Quase Faziam A Vontade Ao País Ignorante…

Perante uma imprensa ávida de ver o clube do povo analfabeto na liderança…

Perante uma televisão disposta a bajular o mais possível o clube da preferência dos que não sabem escrever, de modo a regsatarem um milionário contrato televisivo…

Perante um treinador medroso que pareceu ter medo, inclusivamente, da própria sombra… um facto habitual nos jogos, supostamente, mais complicados…

Perante um árbitro que soube inclinar o campo e inventou uma grande penalidade que só ele viu, matando definitivamente um jogo…

Perante uma equipa sem atitude, que fez um remate digno desse nome no jogo todo…

Perante um defesa direito que nem na Madeira na digressão que os veteranos se encontram a realizar, teria lugar…

Perante um defesa central que não sabe marcar homem a homem o ponta de lança contrário, quando recua no campo…

Perante um extremo que dizem valer milhões, mas em oito jogos de campeonato nada fez…

Perante um meio campo sem nenhum médio criativo… com Barrientos, fora de forma, mas sem sair do banco…

Perante um candidato a golden boy e que merece uns escassos minutos quando o jogo está perdido…

O que dizer?

Quase faziam a vontade ao país ignorante oferecendo a liderança do campeonato ao adversário…quase davam motivos para se abrirem garrafas de champagne na Travessa da Queimada… quase demonstraram à saciedade que a capa do jornal do aparelho não os espicaçou, não os fez sentir os eu orgulho revigorado!

A propósito…isto são meros desabafos depois do Vitória ter perdido três a zero frente ao Lisboa e B…

Para a semana, e espera-se com outra atitude, defronta o Nacional da Madeira.