Gralha na Malapata

Numa noite de muito frio e com muito poucos adeptos no D. Afonso Henriques, o Vitória não conseguiu quebrar o enguiço que se arrasta à 18 temporadas, ao empatar esta noite frente ao Paços de Ferreira.

O resultado final, acaba por ser justo, pois se na primeira parte o Vitória jogou melhor, criou mais ocasiões, e controlou o jogo, na segunda parte foi exactamente o inverso.

Edgar, pouco passava da meia hora de jogo, conseguiu abrir uma brecha no dique construído pelos Castores, coroando a melhor exibição do Vitória durante os primeiros quarenta e cinco minutos. Mas essa brecha foi facilmente reparada depois do descanso, quando a equipa que viajou de Paços de Ferreira fechou muito bem as suas aberturas, conseguindo um jogo de contra ataque muito perigoso, e curiosamente, a primeira jogada de perigo do Vitória na segunda parte, foi o mote para o golo do empate, onde a defesa tem todas as culpas, por deixar o jogador contrário cabecear a bola sem oposição…

O Vitória foi displicente no modo como segurou o resultado, e Manuel Machado, desta feita não foi feliz nas substituições. Se a entrada de Rui Miguel se adivinhava para se manter a posse de bola, logo de seguida uma Gralha da equipa de arbitragem, que após entrada perigosa do jogador do Paços, que colocou em causa a integridade física do jogador (Rui Miguel fez uma fractura do Rádio), sem qualquer tipo de admoestação disciplinar… Este foi apenas um lance que Gralha se esqueceu dos cartões no bolso, pois era tal a intensidade física dos visitantes que certamente, caso as regras tenham sido cumpridas, terminariam com 9 jogadores em campo, ou menos. Toscano também entrou sem saber muito bem qual seria a sua posição em campo, pois ora estava como falso número 10, ora nas alas…

Mas o Vitória esta noite não ganhou, por demérito próprio, pois não soube aproveitar a vantagem, e continua a falhar inúmeras oportunidades de golo, nomeadamente por parte de Edgar, que continua a esquecer a sua posição de ponta de lança, e continua a vir aos flancos e meio campo buscar e distribuir jogo, deixando a sua posição abandonada.

No final deste jogo, o Vitória perdeu dois importantes pontos para a corrida Europeia, e pode ser apanhado pelo Sporting na tabela classificativa.

Antes da deslocação a Aveiro, último jogo do ano, o Vitória recebe no próximo Domingo o Torreense para a Taça de Portugal.