Promete… Vitória-Brasov (4-0) [FOTOS]

Promete… será a palavra que permitirá definir, efectivamente, o que se passou, hoje, no Afonso Henriques.

Com efeito, a turma conquistadora demonstrou um apreciável fio de jogo, interessantes combinações e os reforços demonstraram que o podem, efectivamente, ser na sua essência.

Do outro lado esteve um Brasov acessível, mas, independentemente disso lembre-se que era o primeiro desafio que os vitorianos enfrentavam na presente temporada…e quantas equipas de nomeada soçobram no primeiro teste perante acessíveis opositores convidados para moralizar o colosso?

Destaque, também, para o árbitro nomeado para a contenda: Artur Soares Dias, que depois dos acontecimentos no desafio com o rival, voltou a arbitrar o Vitória, tendo apontado duas vezes para o castigo máximo, favorecendo os branquinhos, não obstante ter sido brindado com uma calorosa e afectuosa saudação!

Apresentando a equipa em 4-2-3-1 com Bamba na direita da defesa como recurso e mantendo os restantes atletas do ano transacto no último reduto: João Paulo, N´Diaye e Anderson, foi do meio campo para a frente que a equipa apresentou maior número de inovações. Com um duplo pivot constituído por Renan e Leonel Olímpio, o pacense seria o primeiro a impressionar devido à sua agressividade e clarividência na colocação de bolas longas. Com efeitos, muitos movimentos de transição começaram nos pés do brasileiro que com variações rápidas de flanco desposicionava com critério os adversário.

Na frente destes, uma tríade de municiadores do dianteiro Edgar: na direita Faouzi, que sofreria a falta que despoletaria a grande penalidade que originaria o primeiro golo apontado por Edgar, no centro Rui Miguel e na esquerda, a nova aquisição, Paulo Sérgio que demonstrou poder ter uma utilidade extrema graças à sua rapidez e capacidade de ganhar a linha de fundo ao central. Com efeito, o lisboeta parece já ter caído no goto dos adeptos, mesmo em alguns lances ter demonstrado dificuldades em dominar a bola por o seu pé esquerdo não possuir a mesma gama de recursos que o direito.

Neste esquema, o Vitória surpreendeu pelo estado adiantado da sua preparação…boas transições com Olímpio, como já dissemos, a destacar-se e com um Rui Miguel ansioso por demonstrar que cabe por direito próprio neste plantel. O Vitória surpreendia tal a qualidade demonstrada.

E assim chegávamos ao intervalo com um domínio absoluto vitoriano… com momentos de envolvência muito razoáveis e com um dos momentos altos do desafio, sem ele estar a decorrer. Na verdade, o que sentiram os vitorianos quando vislumbraram no camarote presidencial Fernando Meira, Pedro Mendes e Nuno Assis? Um frémito de emoção, certamente, por verem os seus sonhos a serem concretizados e a certeza que um Vitória com mais élan e glamour está cada vez mais próxima!

Na segunda metade, uma equipa nova com Douglas nas redes, e uma defesa composta por Dinis na direita, os centrais Defendi e Freire e na esquerda Crivellaro com Adoua e João Alves à frente destes.

No ataque, Maranhão reapareceu na direita, Targino ocupou a esquerda do ataque e Barrientos estreou-se nas costas de Marcelo Toscano.

E diga-se que o Vitória entrou para arrasar… e em cinco minutos marcou dois golos. Primeiro, graças a um centro teleguiado de Targino – parece estar em grande forma – para a cabeça do brasileiro que ocupou o posto de ponta de lança e depois graças a uma jogada de envolvimento com o mesmo canarinho a picar a bola sobre o guardião romeno para Barrientos estrear-se a marcar pelo Vitória.

A partir daqui valeram os pormenores… a segurança pétrea de Adoua mesmo jogando a pivot defensivo, aliada com a capacidade de jogar fácil… a técnica apurada do uruguaio Barrientos, mesmo que por vezes quisesse adornar o lance e perdesse o esférico… a velocidade supersónica de Targino que fez a cabeça em água do lateral adversário… a raça de Fábio Fortes, que depois de substituir Maranhão, mostrou muita abnegação…e até as duas grandes defesas de Serginho que após substituir Douglas, respondeu presente!

E com tantos pormenores, o Vitória acabaria cimentando a vantagem em mais uma grande penalidade sofrida e apontada por Toscano que bisaria no primeiro encontro…

Em suma, muito agradável exibição vitoriana a deixar água na boca para os jogos mais importantes que estão a aproximar-se..

FOTOS AVS :