Portimonense – Vitória (Antevisão)

Questão Técnico-Táctica

Este Domingo o Vitória volta a jogar para a “Prova Rainha” do futebol português, deslocando-se ao Estádio do Algarve para jogar frente ao Portimonense. É a 4-ª eliminatória da Taça de Portugal, onde o jogo terá obrigatoriamente de se resolver por terras algarvias. Nesse contexto, será preciso muito empenho, concentração e claro inspiração para que o Vitória carimbe a passagem aos oitavos de final duma competição onde estão depositadas muitas expectativas, tanto por parte da direcção, equipa técnica e plantel, como dos ímpares adeptos Vitorianos, que almejam ver os branquinhos levantarem o “caneco” no Jamor.

Para a partida frente ao Portimonense e comparativamente ao último jogo frente ao Braga, na minha óptica, deveria apenas haver uma alteração no onze inicial, no caso a saída do médio Edson Sitta (jogo após jogo o brasileiro em vez de melhorar o seu rendimento, tem feito o contrário, as exibições de Sitta tem sido inenarráveis) e a entrada do Rui Miguel que transmite outra dinâmica e dá muito mais virtuosismo e qualidade de passe à zona intermediária da formação vitoriana. No que diz respeito ao restante da equipa, parece-me não haver razões para mais alterações no onze inicial, pois as exibições e resultados têm sido bastante positivos.

Já o sistema táctico 1x4x4x2 que Manuel Machado tem apresentado habitualmente, poderia dar lugar ao 1x4x2x3x1, como terminou no jogo do derby. Com o 1x4x2x3x1, na minha opinião, a equipa tem maior coesão e objectividade na zona central do terreno com Clebér e João Alves juntos e ganha maior amplitude e profundidade nas alas com Maranhão e João Ribeiro que contam com o forte apoio dos laterais Alex e Bruno Teles. O onze inicial poderá então ser o seguinte:

Adversário- Portimonense

A Equipa algarvia já não ganha à 7 partidas (cinco para o campeonato e duas para a Taça da Liga onde foi eliminado pelo Desp.Aves). A Taça de Portugal não é o objectivo prioritário para o Portimonense, mas a equipa orientada por Litos tentará seguramente nesta partida contra o Vitória ganhar alento e moral para o que ainda resta da época. À 3 semanas atrás no D.Afonso Henriques o Portimonense mostrou ser uma equipa organizada e muito perigosa nas rápidas transições ofensivas, por isso o Vitória encontrará um adversário complicado, ainda por cima jogando em casa (ainda que emprestada).
Será então necessária muita atenção ao contra-ataque algarvio, que conta com dois alas velocistas e com técnica acima da média nos casos o Candeias e Ivanildo (causaram enormes dores de cabeça no jogo para a Liga). Destaque ainda para o brasileiro Renatinho, que nas últimas partidas tem dado nas vistas pela irreverência e “fantasia” que transmite ao último terço de terreno da formação de Portimão. No meio campo contam também com o moçambicano Jumisse que é um médio muito voluntarioso e com enorme disponibilidade física.
O Vitória poderá mais uma vez explorar a fragilidade da defesa do Portimonense, já que principalmente os centrais André Pinto e Di Fábio são lentos e muito frágeis com bola rente ao relvado (Maranhão fazendo diagonais para o centro do ataque e aproveitando a sua velocidade poderá criar muitas dificuldades à defensiva contrária). Também nos corredores o Vitória poderá desequilibrar, uma vez que, os laterais de Portimão (Ricardo Pessoa e Nilson) denotam dificuldades quando se deparam com extremos rápidos e tecnicistas. João Ribeiro, Maranhão e Targino podem desequilibrar a eliminatória a favor dos conquistadores.
Da última vez que o Vitória foi à final no Jamor, isto na época de 87-88 nas meias-finais, os branquinhos eliminaram em Portimão o Portimonense por 1-2 após prolongamento. Espera-se que esta época a formação Vitoriana tenha a mesma felicidade, e que consiga fazer novamente o trajecto rumo à final.

Força Vitória e Vitória Sempre!
José Lafuente.

  Categories: