Primeira derrota…

O Vitória perdeu a invencibilidade e a vice-liderança da Liga, ao sair derrotado esta tarde no reduto da Académica de Coimbra.

O Jogo começou com uma Académica mais atrevida, com várias tentativas de ataque à baliza de Nilson. Destaque para a tentativa de chapéu a Nilson, à passagem dos cinco minutos, por intermédio de Miguel Fidalgo. O Vitória a pouco e pouco, foi subindo no terreno e tomando conta das ocorrências do jogo. Pouco passava dos vinte minutos, quando Bruno Teles, com um portentoso remate, testa a perícia de Peiser, que defende, com dificuldades, para canto. Apesar da clara supremacia no jogo, os estudantes também queriam marcar primeiro. A dez minutos do final do primeiro tempo, Orlando ao segundo poste cabeceia ao lado.

O intervalo chegou com naturalidade, uma boa primeira parte, com futebol razoável, mas sem golos…

A segunda parte iniciou tal qual a primeira, com a equipa da casa a ser mais forte… Logo no primeiro minuto, Nuno Coelho cabeceia para defesa apertada de NIlson, que vê ainda a ajuda de Alex a tirar o esférico em cima da linha de golo. Logo de seguida, também na sequência de um pontapé de canto, Nilson faz mais uma excelente defesa, após desvio subtil de Sougou a um canto marcado por Diogo Valente…

O Vitória acusava a pressão de manter o segundo lugar da tabela, e os jogadores estavam impacientes, e a cometer alguns erros. Num dos primeiros erros defensivos do Vitória, ao permitir que Diogo Melo rematasse de fora da área, deu o primeiro golo do jogo, depois de a bola sofrer um desvio em Edson, que traiu Nilson, que se limitou a olhar para a bola entrar no sentido contrário ao que ele se dirigia. No reatamento da partida, após excelente cruzamento de João Alves, Edgar ao segundo poste cabeceia e reestabelece a igualdade no marcador.

Mas a Académica foi sempre mais acutilante no jogo, e construía muitos mais lances de perigo. O Vitória apenas conseguia chegar á baliza adversária através de bolas paradas, ou de lances aéreos…  Das poucas vezes que o Vitória se tentava adiantar no marcador, Peiser negava, com defesas bastante seguras, como por exemplo, após um remate de primeira de Toscano aos 70 minutos. Aos oitenta minutos de jogo, mais uma vez a defesa Vitoriana a permitir que um jogador adversário rematasse de fora da área, desta feita Sougou, com um remate de belo efeito, colocou a bola na “gaveta”, sem hipóteses para Nilson… Estava feito o segundo para a Académica…

Se até aqui o Vitória não mostrava muita capacidade de finalização, depois de se ver, pela segunda vez no jogo, em desvantagem, acusou ainda mais a pressão e o nervosismo. Muitos passes falhados, permissão de antecipação dos adversários, sem acutilância ofensiva. Estes factos ajudaram a que a defesa falhasse pela terceira vez na tarde, quando Laionel recebe a bola em plena grande área, “trabalha” três defesas Vitorianos e remata em jeito para o fundo das redes, mais uma vez sem qualquer culpa para o guardião Nilson.

Mas o Vitória ainda teve oportunidade para reduzir a diferença no marcador, após cruzamento de Rui Miguel, Peiser sai mal à bola, sobra para Faouzi, que com a baliza aberta faz o mais difícil e atira por cima da trave…

Estava feito o resultado final, 3-1 para a Académica…

Um bom jogo de futebol, com um justo vencedor.

O Vitória podia e devia fazer muito mais neste jogo, com uma falange de adeptos em igualdade numérica com os da casa, mas muito mais interventivos, que fizeram tudo o que podiam como 12º jogador, mas não foi suficiente…

  Categories: