[SAD] Opinião de Francisco Guise!

A Associação VitóriaSempre apresenta aos visitantes do site vitoriasempre.net a primeira das cronicas relativas à SAD.  Para abrir esta rubrica convidamos o vitoriano Francisco Guise, que prontamente se dispôs a colaborar connosco.

Não perca mais tempo, leia a opinião de Francisco Guise!

Opinião de Francisco Guise

A Verdade Da Mentira!

 Tivesse, eu, escrito este artigo na passada semana, e teria, muito provavelmente, dito uma série de não verdades e um chorrilho de imbecilidades.

Quis o destino, que deixasse o meu pensamento para um Domingo, por ser um dia de descanso, e por isso, mais propicio a dedicar-me a este trabalho.

O que mudou, então de lá para cá? Nada de muito substancial, porque o meu coração e sem dúvida a minha razão, dizem-me que uma SAD não é o melhor para o Vitória Sport Clube. Mas face às dificuldades, que estamos a passar, a minha razão diz-me que se quero continuar a ver os “branquinhos” a jogar, devo optar por uma SAD.

Muito discuti contra esta opção. Afirmo mais uma vez, e vendo o que se tem passado à nossa volta, que uma SAD não é, de todo uma solução para a resolução dos problemas do Vitória. É, antes isso, uma fuga para a frente, esperando que as coisas se possam resolver desta forma, porque, pelo que me é dado a conhecer, de outra forma não será possível. A insolvência será um processo irreversível. Embora tenhamos que reconhecer que esta é uma opção ferida de irreversibilidade. Não há volta a dar se enveredarmos por este caminho.

Daí o título deste artigo. Sendo verdade que se me afigura, que só a SAD poderá salvar o Vitória de males maiores, também me é verdade que estamos a optar por uma solução que a é por ser a única, não sendo por isso uma verdadeira solução, mas antes uma resolução de ocasião.

Deixando o meu coração de lado e colocando ao serviço do Vitória apenas a minha razão, direi que estamos na maior encruzilhada alguma vez vista no Vitória. E ninguém poderá afirmar que uma ou outra solução, porque não existe uma terceira, serão a forma de resolução do problema.

Neste momento, tenho um grande dilema dentro de mim. Será que estou a ajudar alguém a decidir esta questão? Não sei. Mas confesso, que neste momento me sinto como o tolo no meio da ponte.

E se por um lado, vos digo, que fui feliz por decidir escrever apenas no Domingo e não antes, também sou o mais sincero possível, ao afirmar, que não sou detentor de toda a verdade em relação à SAD que a Direção quer implementar, pois não me foi possível analisar ainda qual o projeto delineado. Este, só a partir da próxima segunda-feira, 12/11/2012, estará disponível para consulta.

E é aqui que importa refletir para votar em consciência sobre o que queremos para o futuro do nosso Vitória. E é por esta questão que eu batalho, para que e apesar de nos falarem a verdade não nos queiram impingir uma mentira.

Se uma SAD será um “mal” necessário”, o modelo de SAD só o será se nós quisermos e deixarmos.

No imediato, a Direção já começou mal, pois foi sempre dito aos sócios que lhes seria dado o tempo necessário para decidirem. E aqui, também o Presidente da Mesa da Assembleia Geral falhou, pois como representante máximo dos sócios, não os defendeu e por conseguinte não defendeu o clube.

Seria desejável e aconselhável, que tivéssemos tempo e esclarecimentos suficientes para podermos decidir em consciência, pois, e torno a frisar, trata-se de uma decisão irreversível. É o futuro do Vitória que está em causa, e não haverá marcha atrás.

Volto a frisar, o que vou dizer a seguir, carece de mais informação, não disponível no momento, pelo que, se e quando essa informação estiver disponível, vier ao encontro do que agora vou dizer, estamos conversados.

Ora, como dizia, A SAD será um mal necessário, para salvaguardar o “negócio” futebol do resto do problema, importa que esse “negócio” seja do Vitória e não de outros que nada poderão ter com o Vitória.

Parece-me que uma SAD com 1 milhão de euros de capital social nenhum problema resolverá ao Vitória. Mas os estatutos apresentados referem um aumento de capital, no imediato, para 37,5 milhões de euros. Porque não se realiza logo de início esse capital? O que quer esconder a Direção, ou melhor, quem quererá esconder a Direção?

Se o Vitória ficar com 40% desse capital, não ficará maioritário, logo perderá o poder sobre um “negócio” que é seu por direito. O projeto prevê alguma SGPS para dessa forma o Vitória garantir o controle da SAD? Não sabemos. Mas deveremos lutar por isso.

No aumento de capital os sócios não têm direito de preferência? Porquê? A quem queremos entregar o Vitória? Com que finalidade?

Não existe proposta para alteração dos estatutos do clube, logo os 40% que o Vitória inicialmente vai deter na SAD, podem muito bem ser alienados a qualquer momento, até um mínimo de 15%, valor mínimo previsto na lei das sociedades anónimas desportivas.

Se o Vitória está assim, essa responsabilidade deverá ser repartida entre as Direções e os sócios, pois somos nós que elegemos e controlamos o clube. Está portanto na altura, de em conjunto darmos um berro de revolta, assumindo a nossa culpa, mas dizendo, BASTA.

Se o intuito de constituir uma SAD é apenas o de salvar o futebol, então constituímos a SAD e detemos o poder sobre a SAD. E para mantermos o poder, o Vitória terá que deter 40% mais 11% através de uma SGPS do Vitória, e ainda, alterar os estatutos de forma a impedir a venda dessas ações.

Chegou a altura de sermos intransigentes e defendermos o que é nosso. Volto a frisar, se o intuito é apenas preservar o futebol, fonte de 99% das receitas do clube, para dessa forma podermos tentar salvar tudo o resto, muito bem. Estamos conversados e vamos para a frente, assumindo uma nova etapa nesta longa história de 90 anos. Por outro lado, se tudo ficar como nos está a ser apresentado, então que nos elucidem qual é o objetivo e a quem pretendem entregar o Vitória. E então dessa forma, todos, individualmente e por voto secreto diremos se queremos fazer parte de uma associação onde temos direitos e deveres, ou se, por outro lado, queremos apenas ir dar uns “berros” ao estádio e fazer parte de algo que a única coisa que nos confere é o dever de pagar para poder pertencer.

Por mim, já decidi. Votarei por uma SAD, tendo a consciência de que não é a melhor solução, mas apenas por uma SAD do Vitória. Não estarei disponível para fazer parte de um clube onde não terei direitos, nem participação. Não estarei disponível para fazer parte de um clube onde os seus Dirigentes me quererão apenas para ser mais um pagante.

Continuarei a lutar para que, o que é do Vitória, continue a ser do Vitória.

O Vitória é paixão. O Vitória sente-se. Não se compra paixão, nem sentimento. Não se compra nem se vende Vitorianismo.

Os sócios e o Vitória não estão à venda. Apenas estamos disponíveis para ajudar a resolver o futuro do Vitória. Não estarei nunca, disponível para fazer parte de um negócio que não seja do Vitória.

Nunca esquecerei o Vitória. Mas nunca farei parte de um Vitória que vê os sócios apenas e só como “negócio”.

 Francisco Guise Sócio n.º 1201


A Associação VitóriaSempre quer agradecer mais uma vez toda a disponibilidade demonstrada por Francisco Guise!

Esteja atento porque em breve serão publicadas mais opiniões de Vitorianos…