O 12º Elemento…

Dizia Emílio Macedo da Silva, no final do desafio, que parece que a 28ª jornada acarreta em si alguma maldição…

Com efeito, se, para o presidente vitoriano, no transacto ano, nesta mesma jornada, o Vitória fora escandalosamente espoliado no desafio disputado a vinte quilómetros de casa por Soares Dias, este ano o escândalo sucedeu em Paços de Ferreira e o larápio teve o nome de Bruno Esteves.

Apesar do engano do líder vitoriano, já que o desafio com o eterno rival, ocorreu à vigésima quinta jornada do pretérito campeonato, a verdade é que o jogo de ontem teve algumas semelhanças com o famigerado desafio da Sexta feira Santa da temporada passada.

Deste modo, numa das melhores exibições da época, tudo se desmoronou graças à habilidade do suposto juiz sadino que conseguiu oferecer o jogo aos pacenses.

Com efeito, não obstante o golo madrugador de Faouzi, tudo se complicaria com um conjunto de inacreditáveis decisões.

A saber:

– grande penalidade, claramente, escamoteada por derrube de Faouzi e concomitante cartolina amarela ao marroquino do Vitória;

– Segundo amarelo a Faouzi num lance com Cássio, por simulação, sendo que pareceu que o magrebino escorregou e não simulou. Ademais, a principal lei do futebol, que é a do bom senso não foi respeitado;

– No seguinte minuto, inenarrável grande penalidade vislumbrada por suposta falta de Cléber Monteiro.

Com tamanha dualidade de critérios, era difícil alcançar o óbvio que era chegar ao intervalo com uma vantagem clara no marcador… Assim, com a estrela da companhia da capital do móvel, a equilibrar a contenda, a partida chegava ao intervalo empatada.

Na segunda metade, pese embora os branquinhos se encontrarem a actuar com dez elementos, sempre procuraram a vitória…lutaram galhardamente, lançando-se em liça rumo à vitória. E, Rui Miguel, teria até a melhor oportunidade desta parte do desafio, obrigando Cássio a miraculosa intervenção.

Porém, no destino estava escrito, que de uma maneira ou de outra, o Vitória haveria de recordar amargamente este jogo…e o pequeno Caetano, num golpe acrobático, haveria de bater Nilson selando os três pontos e garantindo a Bruno Esteves o título de MVP do desafio, já que sozinho conseguiu colocar os durienses na senda de uma vitória que até à expulsão de Faouzi parecia improvável… Infelizmente, é assim o futebol português!

imagem: vitoriasc.pt