Luís Cirilo- Decálogo

CiriloEstamos em semana de derbi minhoto.

Entre Vitória e Sporting CB naquela que é a mais velha rivalidade do país e que extravasa desde sempre a componente desportiva para traduzia a existente entre duas comunidades vizinhas com mil anos de História em comum.

Ao longo de dezenas de anos de confrontos desportivos em termos de futebol(porque em modalidades o Sporting CB foi quase sempre muito pobrezinho) são mil e uma as histórias que se contam de peripécias nos jogos entre ambos e que deram sempre origem a acaloradas discussões e polémicas como é próprio de verdadeiras rivalidades.

Contudo, e com uma ou outra excepção que mais não fez do que confirmar a regra, os dois clubes souberam sempre até onde ir e onde deviam parar!

O que não obstou a que ao longo dos anos, por algumas vezes, tivessem estado de relações cortadas mas nada que o tempo e conversas civilizadas não resolvessem da melhor forma.

Houve até algumas épocas em que os dois emblemas disputavam na pré temporada a chamada taça “Amizade” que viria a extinguir-se dada a falta de interesse de que se revestia face ás repetidas vitórias do… Vitória.

Tudo mudaria para pior com a chegada à presidência do Sporting CB do actual presidente.

Anti vitoriano primário, profundamente invejoso da nossa dimensão associativa, complexado por 80 anos de superioridade do Vitória encetou um caminho de permanente hostilização ao nosso clube que o levou a não olhar a meios para atingir os fins protagonizando atitudes e comportamentos que apenas envergonham aqueles que no seu clube não se deixam cegar por fanatismos bacocos e tropelias repetidas.

Todos nos recordamos da maioria delas sendo que a protagonizada em 2011, ao negar-se a cumprir um acordo com a então direcção do Vitória em volta de um número significativo de bilhetes, raiou a canalhice pura e dura dando o retrato real do personagem.

Esta época mais uma vez as provocações saloias do Sporting CB roçam o absurdo.

Desde o cartaz a anunciar o jogo de sexta feira em que o nome do Vitória está incorrectamente escrito a um comunicado da SAD bracarense cheio de soberba e arrogância em que referindo-se ao Vitória nem por uma vez cita o nome do nosso clube.

Basta!

Basta de aturar o senhor presidente do Sporting CB e de o tratar como um cavalheiro que ele não é nem nunca será.

E por isso deixo aqui dez ideias sobre como deve o Vitória relacionar-se com o Sporting CB enquanto o clube de Trás Morreira tiver à frente dos seus destinos esse personagem:

Mais que não seja para que a nossa Honra enquanto clube sério e que se deve dar ao respeito for uma prioridade para todos nós.

  1.  Todas as relações institucionalmente necessárias com o Sporting CB devem ser exclusivamente através de carta registada com aviso de recepção. É assim que se procede com quem não tem palavra.
  2. Nos jogos em casa devem ser dados ao visitante apenas o minimo de bilhetes a que a LPFP obriga e ao máximo preço regulamentar. Para que saibam que não temos gosto nenhum em os ter cá.
  3. Os convites a ceder ao Sporting CB devem ser apenas aqueles a que a LPFP obriga. Nem mais um!
  4. No camarote presidencial os oito lugares para o clube visitante devem ser na ultima fila e os 55 restantes convites devem ser para os camarotes junto aos topos. Para que fique claro que já que temos de os receber que seja o mais longe possível porque não os queremos por perto.
  5. Face aos comportamentos dos adeptos do Sporting CB, nomeadamente no Vitória B- Sporting CB B em que sem culpa nenhuma fomos os unicos a ser castigados, serão os mesmos acantonados no topo norte inferior e para o efeito será construida uma “jaula de segurança” a exemplo do que se vê noutros estádios nacionais e estrangeiros.
  6. Não existirá qualquer tipo de convivo ou confraternização com os orgãos sociais do Sporting CB sendo exigida a identificação dos seguranças de que o seu presidente se costuma fazer acompanhar.
  7. Nas deslocações ao novo recinto municipal bracarense das equipas vitorianas nenhum membro dos orgãos sociais do Vitória marcará presença como forma de mostrar a nossa repulsa face à forma como ali somos tratados.
  8. Rigorosa proibição de acesso aos balneários do nosso estádio de membros da comitiva do Sporting CB que não estejam devidamente credenciados para o efeito. É uma forma de restringir os “comícios” que o presidente do Sporting CB gosta de fazer nos corredores quando perde os jogos.
  9. Impedir o acesso à nossa sala de imprensa de qualquer membro da comitiva do Sporting CB que não seja o respectivo treinador.
  10. Nos placards do estádio, e em todos as promoções do jogo da responsabilidade do Vitória, o visitante deve ser tratado por Sporting CB dado ser esse o seu nome. É também uma forma de respeito porque quem tem a infelicidade de não ter nome próprio e sim a aglutinação do nome de outro clube, da designação genérica de “clube” e do nome da cidade onde está sediado.

Estas medidas entre outras possiveis devem ser acompanhadas de duas preocupações.

Rigoroso cumprimento do regulamentos da Liga de molde a que o visitante seja tratado com toda a correcção mas sem qualquer simpatia.

Pedagogia junto dos nossos adeptos para que se concentrem no apoio à nossa equipa e ignorem (incluindo o antes e o depois do jogo) os adeptos adversários que se desloquem a Guimarães.

Tenho pena que as coisas sejam assim.

Mas foi o actual presidente do Sporting CB que o quis e, mais do que querer, tudo fez para que assim fossem.

É tempo de ele perceber, embora admito que seja tarefa dificil, que com o Vitória não se brinca.

  Categories: