O Conquistador Silencioso!

Tem sido a surpresa do início da temporada vitoriana.

Com efeito, nem o mais optimista dos adeptos apostaria que João Ribeiro se tornasse uma das peças basilares do sistema de Rui Vitória. Na verdade, apesar de ver o seu talento unanimemente reconhecido, certo é que as duas temporadas anteriores funcionaram como um retrocesso numa carreira que se antevia fulgurante.

Assim, depois de um ingresso fulgurante nas cores d’el Rei, com uma estrondosa exibição frente ao Benfica, em que dinamitou a estratégia do, então, campeão nacional, o jovem parecia ter entrado num período de decadência. Más exibições, a perda da titularidade, mais falado por motivos extra-futebol, tudo parecia contribuir para a derrocada de um projecto de jogador que tinha tudo para se afirmar.

A acrescer a tais factos, o empréstimo na época seguinte a um clube turco de quase ou nenhuma expressão, parecia querer confirmar que a sua carreira parecia estar numa roleta russa e que o futuro seria descendente. E, os números estatísticos confirmaram tal receio, já que no Orduspor, João Ribeiro não foi titular e arriscou o pouco capital de confiança e crédito que ainda possuía.

Haveria de regressar ao Vitória, perante os olhares de descrença dos adeptos. Num novo projecto, em que as referências da equipa saíram todas, poderia tentar reassumir um lugar de relevo..uma centelha de talento…ainda, que o mesmo andasse arredio desde os primeiros jogos no estádio do Conquistador!

Para agravar as situações…uma lesão e o retorno dos boatos: que era noctívago, que poderia encarnar uma qualquer personagem do Bom Malandro, que era um caso perdido…

Puro engano!

Naquela tarde quente de Setembro, perante o Estoril entraria em campo…em desespero de causa…como um aligeirar de consciência de Rui Vitória, por não ter mais opções de ataque! Num momento de astúcia e da malandrice que é indissociável do seu rasgo de personalidade, haveria de resgatar um ponto…um improvável ponto que permitiu à equipa resgatar-se um pouco do mar de dúvidas que ia-se atolando.

Ganhou a titularidade… mas nem assim a total confiança dos adeptos!Até à passada Sexta-feira…onde o seu talento demonstrou que está aí mais reluzente que nunca… nos traços de rebeldia com que cavalgou pela ala… nos momentos de perigo que criou para o adversário… na genialidade do lance em que ganhou a grande penalidade para depois exemplarmente cobrá-la!

Aí sim…João Ribeiro demonstrou que pode ser uma das mais valias, ainda que a mais improvável pérola, da época 2012/13…queira ele continuar a demonstrar todos os recursos que possui e se limite a ser o que é melhor: um futebolista capacitado com todos os recursos!

Queira ele.. e lucremos nós com isso!

  Categories: