Algo De Muito Estranho…

Dizia, Manuel Machado, que não fazia caso da contestação que havia sido votado, por a mesma ter provindo de trezentos ou quatrocentos jovens mais exuberantes.

Porém, ao ter tal tirada olvidou um, inquietante, facto que reside nas revoluções desde sempre terem principiado nos mais jovens… Foi assim, no mítico Maio de 68, foi assim em Abril de 74 e foi, agora, na Tunísia, no Egipto, na Líbia e em tantas outras que para não sermos exaustivos não enumeraremos.

Porém, mesmo que a factualidade histórica desse razão a Machado, nesse desdém pelos jovens que seguem o clube para todo o lado, a verdade é que o técnico tem se posto a jeito de alguma contestação e não chegaremos ao pormenor de questionar a validade das suas opções tácticas, ou falta dela.

Porém, o caso hoje noticiado de Renan roça o irreal… Como é possível um jogador actuar noventa minutos no desafio da segunda mão da Liga Europa e passados dois dias tomar conhecimento que não vai ser inscrito no campeonato principal e é vendável/dispensável?

Esquece-se Machado que, assim, coloca-se a jeito de toda a contestação, pois foi, ele que em Janeiro passado fez um terrível finca-pé para que o atleta envergasse os quadros do Vitória… foi, ele que, de imediato, o colocou a titular quando, fisicamente, não estava em condições… foi, ele, que possibilitou que o Vitória tivesse a dupla de médios defensivos mais lenta do campeonato, quando o brasileiro emparceirou com Cléber, entretanto desterrado para Cartagena…

Mas, também, foi ele que o desculpou por inadaptação ao futebol europeu…foi ele que disse acreditar nas capacidades de um atleta com cartel no Brasil…

Mas, é, ele, agora, também, que não o inscreve, ou aceita a sua não inscrição, no campeonato principal, logo após o atleta ter actuado noventa minutos num dos desafios mais importantes da época,  ajudando a equipa a conseguir os seus objectivos… logo, após o atleta ter sido, quase, sempre primeira escolha na pré-epoca…

Algo de muito estranho se passa no Vitória e após o affaire Edgar mais um folhetim promete prender as atenções vitorianas…