Luís Cirilo na Rádio Fundação!

Luis Cirilo esteve hoje em entrevista na Rádio Fundação.

Em entrevista conduzida por Carlos Ribeiro no programa “Contra Ataque”, Luís Cirilo revelou que existem salários em atraso, para além de outros assuntos que marcam o momento vitoriano. As reacções às entrevistas de Emilio Macedo e Pimenta Machado, as críticas ferozes à gestão do ex-responsável máximo a formação vitoriana, as possíveis transferências no mercado de inverno, as análises aos momentos actuais da equipa A, da equipa B e das modalidades amadoras, foram alguns dos pratos fortes desta noite. Duas horas de boa conversa, num programa que vai marcando a agenda vitoriana.

Ao longo da primeira hora, Luis Cirilo foi duro nas críticas ao ex-dirigente do futebol de formação Manuel Fernandes tendo falado ainda da sua mudança de opinião sobre a constituição da SAD e também da entrevista de António Pimenta Machado.

A Manuel Fernandes estavam destinas as maiores cítricas, com revelações de gastos surpreendentes com o cunho do ex-responsável pela formação do clube. Desde almoços de 800€ facturados ao Vitória, facturas de 40€ de gasóleo em viagens até Braga, gastos em champagne ou até chocolates e ainda facturas de livros escolares para não atletas do Vitória. Luis Cirilo revelou ainda que tudo está a ser averiguada, preferindo catalogar este tipo de gestão de, pelo menos, “gestão não vitoriana”. Relativamente a Emílio Macedo, Cirilo voltou a sublinhar que “quem atirou o Vitória para esta situação não merece perdão” e que a melhor análise feita à sua gestão saiu da boca de Luciano Baltar, quando o ex-vice admitiu que era difícil fazerem pior.

Sobre a mudança de opinião em relação à SAD, Luís Cirilo afirmou que este era o único caminho que o Vitória poderia percorrer, e que a sua mudança de opinião se deve à alteração da realidade do clube.

Finalmente e sobre Pimenta Machado, afirmou que é pena que só agora se tenha lembrado do Vitória, recordando que o ex-presidente já há muito que deixou de acompanhar o clube e os seus jogos.

Na segunda hora de emissão, Luis Cirilo abordou o momento actual das equipas vitorianas, falando também sobre possíveis transferências na reabertura do mercado, bem como das suas escolhas para a orgânica das equipas..

Apesar de reconhecer a qualidade de jogadores como Nabil Ghilas e Moreno, o vice-presidente para o futebol negou as suas aquisições, admitindo que apenas em condições muito especiais ambos poderiam ingressar no Vitória, uma vez que o Vitória não tem capacidade financeira para esses jogadores.

Quanto a vendas falou-se da possível saída de Soudani ou de N’Diaye bem como de outros jogadores que possivelmente estarão na CAN. Revelou também que vários clubes já abordaram o Vitória sobre uma possível transferência destes atletas, confirmando uma abordagem muito recente e concreta sobre o internacional Maliano do Vitória, N’Diaye.

Com o desenrolar da conversa Luís Cirilo acabou por revelar que o Vitória tem tido de novo dificuldades para regularizar os salários aos jogadores, confirmando dois meses de salários em atraso, que se tornarão três nos próximos dias. Ainda assim, Luis Cirilo mostrou-se confiante que a situação será regularizada brevemente, apesar de confessar alguma “intranquilidade” no balneário mas que segundo o vice-presidente vitoriano não afectará o rendimento dos jogadores.

Em relação a Rui Vitória, o vice presidente para a área do futebol e modalidades amadores diz que deposita muitas esperanças no treinador e que o Vitória está bem servido quer na equipa B quer na equipa A.

Finalmente, e sobre as modalidades amadoras Luís Cirilo revelou que gostaria de ver introduzido no Vitória uma nova modalidade, a ginástica de manutenção, ao mesmo tempo que fechou as portas à criação de outras modalidades no clube. Luis Cirilo diz no entanto não poder garantir que as modalidades existentes não possam estar em risco, apesar de depositar grandes esperanças que, também neste caso, os problemas financeiros acabarão por ser resolvidos.