Olhanense – Vitória (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Após um interregno de 2 semanas, a Liga regressa este fim-de-semana, e o Vitória desloca-se este Sábado a Olhão para defrontar o Olhanense. Será uma partida, onde os Branquinhos, pretendem conquistar o 2º triunfo na Liga, e de uma vez por todas, encontrar o trilho dos êxitos.

Depois do triunfo arrancado a ferros para a Taça de Portugal, ante o modesto, mas humilde Moura, os comandados de Rui Vitória, tem que começar a arrepiar caminho, mostrando em campo mais determinação, garra e vontade de dar a volta à uma situação que já preocupa os Vitorianos.

É necessário um grito de revolta no seio do grupo de trabalho, pois os jogadores do Vitória, tem que entender, que estão a jogar num grande clube, que conta com uma massa associativa apaixonada, dedicada, e que sente ao máximo (seja na glória ou na derrota) o seu clube.

Para o jogo em Olhão, e comparativamente ao jogo ante o Moura, é crível que Rui Vitória, faça algumas alterações na equipa inicial, e formate um sistema tático assente num 1x4x2x3x1, que pode desdobrar-se rapidamente num 1x4x4x2 (com Adoua, Pedro Mendes, Assis e Barrientos, a formarem um losango a meio campo, e Targino a encostar em Soudani na frente de ataque).

No sector defensivo, é provável que haja uma alteração, com o maliano N’Diaye (tem que controlar os ímpetos), a formar novamente dupla com João Paulo (indiscutivelmente, o patrão da defesa do Vitória).
Na zona intermediária, o marroquino El Adoua (falta-lhe velocidade para jogar como central), retorna ao posto onde se sente melhor, e dá mais à equipa.

Quem também deve voltar à titularidade, é Pedro Mendes, o que é claramente uma boa notícia, pois com o experiente médio, a equipa sai a ganhar na qualidade de passe (seja curto ou longo), e passa a contar com um meio-campo, com maior experiência, qualidade, e que circulará melhor a bola. Para entrar Pedro Mendes no 11, sairá da equipa Renan (registando-se uma troca directa, e o meio-campo a continuar com 2 transportadores de jogo, Assis e Barrientos).

Na frente de ataque, e não podendo contar com Maranhão, Urreta e Paulo Sérgio, todos lesionados, e Toscano (está num mau momento de forma), a ficar de fora por opção técnica, Rui Vitória, deve apostar pela 1ª vez, na titularidade de Targino e do Argelino Soudani (avançado que pelas suas características, é talhado para o contra-golpe). O Técnico Vitoriano, pode assim, tentar explorar para as rápidas transições, a velocidade e mobilidade desta dupla atacante.

O Vitória, precisa de entrar no jogo confiante, e muito concentrado, pois tem sofrido golos muito cedo, o que causa instabilidade emocional à Equipa. Se a Equipa entrar bem, e conseguir marcar primeiro, ganhará maior confiança e motivação para o resto da partida.

Adversário

O Olhanense, a jogar no seu terreno, é sempre uma equipa complicada de bater. Esta época, a formação algarvia, a jogar como visitado, conseguiu um triunfo (frente ao Leiria 2-1), um empate (com o Setúbal a 2 golos), e uma derrota (frente ao Feirense por 1-2).

A formação orientada por Daúto Faquirá, apresenta um sistema tático, assente num 1x4x3x3, sendo uma equipa, que tenta defender bem, e que parte muito rápida para as transições ofensivas.

Na Baliza, contam com Fabiano Freitas, um guarda-redes brasileiro, que tem rubricado excelentes exibições, no seu ano de estreia no futebol português.

Na direita da defesa, joga o português João Gonçalves (lateral moderno, que defende e ataca com grande regularidade).

No eixo da defesa, joga a dupla constituída por Maurício (o veterano defesa, é muito forte no jogo aéreo, e perigoso nas bolas paradas, pois tem um remate forte, porém é um central lento e duro de rins), e o moçambicano Mexer (central veloz e que dobra bem o lateral esquerdo, mas ainda a mostrar imaturidade).

Na esquerda, joga o brasileiro Ismaily (este ano a jogar como lateral, sobe muito no terreno, mas a nível defensivo, dá muitos espaços nas costas, e mostra pouca consistência).

No miolo do terreno, e em frente à defesa, joga o brasileiro Cauê (médio muito forte fisicamente, e que recupera muitas bolas). A seu lado, joga Nuno Piloto (o médio português, com a sua qualidade de passe, começa a fazer a transição ofensiva da sua equipa).

Como organizador de jogo, joga o brasileiro Mateus (médio que por vezes joga a passo, mas com boa capacidade técnica e bom remate de meia distância).

Na frente de ataque, jogam nas alas, dois jovens jogadores de excelente qualidade. Na esquerda, joga Salvador Agra (muito rápido, tenta muitas vezes a diagonal para zonas interiores, tentando muitas vezes o remate à baliza), e Wilson Eduardo (muito dotado tecnicamente, tenta também à imagem de Agra, às diagonais para o centro do ataque, sendo um jogador muito imprevisível).

A referência na área, é o cabo-verdiano Dady (avançado possante, e forte no jogo aéreo).

No banco, atenção a jogadores, como Toy (dá profundidade nas faixas) e ao veterano avançado Djalmir (ainda mostra um apurado faro pelo golo).

É hora de partir para a recuperação na tabela classificativa, por isso este Sábado, só o triunfo interessa para os Branquinhos.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: