Porto – Vitória (Antevisão)

Este Sábado quando marcar no relógio 20h e 30m, há mais um jogo grande, com o Vitória a defrontar o Porto no Estádio do Dragão.

Após o empate positivo ante o Sporting, os Branquinhos tentam agora frente aos Portistas, dar continuidade ao bom início de época.

No Dragão, o Vitória terá o apoio de 1 milhar de adeptos, que apoiarão a Equipa Vitoriana, rumo a um triunfo que foge desde 96, altura que venceu por 2-3 nas Antas, com golos de Edinho, Gilmar e Zahovic.

A partida será arbitrada por Hugo Miguel de Lisboa, de quem se espera uma arbitragem isenta.

Questão Técnico-Tática

Se no desafio frente aos Leões, os Conquistadores demonstraram uma excelente capacidade defensiva, falta agora frente ao Porto, sair melhor para as transições ofensivas (foram muitas as bolas perdidas na 1ª fase de construção ofensiva, principalmente por Adoua), e definir com mais tranquilidade e qualidade o último passe (nenhum dos Jogadores do meio-campo ofensivo estiveram felizes neste capítulo), de forma a que o Vitória chegue a zonas de finalização, e consiga materializar em golo as jogadas criadas. Estes detalhes, foram as pechas que não permitiram aos Branquinhos vencer na 1ª ronda da Liga, pese embora a boa cultura tática da Equipa, e o esforço em determinação que os atletas empregaram na partida.

Para o jogo no Dragão, o Técnico Rui Vitória, deve manter o 11 que jogou no passado Domingo, ainda que haja a possibilidade de Marco Matias entrar na Equipa, em detrimento de Barrientos, passando Toscano a jogar nas costas de Soudani, e Marco Matias entre para a faixa esquerda, podendo trazer mais velocidade e capacidade no 1×1, pois o jovem Português é forte nestas situações, e pode trazer mais irrequietismo à faixa esquerda do ataque.

No resto tudo se manterá igual, com no setor defensivo, o quinteto que mostrou no último jogo muita personalidade e segurança (Douglas, Defendi e N´Diaye estiveram muito bem, Alex e B.Teles estiveram em bom plano), a se manter de “pedra e cal” nas escolhas iniciais do Treinador Vitoriano.

Na zona intermediária, é preciso que El Adoua, não perca a bola com a facilidade que aconteceu frente ao Sporting. É imperioso, que o passe do Marroquino, saia com mais acerto (falhar 3 passes em 5 é um registo muito mau), pois assim o
Vitória passará a ter uma saída mais organizada e com melhor qualidade nas transições ofensivas. De resto é inegável que o Marroquino é o pêndulo da Equipa, e o seu equilíbrio é muito importante neste renovado Vitória.

Na posição 8, André André, mostrou-se bem mais assertivo no passe que Adoua, e é um Jogador que não tem medo de ter bola, que gosta de tomar as operações a meio-campo, e é primordial que o “poveiro” continue a ser o médio encarregue de fazer a 1ª fase da transição defesa-ataque.

Já na posição 10, Barrientos tem que procurar mais bola, e tentar pautar o jogo ofensivo da Equipa. O Uruguaio, “desaparece” muito de jogo e essa situação não é benéfica para si e para o coletivo, nesse contexto o playmaker Vitoriano, tem que assumir mais a batuta do jogo ofensivo. Para o jogo deste Sábado e devido às características do desafio (o Vitória não terá muito a posse de bola, e deve apostar nas rápidas transições ofensivas), Barrientos devia começar o jogo no banco de suplentes.

Na frente de ataque, Ricardito, esteve um pouco nervoso no seu 1º jogo “grande”, o que é perfeitamente natural num jovem de 18 anos, e essa situação fez com que se atrapalhasse na definição de alguns lances junto à área do adversário. Ainda assim, é de realçar o trabalho em acompanhar a subida do lateral adversário, situação muito importante na organização da transição defensiva da Equipa. É por isso, de salutar a boa disciplina tática do jovem extremo.

Quanto a Toscano, mostra que ainda não está no melhor momento físico, mas é preciso que mostre mais “agressividade” na luta pela bola e seja mais lesto a soltar o esférico, pois assim o Vitória não se torna tão lento a chegar a zonas de finalização. Desde a entrada de Rui Vitória no comando Técnico, Toscano tornou-se mais jogador de Equipa, tentando acompanhar as subidas dos laterais adversários (ainda pode melhorar mais), mas este detalhe deve ser realçado, num jogador que quando chegou a Guimarães só se preocupava exclusivamente com as acções ofensivas.

No eixo do ataque, Soudani trabalhou muito em prol da Equipa (não é fácil jogar muito só na frente de ataque), tentando segurar bem a bola, e esperar pelo apoio dos seus companheiros de ataque. É importante que este Sábado, continue a ser a referência do ataque, e possamos gritar golos do Avançado Argelino.

Força Vitória e Vitória Sempre!

11 Inicial

O Porto tenta esta Época sagrar-se Tri – Campeão. No jogo de estreia em Barcelos, desiludiu, perdendo os primeiros 2 pontos da época, e mostrando um futebol “desligado e sem rasgo”.
Agora frente ao Vitória, pretendem voltar aos triunfos e realizar uma exibição mais bem conseguida que na ronda inaugural.

Sistema Tático

A nível tático o Porto de Vítor Pereira, continua com um dispositivo tático assente num 1x4x3x3 (ainda que muitas vezes James seja um 4º elemento na zona intermediária, pois desloca-se muito para a zona central, ficando a Equipa a jogar em 1x4x4x2, com Hulk a se aproximar do avançado).

O Porto, gosta de pressionar alto e de ter muito tempo a bola em sua posse, tentando dessa forma “abafar” o adversário logo junto a aréa adversária.

Pontos Fortes

* Qualidade defensiva dos Azuis, que sofrem poucos golos, e mostram segurança no setor recuado, principalmente no eixo da defesa, onde Maicon e Otamendi se complementam bem.
* Na zona nevrálgica do terreno, Fernando está em todo o lado, Lucho não sabe jogar mal, e Moutinho, que apesar de ainda estar a pensar numa possível transferência neste defeso, é um médio que joga sempre em alta rotação, e que marca os ritmos de jogo da Equipa azul e branca.
* Nas alas, Hulk ainda não se mostra muito “explosivo”, mas é sempre um perigo à solta, pois as suas diagonais são muito perigosas, e James é um jogador que apesar de não dar profundidade numa faixa (foge muito para zonas interiores), “baralha” os adversários, e os seus rasgos individuais são de um talento puro.
* Jackson Martinez, já mostrou que é um Avançado móvel, com boa capacidade técnica, e que sabe fazer golos, por isso é necessária muita “vigilância” por parte de N´Diaye e Defendi à movimentação do Colombiano.
* Nas bolas paradas ofensivas, é preciso muita atenção com a movimentação de Maicon ao 1º poste, e de Jackson na zona do penalty. Estes 2 Jogadores são muito fortes no jogo aéreo. Há ainda um pontapé de canto muito utilizado pelo Porto, onde João Moutinho bate a bola para fora da área onde surge Lucho que aplica um remate de primeira. É preciso também atenção a este lance.

Pontos Fracos

* Nas laterais Vítor Pereira, mostra ainda alguma indefinição nas escolhas. Miguel Lopes tem jogado à direita, e é um lateral muito ofensivo, mas que fruto do seu balanceamento ofensivo dá espaços nas costas (a colocação de Marco Matias neste corredor pode ser uma boa opção), e aqui o Vitória pode explorar estes desequilíbrios do lateral portista.
* No meio-campo, Lucho já não tem a frescura física de outros tempos (não aguenta mais de uma hora em campo), e se Moutinho não estiver inspirado, o Porto sente dificuldades em “armar” jogo e a sua transição ofensiva fica muito desarticulada e sem organização de jogo, e aí os portistas vão “viver” apenas dos arranques de Hulk e dos rasgos de James.
* Há vários jogadores, que ainda pretendem rumar a outras paragens (casos de Moutinho e Hulk), e mostram não estar com o pensamento a 100% no Porto, por isso este será também um detalhe psicológico que pode jogar a favor do Vitória.

  Categories: