Moreirense-Vitória (Antevisão)

A Liga está de regresso, e logo com o maior Derby Concelhio, que após 7 anos volvidos está de regresso ao panorama futebolístico nacional.

Frente a frente Moreirense e Vitória medirão forças no Comendador Joaquim Almeida Freitas.

Se o Moreirense ainda não conheceu o “amargo” sabor da derrota, já o Vitória ainda não conseguiu vencer na atual Edição da Liga.

É neste contexto, que as duas Equipas mais representativas do Concelho entrarão em campo, e tentarão proporcionar um grande espetáculo de futebol aos espetadores que estarão presentes no recinto do Clube Cónego, que deverá mesmo registar casa cheia.

Do lado Conquistador, viajarão 2 Mil Adeptos Vitorianos, que vão “empurrar” os Branquinhos para o 1º Triunfo na Prova.

A arbitragem estará a cargo de Artur Soares Dias, que após 2 anos e meio do “roubo” efetuado num Derby Minhoto, aparece agora novamente num Derby Concelhio.

O que se espera, é que não volte a fazer as habituais “habilidades”, sempre que arbitra um Jogo do Vitória.
Uma coisa é certa da parte dos Vitorianos nunca será esquecido o que este árbitro fez na célebre partida.

Questão Técnico-Tática

Para o Jogo em Moreira de Cónegos, Rui Vitória deve em comparação à última partida frente ao Estoril, fazer 3 alterações no 11 inicial.

Assim no lado canhoto da defesa, e já sem Bruno Teles, o Ganês David Addy será o novo lateral esquerdo Vitoriano.

Neste momento Addy, ainda não está na melhor plenitude física, o que ainda não lhe permite aguentar com o mesmo ritmo os 90 minutos. Frente ao Moreirense, é importante que Addy acima de tudo, a nível defensivo esteja seguro, pois o extremo direito Wagner, é muito rápido, forte no 1×1, e faz bem a diagonal da direita para o centro do ataque.

No restante do setor defensivo, não haverão alterações, pese embora no lado direito da defesa, Alex não estar num bom momento (fechou muito mal a zona central no 1º golo do Estoril, e cometeu uma falta desnecessária que originou o 2º tento Estorilista). É necessário que o Capitão, corrija estes erros (João Gonçalves está à “espreita” do lugar), e consiga também a nível ofensivo, dar mais apoio e profundidade (o Moreirense jogará sem um extremo canhoto puro, e o Alex pode aproveitar este detalhe) no corredor direito.

No eixo da defesa, e apesar dos 6 golos sofridos nas duas últimas partidas, N´Diaye e Defendi continuarão a formar parelha.

Na zona intermediária, deve ocorrer mais uma alteração por parte de Rui Vitória, com Barrientos (tem que jogar simples, e arranjar linhas de passe, mas até agora só se tem visto o uruguaio, muito “agarrado” à bola, e sem conseguir pautar o jogo ofensivo)a sair da Equipa, e a entrar Leonel Olímpio no 11, passando André (jogando mais à frente, o Vitória pode tornar-se mais forte no último passe, situação onde André é forte) a assumir a posição 10.

Com esta alteração, o Vitória na zona nevrálgica do terreno, ganhará mais “músculo” e poder de choque, e perderá mais a nível de capacidade técnica. Ainda assim, e porque o Moreirense, é uma Equipa muito compacta e “agressiva” no miolo do terreno, a entrada de Olímpio pode ser importante, de forma a que o Vitória possa ganhar a luta a meio-campo.

Outra possibilidade, passa pela inclusão de Tiago Rodrigues (tem muito potencial e é um verdadeiro playmaker) na posição 10 e o duplo-pivô Adoua e André mantem-se em frente à defesa.

Na frente de ataque, e com Toscano lesionado (ainda assim e mesmo que estivesse apto, a sua inclusão no 11 era neste momento injusta, pois o brasileiro está em claro sub-rendimento), João Ribeiro jogará no lado esquerdo do ataque, com o português a poder trazer mais largura e profundidade no flanco esquerdo, e também mais capacidade no 1×1, pois é um extremo que gosta de partir para cima do lateral adversário.
Já Ricardo, continuará no lado direito do ataque, ainda que o jovem extremo, possa fazer mais do que o que tem feito, pois a sua velocidade e capacidade técnica (tem que ter mais confiança no 1×1), podem claramente decidir uma partida.

Na área, é preciso um Soudani mais certeiro, pois o argelino na última partida, pese embora ter trabalhado muito em prol da Equipa, teve duas bolas de golo, mas a finalização não saiu bem. É importante, que Soudani faça o que bem sabe fazer, que são golos, que levarão o Vitória aos triunfos.
Os Branquinhos, podem fazer muito mais do que tem feito, e é fulcral que a concentração e a vontade em fazer um bom jogo, seja constante durante os 90 minutos de uma partida, e não apenas durante 15 minutos (onde ai se viu um Vitória agressivo e a pressionar alto e bem o adversário), como se constatou no último desafio frente ao Estoril.

Jogando um futebol de pé para pé (a 1ª fase de construção de jogo, deve começar logo no Douglas, tentando a Equipa sair de trás a jogar, e não apenas como acontece muitas vezes já na 3ª fase de construção de jogo, ou seja no miolo do terreno), fazendo uma boa circulação de bola, e dando largura e velocidade pelos corredores, o Vitória conseguirá trazer o triunfo de Moreira de Cónegos, o que seria muito importante em vésperas de mais um Derby.

Força Vitória e Vitória Sempre!

O Moreirense, tem sido a surpresa da Liga, após já ter amealhado 5 pontos em 3 Jornadas, conseguindo empatar fora em 2 terrenos difíceis (Paços de Ferreira e Aveiro) e ter ganho em casa de forma convincente ante um candidato europeu como é o Nacional.

Sempre dentro do rigor orçamental, o Moreirense tentará alcançar a manutenção no escalão maior do futebol português.

Sistema Tático
A nível tático, o Moreirense de Jorge Casquilha (Treinador competente e astuto), joga num 1x4x3x3x, ainda que possa desdobrar-se num 1x4x4x2, com Fábio Espinho a “fugir” do lado esquerdo do ataque, para a zona central do meio campo, e Wagner se aproxime de Ghilas.

O Moreirense, é uma Equipa equilibrada e muito abnegada, e que gosta de sair rápido e de forma simplicista na transição ofensiva.

Frente ao Vitória tentará ganhar a luta no miolo do terreno, e apostar na velocidade de Wagner e tentando que Nabil Ghilas que é muito forte fisicamente, ganhe espaços junto a área, abrindo dessa forma “brechas” na defesa do Vitória.

Pontos Fortes
* Na defesa, Ricardo Pessoa é um lateral direito experiente e que é muito competente a defender, e que apoia bem o ataque. No eixo da defesa, Diego Gaúcho (muito forte no jogo aéreo e na marcação) é o patrão da defesa.
* No miolo do terreno, Vinícius é forte fisicamente e ganha muitas bolas, Filipe Gonçalves é o elemento que equilibra a Equipa e Pintassilgo a nível tático é de grande utilidade para a Equipa. Já Fábio Espinho, é o cérebro da Equipa, e pauta o jogo ofensivo com “mestria”, sendo também muito forte nos passes de ruptura.
* No ataque, Wagner é muito rápido e com boa capacidade técnica, e Nabil Ghilas, é um “quebra-cabeças”, pois dá muito trabalho aos defesas. No banco, atenção ao veloz Jó (pode agitar um Jogo), e ao possante Rafael Lopes.
* Nas bolas paradas ofensivas, é necessária atenção a Diego Gaúcho (aparece ao 1º poste) e Nabil Ghilas (surge de trás no 2º poste, ainda que por vezes invertam as movimentações) que são fortes no jogo aéreo.

Pontos Fracos
* Na defesa, Anílton Júnior sente muitas dificuldades quando se depara com um avançado rápido (bolas nas costas devem ser exploradas), e também a nível posicional comete erros que podem custar à sua Equipa. No lado esquerdo, Augusto também tem debilidade em parar extremos fortes no 1×1 e velozes (Ricardo pode desequilibrar no lado direito do ataque).
* Quando se sente pressionado logo na saída de bola, o Moreirense sente dificuldades em armar jogo, e não consegue articular o seu futebol simples e prático.
* Muitas dificuldades nos cruzamentos para a zona do penalty (Anílton posiciona-se mal, e é muitas vezes Ricardo Pessoa que tem que fechar a zona central). Numa fase mais avançada da partida a colocação de Baldé (forte no jogo aéreo) pode ser também a “chave” da partida.

  Categories: