Nilson Diz Não Ao Burkina Faso! (Com Comunicado)

É a notícia que foi a ser avançada pela Guimarães TV e, já, confirmada por Nilson no sítio oficial do clube.

Com efeito, o guardião vitoriano Nilson, que houvera aceite antes da final da Taça de Portugal naturalizar-se cidadão do Burkina Faso para defender as balizas dos africanos, renunciou à selecção.

Tal atitude, que custará ao jogador cinco mil euros por cada jogo que fizesse, segundo a mesma fonte, deve-se ao facto de o actual líder das balizas vitorianas pretender concentrar-se ao máximo no Vitória, procurando afastar tudo o que possa comprometer o sucesso da época.

Recorde-se, que caso Nilson acedesse ao convite do treinador Paulo Duarte, seleccionador dos Garanhões, iria estar longe de Guimarães e do Vitória durante todo o mês de Janeiro, altura em que se disputará a Taça das Nações Africanas de 2012.

Aqui, reproduzimos o comunicado do guardião vitoriano, devidamente transcrito do sítio oficial.

Depois de conversar com a minha família, entendi que a decisão de representar a Selecção Nacional do Burkina Faso provocou algum desconforto na Direcção, equipa técnica e adeptos do Vitória. Por essa razão, decidi renunciar a competir pelo Burkina, até porque esse convite significou apenas uma extensão da felicidade que sinto ao representar o Vitória Sport Clube. Quando percebi que este assunto não caiu bem entre os responsáveis do clube e os seus próprios adeptos, renunciei imediatamente à anterior decisão. Estou no Vitória de corpo e alma, é o clube que amo! Nunca trouxe problemas e não seria agora, aos 35 anos e a caminho da sétima temporada no Clube, que isso iria suceder. Abdico de tudo porque nunca quis tomar uma decisão que fosse prejudicial ao Vitória.

Por último, os meus sinceros agradecimentos ao Paulo Duarte, pelo convite e pela forma como me recebeu no seio daquela Selecção. Tive o privilégio de o conhecer como homem e treinador, demonstrando a sua grandiosidade através da sensibilidade com que encarou este volte-face na minha carreira.