeadamente na frente de ataque, o Vitória poderá ser muito mais feliz.
No final do jogo, Manuel Machado, finalmente foi perentório na defesa do clube, e nas críticas à equipa de arbitragem, principalmente pela constante mostragem de cartões, que hoje foram sete amarelos e um vermelho, contra nenhum da equipa da casa. Este facto demonstra a real dualidade de critérios da equipa de arbitragem, que admoestou jogadores do Vitória com a cortolina amarela, por faltas muito menos duras que muitas da equipa da casa.