Olympique Lyon X Vitória (Antevisão)

908253_10200678508790580_172289120_n

É já esta 5ª feira pelas 18 horas em Lyon, que o Vitória jogará o seu 60º jogo nas Competições Europeias, uma marca que os Conquistadores querem comemorar com um triunfo.

Depois da goleada imposta no Estádio do Rei aos croatas do Rijeka, os Conquistadores deslocam-se a terras gaulesas, com o intuito de dar sequência ao excelente resultado averbado na 1ª Jornada do Grupo I.

Pela frente, o Vitória terá uma Equipa do Lyon, que não passa por um bom momento na Ligue 1, mas que tem muita tarimba a nível internacional, e que jogando no seu Estádio é na teoria o favorito para a partida desta 5ª feira.

No mítico Gerland, que contará com 42 mil Espetadores nas Bancadas, o Vitória terá o apoio de 2 mil Vitorianos, um apoio que será muito importante para a Equipa, e que pode ajudar os Conquistadores a conseguir dar mais um grande passo rumo aos 16 avos de final da Liga Europa.

O juiz do encontro será o conceituado árbitro alemão Florian Meyer, de quem se espera uma arbitragem isenta.

Vitória

Em Lyon, o Vitória tem mais uma partida de grau de dificuldade elevado,  mas é mais um teste onde se pode verificar o crescimento gradual da Equipa Vitoriana ( nos últimos 2 jogos, o Vitória pode-se dizer que só perdeu , porque  jogou contra 14 adversários).

Para o jogo no Gerland, Rui Vitória não deve fazer grandes alterações relativamente ao jogo no Dragão, ainda assim,  falta saber, se haverá uma mudança no figurino tático, passando o habitual 1x4x2x3x1, para um sistema tático assente num 1x4x4x2?

Se o esquema tático se mantiver no 1x4x2x3x1, apenas se deve registar duas alterações no 11. Assim no eixo da defesa, Abdoulaye voltará à Equipa (deve sair Moreno, mantendo-se Olímpio na posição 6), e Marco Matias deve também ocupar o lado direito do ataque (ajudando Pedro Correia a fechar de forma mais eficiente o corredor), saindo do 11 inicial o burquinês Nii Plange ( a sua velocidade pode ser um trunfo para o desenrolar do jogo).

Se o Treinador do Vitória optar pelo 1x4x4x2 ( não é de todo provável, mas a Equipa puderia com esta alteração ganhar a zona intermediária, e ter mais bola e critério no passe), entrará Tiago Rodrigues para a posição 10, e sairá Nii Plange ( jogará o congolês Chris Malonga mais perto de Maazou, tentando desequilibrar em lances individuais) , apostando o Vitória numa 1ª fase do jogo numa boa posse e circulação de bola, e tentando através de passes verticais para Maazou ( a pedir os seus movimentos de ruptura), causar dificuldades à defensiva francesa.

É importante que o Vitória mantenha a forte solidez defensiva apresentada nos últimos jogos, pois se  o conseguir, a conquista de um bom resultado em Lyon ( um empate já seria extremamente positivo), é claramente possível de acontecer.

A nível do processo ofensivo, é necessário mais do que o realizado no último jogo no Dragão, onde Maazou esteve muito isolado na frente ( teve pouco apoio por parte dos médios, onde nem André nem André Santos tiveram movimentos de aproximação ao avançado do Níger, e mesmo dos extremos Malonga e Plange, o que fez com que a Equipa não tivesse profundidade no seu jogo), pois com um melhor apoio, o esguio avançado do Vitória pode causar estragos a qualquer defesa.

Para o encontro desta 5ª feira, a pressão está toda do lado do conjunto do Lyon, pois passa por um mau momento, e “carrega nos ombros” o facto de ter que ganhar, pois em caso de empate ou derrota, as contas no Grupo I ficam complicadas para o conjunto de Rémi Garde ( disse que a sua Equipa é clara favorita para a partida).

Com um Vitória altamente motivado, solidário, abnegado e confiante ( há muito mais a ganhar, do que  a perder), trazer pontos na bagagem é bem possível, o que seria a nível motivacional muito bom para o grupo de trabalho.

Será portanto mais uma vez um Vitória à Conquista da Europa, e onde se  espera uma tarde – noite de qualidade da Equipa Branquinha.

Força Vitória!

Lyon

O atual Lyon, não é a Equipa fortissíma de há meia dúzia de anos ( os franceses foram hepta – campeões), onde contava com jogadores como Cris, Abidal, Essien, Toulalan, Malouda, Ben Arfa, Juninho Pernambucano, Michel Bastos, Fred e Karim Benzema por exemplo, ainda assim, é ainda uma das melhores Equipas da Ligue 1, agora recheada de estrelas nos super – milionários PSG e Mónaco.

A Equipa de Rémi Garde, tem feito uma época bastante irregular, e o afastamento da Liga dos Campeões aos pés da Real Sociedad, foi um duro revês para a Equipa Francesa ( a nível psicológico foi “arrasador”), que tinha aspirações em chegar novamente à fase de grupos da Liga Milionária.

Para o jogo frente ao Vitória, o Treinador do Lyon, deve apostar num 1x4x3x3 ( joga com um bloco defensivo médio – alto, mas os defesas centrais Koné e Umiti tem pouca velocidade para esse sistema de jogo, o que é um risco, pois bolas colocadas nas suas costas podem resultar em lances de muito perigo para a baliza do luso – francês Anthony Lopes), sendo que o estilo de jogo da Equipa Francesa é marcadamente ofensivo ( faz bastantes golos, mas também se expõe muito no processo defensivo).

Na Equipa do Lyon, destaque para o miolo de terreno onde impera a boa cultura de jogo de Gonalons (começa a construir bem jogo na posição 6), e a classe pura de Clément Grenier, um médio de eleição, jogando sempre de cabeça levantada, o que aliado à grande visão de jogo e a ser um exímio cobrador de bolas paradas, o torna no maestro da Equipa ( é neste momento muito mais jogador que Gourcuff, médio que estagnou no tempo ).

Porém, o meio-campo gaulês é pouco dado ao poder de choque, e pouco “operário”, o que limita bastante a Equipa de Garde na transição defensiva.

No ataque, há o talento de Alexandre Lacazette (muito dotado tecnicamente, o que lhe permite desequilibrar no 1×1), o veloz e forte na diagonal da direita para o centro de ataque Jimmy Briand, e a grande presença na área de Gomis, avançado muito possante e que desgasta muito os defesas com as suas movimentações exteriores.

Nas bolas paradas defensivas, o Lyon mostra debilidades na zona do 1º poste, onde é pouca agressiva a atacar a bola nessa zona. Neste contexto, a colocação dos gigantes Abdoulaye e Maazou na zona entre o 1º poste e o guarda-redes pode ajudar o Vitória a chegar ao golo.