Pinto Brasil volta a atacar Direcção do Vitória

Após mais uma derrota da equipa profissional do Vitória, o ex-candidato a Presidente do Vitória, Manuel Pinto Brasil volta a atacar a Direcção do Vitória, desta vez os alvos são o Presidente – Emílio Macedo da Silva – e o Presidente da AG – João Cardoso.

Em causa está o facto de a Direcção do Vitória não ter homenageado Pimenta Machado e também devida à má gestão financeira do clube.

Eis a nota enviada à imprensa:

Classificando a atitude como «mais uma página negra na vida do “Vitória”», Manuel Pinto Brasil considera que a celebração do 89º aniversário do clube ficou manchada pelas mais recentes atitudes e declarações do presidente da Direcção e do presidente da Mesa da Assembleia-Geral, tendo mesmo dito que «este último passou das marcas».

Num post colocado hoje no blogGrande Vitória”, Pinto Brasil pergunta «como é que os sócios do “Vitória” podem admitir que um individuo como este, que nem sequer é de Guimarães ou vitoriano, que é benfiquista ferrenho, e que só se inscreveu como sócio do Vitória porque espera uma oportunidade para ascender nesta cidade, vem dar lições de como deverá ser organizado o Vitória?». Pinto Brasil acusa ainda o presidente da Mesa, João Cardoso, de ser «um dos principais responsáveis pela situação caótica em que se encontram as contas do clube, pelo que as críticas ao actual modelo de gestão, em que ele próprio foi um infeliz protagonista, cheiram a hipocrisia».

Relativamente às comemorações realizadas, Pinto Brasil pergunta porque é que não foi homenageado o antigo presidente do “Vitória” Pimenta Machado, «pessoa que, essa sim, faz parte do património do VSC. Pimenta Machado foi o presidente que mais fez pelo clube, que mais legado deixou e melhores contas prestou. Se isso não é de homenagear quando se homenageiam outros presidentes, cuja honra não está em causa, só pode ser falta de isenção e objectividade», acrescenta.

Para Pinto Brasil, «gestos como estes também constituem uma forma de destruição da história. Os interesses do “Vitória” deviam estar à frente dos interesses do presidente e da sua pequenez. Também não se entende o completo despudor com que o presidente do clube lida com os interesses privados dos elementos da Direcção».

Finalmente, Pinto Brasil diz que «os festejos do 89º aniversário marcaram inevitavelmente o princípio do fim destes órgãos sociais. A constituição de uma SAD só serve os desígnios mesquinhos de pessoas que se estão a servir do “Vitória”. Por isso, apelo aos sócios para estarem muito atentos e não se deixarem iludir por falsos vitorianos, pois a criação da SAD será o ataque final ao nosso Vitória. Por mim, não o permitirei e estou convicto de que os verdadeiros vitorianos estão comigo».

Teremos outro comunicado de Emílio Macedo da Silva? Sim, pois o Sr. Presidente apenas emite comunicados quando é atacado, não quando o Vitória é atacado…

  Categories: