Júlio Mendes não nega a Liga e faz outras revelações

julio_mendes

@ Júlio Mendes

Júlio Mendes deu hoje uma entrevista na Rádio Fundação ao programa Contra Ataque das 21 às 23 onde abordou vários assuntos da actualidade vitoriana.

O presidente vitoriano fez um balanço positivo do mandato, negou a existência de salários em atraso, referiu que o clima de contestação prejudica possíveis investidores e revelou que um grupo inglês perdeu alguma confiança no projecto após os acontecimentos no final da partida com o Arouca.

Relativamente à saída de Luís Cirilo, tentou não abordar o assunto mas admitiu que os restante vice-presidentes estavam desagradados com a postura de Cirilo que segundo Júlio Mendes falava demasiado com a imprensa. Mas afirmou também: “Se fosse só isso… Existem outras questões que não quero referir”.

No que diz respeito ao processo de inquérito à direcção anterior, Júlio Mendes disse que já está concluído e que poderão ser tomadas algumas atitudes, entre elas um processo disciplinar que pode resultar na expulsão de sócio de Emílio Macedo.

Na 2ª parte da entrevista o dirigente vitoriano começou por falar sobre o “caso Zenit”, afirmando que apesar de não ter reagido publicamente isso não quer dizer que não tenham trabalhado no caso. Júlio Mendes diz que se o Vitória avançar com algo não terá benefício nenhum, nem desportivo nem financeiro apenas irá comprar uma guerra.

Sobre a prestação neste campeonato admitiu que não ficou satisfeito, mas que é preciso ter noção da realidade actual do clube, e que as lesões e os castigos ainda dificultaram mais a missão.

Relativamente à próxima época segundo Júlio Mendes poderá haver um aumento do orçamento mas isso implicará um envolvimento de parceiros, entre eles Mário Ferreira. Estão a trabalhar nesse sentido, mas não quer criar expectativas que podem resultar em frustrações.

No que diz respeito a Rui Vitória o presidente vitoriano disse que o treinador reúne as características e capacidades para continuar este projecto mas que o processo de renovação ainda não está concluído.

Sobre as renovações de jogadores, no caso de Marco Matias referiu que o empresário Luís Alves desrespeitou o Vitória pela forma como conduziu o processo. E a renovação de Assis irá ser complicada devido ao empresário que o representa (o mesmo de Marco Matias).

Já sobre possíveis vendas de jogadores no Verão, admitiu que existem propostas de clubes nacionais e estrangeiros por alguns jogadores valiosos do clube mas que neste momento nada está decidido e que isso dependerá também do possível maior envolvimento de Mário Ferreira e outros parceiros que já foi referido atrás.

Quanto ao tema mais falado pelos vitorianos, o presidente vitoriano disse que uma candidatura à Liga acarreta muitas responsabilidades. Afirmou que não se vê com perfil para ser candidato, mas nunca negou uma possível candidatura.