Resposta da PSP a “Pedido de explicações”

Depois de enviado um pedido de explicações, relativo às cargas Policiais sobre adeptos Vitorianos, o Sr. Subcomissário Fábio Ruben de Castro da Polícia de Segurança Pública, remeteu a seguinte resposta:

Ex.º Sr.

A PSP agradece o seu contacto e relativamente ao e-mail que nos foi endereçado esclarece o seguinte:

1. No decurso do espectáculo desportivo que opôs as equipas de futebol da Académica de Coimbra ao Vitória Sport Clube no Estádio Municipal de Coimbra, verificamos diversas situações nas quais a PSP por força das suas atribuições foi obrigada a intervir, nomeadamente deflagrações de engenhos pirotécnicos, arremesso de cadeiras e ofensas à integridade física – inclusive contra os elementos da PSP – da parte de ambos os Grupos Organizados de Adeptos afectos às duas formações;
2. A actuação da PSP em todas estas situações foi discreta, profissional e isenta, demarcando-se de qualquer preferência ou influência clubista fanática, solucionando os problemas de imediato e contribuindo para o decurso normal do espectáculo;
3. No que respeita à situação que V.º Ex.ª refere, a PSP tentou numa primeira fase encaminhar o grupo de adeptos da Académica para o exterior daquele espaço, para evitar assim distúrbios desnecessários e prevenir a ocorrência de conflitos;
4. No decurso deste processo, tanto estes elementos como os restantes adeptos de ambas as equipas que lá se encontravam reagiram violentamente com agressões entre si e contra as autoridades policiais, pelo que foi necessário o recurso à força pública estritamente necessária para reposição da ordem, garantindo assim a segurança de todos os presentes naquele momento e no restante tempo em que durou o espectáculo;

Por último, resta-me acrescentar que a actuação da PSP neste tipo de cenário reveste-se de um elevado grau de dificuldade, pois como V.º Ex.ª já deve de se ter apercebido, existem algumas pessoas (felizmente poucas) que utilizam os contextos futebolísticos como pretexto para impor as suas preferências clubistas aos outros, normalmente com recurso à violência, pouco se importando com “crianças, idosos e senhoras nas bancadas”. Este não é o nosso caso e porque nos preocupamos, continuaremos a exercer o nosso serviço com isenção, em prol da segurança de TODOS.

Com os meus cumprimentos.

Aguardamos entretanto a resposta do Ministério da Administração Interna…

  Categories: