Ricardo Gonçalves – Todos ao Estádio!

Ricardo GonçalvesEscrevo este segundo texto a convite da Associação Vitória Sempre depois de mais uma excelente e importante vitória em casa do Paços de Ferreira, terreno que nos é tradicionalmente difícil. Para além do resultado, que prova uma vez mais a liderança determinada do nosso Mister e a vontade de todos os nossos jogadores de nunca desistirem, temos um facto que não gostaria de deixar passar em claro. Sem destacar o jogador da equipa, algo que não faz sentido, gostaria mesmo assim de saudar a entrada do Tomané na lista dos jogadores que ficam “debaixo de interesse” de outros emblemas. Mais um caso a provar que a aposta em todos os nossos activos não deve, não pode, e não tem sido nunca descurada. E, desta feita, não fomos nós a recuperar a auto-estima do adversário, uma sina que já por mais de uma vez nos fez dar a nós próprios o epíteto de “pai dos pobres”.

A atitude em campo tem sido e estado à altura do que todos nós enquanto adeptos pedimos. Nunca quebrar, nunca torcer, nunca desistir. É com base nesta mistura de querer e de liderança que vamos todos uma vez mais conquistar vitórias importantes.

Relativamente ao Clube e ao seu percurso, que como é do conhecimento de todos, passa ainda por uma espécie de Inverno financeiro, fruto de um passado moldado por formas de gerir que não me apetece de todo qualificar, temos enfim uma excelente noticia. Recuperação económica a par de sucesso desportivo, numa conjuntura absolutamente desfavorável. Dois elementos que raramente, pelo menos no panorama futebolístico nacional tem andado par a par. É de assinalar como um momento decisivo e marcante na vida do Vitória enquanto todo a fenomenal descida do passivo contabilístico na ordem de um terço do total, quase oito milhões recuperados do “buraco” de vinte e quatro herdado. A justificar este brilhante exercício financeiro o maior encaixe financeiro na história do Clube numa única época, a rondar os dezassete milhões de euros. Temos de ter consciência de que nem sempre se proporcionarão anos como este, mas devemos manter a fasquia alta e apontar para que este ano se consiga dar mais alguns passos rumo a terra firme em termos de recuperação financeira. Tenho todos os motivos para pensar que vamos uma vez mais conseguir.

Basta consultarmos o histórico das contas do Clube para vermos que a tendência, a mais do que perigosa tendência das ultimas décadas vinha a ser a de afundar cada vez mais o Clube, as suas finanças e património, mas sobretudo o seu maior capital, a credibilidade negocial, até um ponto de não retorno. Esta inversão de rumo, completa e a meu ver irreversível desde que esta equipa directiva assumiu funções, não se deve como já ouvi dizer à impossibilidade de fazer de outra maneira. Há certamente, e isso é sempre algo verdade, um factor de emergência que leva a que a gestão diária tenha de ser o mais rigorosa possível. Há também um factor aleatório que passa por conseguir ou não os resultados desportivos positivos que levem à consequente valorização dos nossos activos. Mas há algo que ultrapassa em muito a mera sorte e isso tem sido o trabalho duro e continuado que vemos em todas as  frentes de batalha do nosso Clube.

Desde os funcionários, todos, passando por  jogadores, equipas técnicas e directivas, e nós, também enquanto associados, temos sabido, como nunca, promover a união com um objectivo maior que é o de devolver um patamar de sustentabilidade no presente e no futuro do Clube. Não me esquivo aqui a dizer que temi pela viabilidade do Vitória e não foi assim há tanto tempo. Os tempos não são de euforia, não estamos desligados da realidade que se vive também no País e no Mundo, mas o Vitória tem sabido provar que com rigor, determinação, trabalho, mas também com motivação e com um sentimento positivo se pode e tem feito muitas coisas boas.

Há certamente muitas batalhas a vencer, muitos compromissos a honrar, neste caminho necessariamente longo e difícil rumo à efectiva recuperação económica do Clube, mas estou certo que vamos no bom sentido.

P.S. – Entretanto o envio do texto teve algum atraso pelo que, na verdade, vai já a seguir ao jogo em Barcelos, onde para além de várias incidências às quais já nos habituamos infelizmente, deixamos passar uma boa oportunidade para dar um salto interessante na classificação. Acontece. Não vi menos garra nem menos vontade de ganhar. O que precisamos agora é de na próxima quinta-feira, comparecer em peso no D. Afonso para recuperarmos um bom resultado que tanta nos faz para a Liga Europa, competição que nos interessa sobremaneira este ano por todos os motivos. A passagem à fase seguinte vai trazer não só proventos financeiros directos como pode indirectamente e uma vez mais, potenciar o valor intrínseco dos nossos jogadores. Também por isso é essencial o nosso apoio em massa!

O apelo é portanto: Todos ao Estádio!!!

Abraços e Viva o Vitória!!!

Ricardo Gonçalves