Lalkovic… Uma Incógnita Num Projecto De Avançado! [Análise/Vídeo]

O Chelsea sempre teve uma ampla rede de olheiros que procura recrutar os mais jovens talentos, na mais tenra das idades… no fundo, uma ideia de auto-sustentação para o clube não necessitar de  pensar, eternamente, em despender inverosímeis fortunas em homens da estirpe de Drogba, Torres, ou David Luiz, entre tantos outros!

Nessa lógica, todos os anos chegam a Londres jovens ansiosos por demonstrar a sua qualidade e ingressarem nos escalões jovens do clube, tendo alguns mais sucesso que outros… na senda dos fracassados um nome vem imediatamente à memória: o português Fábio Paim.

No sentido inverso, poderemos citar alguns nomes que, aos poucos, vão saindo do viveiro blue e demonstram capacidades para deixar uma marca no futebol profissional. Homens como Miroslav Stoch, Fabio Borini, Jeffrey Bruma ou Patrick Van Aanholt são já certezas no futebol europeu.

O jovem eslovaco Milan Lalkovic encontrar-se-à no meio termo… não teve o destino de Paim com a imediata dispensa, mas, também, jamais conseguiu actuar no equipa principal e impor-se, não obstante as esperanças que os ingleses mantêm nele.

Fruto da emigração dos países de Leste para Inglaterra, aos catorze anos haveria de apresentar-se à experiência no Chelsea! Ficaria e faria toda a formação na Academia idealizada por Abrahmovich.

Aí, actuando em qualquer posição do ataque tornar-se-ia membro indispensável da equipa que venceu a FA Youth Cup, especie de campeonato de júniores inglês.

Destacando-se pela sua rapidez e imprevisibilidade, demonstrou uma prometedora capacidade para se desmarcar entre as defesas contrárias, apontando golos importantes.

Chegado aos seniores e internacional pelos escalões jovens da sua Eslováquia natal, haveria de ser cedido ao Doncaster Rovers… uma experiência árdua num clubes dos escalões mais baixos ingleses, mas com o objectivo de ganhar tarimba! Apesar do empréstimo ter, apenas, a duração de um mês, haveria de ser prorrogado por outro, partindo depois para a Holanda para jogar no Ado Den Haag, onde não se afirmaria.

Apesar disso, seria convocado para os sub-21 do seu país, mantendo o sonho de um dia actuar ao lado da maior estrela do seu país: o napolitano Marek Hamsik.

Em Guimarães, espera-o um árduo desafio: afirmar-se para Di Matteo poder equacionar apostar nele na próxima pré-temporada, demonstrando ter merecido toda a fé nele depositada…ou, na pior das hipóteses gastar a última oportunidade que o clube deposita nele! Vê-lo no próximo ano a emparceirar com Torres, seria sinónimo de uma estada feliz na terra do Rei