Feirense-Vitória (Antevisão)

Questão Técnico-Tática

O Vitória desloca-se este Sábado, à Vila da Feira, para defrontar o Feirense, que luta desesperadamente pela fuga à despromoção, e que tem nesta partida mais uma finalíssima.

Após a derrota em Barcelos, os Branquinhos, “hipotecaram” a esperança de chegar ao 5º lugar, e agora está em jogo manter o 6º lugar, e honrar o emblema que trazem ao peito.

Na Feira, e em comparação à última partida, Rui Vitória deve fazer várias alterações no 11 inicial, pois são muitas as baixas na formação Vitoriana.

Assim na baliza, e com Nilson lesionado, Douglas terá a oportunidade de se estrear em jogos da Liga, um prémio justo para o guarda-redes brasileiro.

Na defesa, e já com Alex disponível, falta saber se o Técnico Vitoriano, irá fazer regressar o experiente lateral ao lado direito da defesa, ou continuar a apostar no jovem João Amorim, que fez uma exibição sem comprometer, na sua estreia em Barcelos.

Já no eixo da defesa, e sem puder contar novamente com o “patrão” João Paulo, o maliano N´Diaye (continua um defesa muito “ingénuo” na abordagem a vários lances), deve continuar a formar dupla com Rodrigo Defendi (o seu rendimento é muito diferente, para melhor quando joga com João Paulo).

Na zona intermediária, Leonel Olímpio, será o substituto de Pedro Mendes, regressando 3 jogos depois da sua última aparição frente ao Paços de Ferreira.

Na posição 10, Barrientos irá jogar na vaga deixada por Nuno Assis. O uruguaio, jogou nas duas últimas partidas, no lado esquerdo do ataque, mas volta agora a assumir as funções de playmaker, posição onde se sente mais à vontade e rende mais.

Com Barrientos a jogar na posição 10, Marcelo Toscano, regressa à titularidade, jogando numa das faixas do ataque Vitoriano, voltando à titularidade 4 jogos depois do seu último jogo, que foi diante do Rio Ave.

Quem pode ser a surpresa no 11, é o júnior Ricardo (a sua integração no plantel sénior, tem sido gradual, e Rui Vitória, tem gerido bem o seu timing de entrada na Equipa), que deve merecer a oportunidade para jogar de início, substituindo Urreta, que tem feito jogos medíocres, mostrando estar a jogar sem grande motivação para o fazer. Jogando Ricardo de início, Toscano vai jogar no lado direito, e o jovem Ricardo, alinhará no lado esquerdo do ataque.

Na frente de ataque, Soudani vai continuar a ser a referência na área, tentando dar continuidade às boas exibições que tem realizado, e onde tem feito golos (em Barcelos viu anulado um golo legal).

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
Após a entrada de Henrique Nunes no comando técnico, o Feirense, conseguiu em 3 jogos, dois triunfos e um empate, o que valeu a saída da linha de água, passando a depender de si próprio para garantir a manutenção.
A nível tático, Henrique Nunes, tem explanado a sua Equipa num 1x4x2x3x1 (um duplo-pivot com Bamba e Mika, depois Miguel Pedro na posição 10, Diogo Cunha e Diogo Rosado nas alas, e Buval a ser a referência na área), com a Equipa a mostrar-se muito solidária, e a conseguir pontuar que é o mais importante nesta fase.
A jogar em casa, o Feirense é sempre mais forte, e tenta sempre explorar as pequenas dimensões do seu relvado, apostando num futebol mais direto.

Pontos Fortes
* Qualidade que Equipa vem evidenciado no setor defensivo, onde nas duas últimas partidas não sofreu qualquer golo.
* Siaka Bamba, tem sido titular nos últimos jogos, e o costa-marfinense, veio dar mais” pulmão”, e raça à zona intermediária dos fogaceiros.
* Diogo Cunha tem jogado como extremo direito (e não na posição 8,que era como jogava na era Quim Machado), e tem desequilibrado com a sua capacidade técnica naquela faixa.
* O francês Buval, tem feito golos, e mostra qualidades (velocidade, técnica e bom jogo aéreo) na frente de ataque.
* Nos lances de bola parada, o Feirense cria muito perigo, seja em lançamentos laterais longos, ou nas bolas paradas, onde tem jogadores fortes no jogo aéreo,casos de Varela, Luciano e Buval.

Pontos Fracos
* Dupla de centrais constituída por Varela e Luciano, é muito forte no jogo aéreo e no “choque”, mas denota muita lentidão, principalmente o já veterano Luciano, que já não tem “jogo de cintura” e joga de “cadeirinha”.
* Nas laterais, Stopira à esquerda, dá muito espaço nas costas, o que faz descompensar o lado esquerdo da defesa.
* A ansiedade de ter que ganhar, para fugir à despromoção pode causar nervosismo à formação da Feira.

  Categories: