Portimonense-Vitória (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

A Liga entra na recta final do campeonato, e a primeira de sete finais para o Vitória, começa esta 6ª feira em Portimão.

Sem vencer à 3 partidas, os branquinhos necessitam urgentemente de um triunfo, de forma a se manter nos lugares “Europeus”, e de ganhar um tónico extra para o jogo que se avizinha da 2ª mão da Taça de Portugal em Coimbra.

Ainda assim, o importante neste momento, é os jogadores Vitorianos estarem fortemente empenhados no jogo desta 6ª feira em terras algarvias.

Em Portimão, e em relação ao último jogo frente ao Setúbal, são esperadas alterações no onze Vitoriano. No quarteto defensivo, são críveis os regressos de Alex e N`Diaye em detrimento de Tony e de Clebér, que apesar das boas exibições de ambos no último jogo, devem dar lugar aos seus companheiros que falharam o último jogo por castigo.

Na zona intermediária, não se devem registar alterações na equipa. Apesar de Renan, ainda não se mostrar muito adaptado ao futebol europeu, é muito provável que mantenha a titularidade. Também o canhoto Jorge Ribeiro deve continuar no onze, pese embora o médio vitoriano não pareça estar muito confiante e certeiro no remate de meia distância, que sempre foi uma “imagem de marca” do médio internacional português.
Já Rui Miguel, continuará assumir a batuta de jogo vitoriano, ele que no jogo contra o Setúbal realizou uma excelente exibição. Nesse jogo foi notório que após a saída de Miguel o Vitória “desapareceu” da partida.Espera-se que Rui Miguel, continue na senda das boas exibições, e que Manuel Machado continue apostar na titularidade do camisola 10.

Na frente de ataque, a tripla constituída por Targino e João Ribeiro nas alas e Toscano como “falso” avançado devem manter-se no onze inicial. Nos jogos fora de portas, parece-me pertinente que Manuel Machado aposte em jogadores rápidos, móveis e que podem tornar o Vitória mais forte nas transições ofensivas.

A nível tático, Manuel Machado deve continuar a utilizar o 1x4x2x3x1, que por vezes se desdobra num 1x4x3x3 (com um triangulo a meio campo), apresentando o seguinte onze inicial:

Adversário: Portimonense

A formação Algarvia, passa pelo melhor momento da época, levando 4 jogos consecutivos sem perder (1 triunfo e 3 empates o último dos quais na Luz).

Ainda assim, a equipa orientada por Carlos Azenha, mantêm-se abaixo da linha de água estando a 5 pontos da primeira equipa acima da zona de descida, no caso o Setúbal.

Este jogo contra o Vitória, tem portanto contornos muito importantes para o que ainda resta da época, pois com a derrota ou mesmo com um empate os Algarvios muito dificilmente se irão manter na Liga.

O Portimonense, principalmente após o regresso ao seu Estádio, tem feito excelentes exibições, sendo uma equipa onde lhe tem faltado sorte em alguns jogos, exemplo disso foi o último frente ao Benfica onde a equipa de Azenha merecia ter saído com os 3 pontos.

Espera-se que a sorte que o Portimonense não tem tido, não surja agora frente ao Vitória.
A nível tático o Portimonense joga num claro 1x4x3x3, apostando nas rápidas transições, pois conta com jogadores rápidos e tecnicistas na frente de ataque.

Na baliza joga o Internacional português Hugo Ventura, um guarda-redes com qualidade. No lado direito da defesa joga o capitão Ricardo Pessoa, um lateral que cumpre bem as suas tarefas. No eixo da defesa, estará a jovem dupla constituída por André Pinto e Rubén Fernandes, dois centrais muito altos mas que denotam pouca velocidade e inexperiência. Na esquerda joga o brasileiro Ricardo Nascimento, ele que é um central de raiz, mas que tem feito bons jogos como lateral canhoto, onde mostra boa leitura de jogo e boa disciplina tática.

No meio campo, e não podendo contar com o habitual trinco Soares, a escolha para jogar como médio defensivo recairá em Elias um médio muito combativo. A completar a linha intermediária, estarão Hélder Castro um médio tecnicista e com boa visão de jogo, e o experiente brasileiro Pedro Silva que tem jogado como médio a descair para o lado esquerdo.

Na frente de ataque, é necessária muita atenção ao talentoso Candeias (muito rápido e tecnicista) e as diagonais do experiente Lito, jogador que Manuel Machado conhece bem dos tempos do Moreirense. A referência na área será o sul-africano Calvin.

Kadi, um avançado possante, mas móvel e que abre espaços para os seus companheiros da frente.

O Vitória já venceu esta época o Portimonense por 2 vezes, espera-se que não haja duas sem três.

É muito importante um triunfo, nesse contexto é primordial os 3 pontos virem para a Cidade-Berço.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: