Luís Cirilo – NIKE vs LACATONI

Cirilo

Sou de um tempo, o que não é grande vantagem, em que os equipamentos dos clubes incluindo o Vitória eram de produção artesanal sem qualquer marca de artigos desportivos a fornecê-los.

Feitos em confecções da região, no nosso caso, eram totalmente brancos ou com calção preto (como gosto mais) apenas se usando a camisola preta alternativa quando defrontávamos o Farense e poucas mais ocasiões.

Não havia marcas, nem publicidade nos equipamentos, nem nome nas camisolas.

Depois as coisas foram-se modificando, muito em especial depois do Mundial de 1974 na Alemanha, com as marcas a aparecerem em força no futebol e a vestirem praticamente todas as equipas que disputam competições profissionais e não só.

O Vitória não fugiu a essa regra.

E muitas passaram pelo clube.

Adidas, Le Coq Sportif, John Smith, Kappa, Olympic, Umbro, Hummel entre outras de que não me recordo até chegarmos à Lacatoni.

Que é portuguesa, é da região, fornecia em boas condições para o clube mas foi sempre uma mal-amada dos adeptos por razões várias.

Desde a qualidade das camisolas, ao design das mesmas, passando pelo equipar clubes desde a I liga até aos distritais.

Pessoalmente, e talvez saudoso de magníficos equipamentos do passado das marcas acima referidas, nunca fui um entusiasta da Lacatoni e sempre manifestei o desejo de ver o Vitória um dia vestir Nike a maior marca mundial de artigos desportivos e que equipa alguns dos melhores clubes e selecções do mundo inteiro.

Portugal e Brasil, Barcelona e Manchester United, são apenas dois exemplos do afirmado.

Quis o destino, e a vontade dos homens, que a época passada marcasse o final da ligação do Vitória á Lacatoni e o início de um contrato com a …Nike.

Mas o destino por vezes é irónico.

A Lacatoni (e a Pop) fizeram na despedida os equipamentos mais bonitos que a marca forneceu ao Vitória durante os anos de ligação ao clube: as camisolas branca e preta eram francamente bonitas e a branca com a cruz azul da fundação da nacionalidade (não por acaso muitos adeptos chamavam-lhe a camisola do Afonso Henriques) foi o enorme sucesso que se sabe.

A acrescentar a isto ainda fizeram uma camisola para a final de taça que também ela era lindíssima.

E onde está a ironia?

Está no facto de a desejada Nike ter entrado no clube com três camisolas…fraquinhas.

A branca ainda se tolera mas a preta é francamente feia e a dourada das competições europeias é também ela decepcionante.

Sei que são produtos de catálogo por não ter existido tempo para mais.

Mas não era esta Nike que eu “sonhava” ver equipar o Vitória mas sim a Nike que faz equipamentos fabulosos para as grandes equipas e selecções que todos conhecemos e admiramos.

Ao que me dizem na próxima época será bem diferente.

E aí a Nike produzirá equipamentos com desenho exclusivo e não produtos de catálogo capazes de traduzirem uma efectiva ligação entre o clube e a região e susceptiveis de entusiasmarem os adeptos a comprá-los.

Porque ao preço que hoje custa uma camisola convém que para além do gosto do adepto em usar algo idêntico aos jogadores sinta também que compra algo que lhe agrade do ponto de vista estético.

Para já os equipamentos não cumprem esse desiderato.

De registar positivamente, isso sim, que a chegada da marca americana já provocou significativas alterações para bem melhor na decoração das duas lojas do Vitória que tem agora um aspecto muito mais atractivo e agradável à vista.

Espera-se, há já algum tempo, é que essa mudança seja complementada com uma diversidade muito maior do merchandising disponível (da Nike e não só) porque nessa matéria da Lacatoni para a Nike não houve qualquer evolução.

E uma loja do Vitória onde não se vendem bolas com o símbolo do clube, onde não há bonés paras o sol com o emblema do Vitória, onde a linha infantil (segmento de mercado a que os grandes clubes dão a máxima prioridade) é incipiente não está a cumprir cabalmente as suas funções nem a dar ao Vitória o contributo exigível.

E estes são apenas três exemplos de muitos que poderiam ser dados.

De qualquer forma já “temos” a Nike a equipar o Vitória e isso é extremamente positivo.

Porque a nós Vitória o que serve estrategicamente são as parcerias com marcas de referência a nível mundial.

Dá-nos dimensão.

E obriga-nos a sermos cada vez mais exigentes connosco próprios!

  Categories: