Soudani revelou o encanto de Coimbra

O Vitória alcançou hoje o seu segundo triunfo no campeonato frente à Académica, num jogo onde apenas na hora da despedida a cidade de Coimbra mostrou todo o seu encanto. Hilal Soudani à passagem do minuto 88 selou um importante triunfo para o Vitória na cidade dos Estudantes.

Ora, a primeira parte dos pupilos de Rui Vitória não augurava um final com tanto encanto. O Vitória entrou pressionante nos primeiros 5 minutos da partida mas a partir daí encontrou bastantes dificuldades para assentar o seu jogo. Apenas através do futebol mais direto a equipa ultrapassava as dificuldades na construção de jogo, estratégia que a par dos últimos jogos voltou a não dar resultado.

Eis que, sem as ocorrências do jogo o fazerem prever, o Vitória conquista uma grande penalidade depois de Flávio Ferreira ter cometido uma infantilidade de todo o tamanho. O jovem central conimbricense domina claramente a bola com o braço esquerdo quando se encontrava totalmente liberto de pressão. Marcelo Toscano, de volta à equipa titular, encarrega-se da marcação da grande penalidade… e permite a defesa de Ricardo. O Vitória desperdiçava a oportunidade de se colocar relativamente cedo em vantagem no marcador e alcançar finalmente alguma estabilidade emocional para gerir o encontro.

A partir daqui o jogo tomou o seu rumo natural portanto: Vitória com dificuldades em sair da sua primeira fase de construção e os caseiros a servirem-se de transições rápidas para crescerem no jogo. Apenas 5 minutos depois do falhanço do camisa 10 vitoriano, o mais temível – mas previsível face ao rumo dos acontecimentos- se sucedeu: Afonso (que já antes quase marcara aproveitando uma perda de bola do 30 do Vitória) desmarca-se nas costas de Addy após passe de cabeça de Edinho (que arrastou consigo Defendi) e faz um cruzamento ao segundo poste onde Marinho, com alguma sorte à mistura, antecipa-se a João Gonçalves e empurra a bola para o fundo das redes de Douglas. Mais uma vez a defesa do Vitória mostrou-se pouco compacta e passiva, concedendo um golo bastante “simples.” Até ao intervalo a toada do encontro não mudou pelo que o recolher aos balneários teria de ser o momento chave para uma remontada à imagem do que a equipa B tinha feito algumas horas mais cedo.

O início do segundo tempo veio trazer um Vitória mais uma vez carente de estudos e longe de praticar um futebol harmonioso à semelhança do fado de Coimbra. Os locais, longe de fazer um jogo brilhante, iam apenas gerindo o jogo e chegando à frente com perigo nomeadamente através de lances de bola parada.

Exigiam-se mudanças na estrutura da equipa sob pena do fado ser o mesmo da semana passada… Rui Vitória lança André para o lugar de J. Gonçalves (ainda não convenceu), recuando Olímpio para a lateral direita. E é a partir deste momento que o Vitória vai assumindo o domínio total do encontro, algo que se acentuou com a entrada de Baldé aos 66 minutos. O Vitória ganhava poder de fogo na frente fazendo uso da estatura do avançado ex-Sporting, aumentando o sucesso do futebol direto da equipa e fazendo companhia a um desamparado – até então – Hilal Soudani.

Menos acertada não poderia ser a substituição operada por Rui Vitória: 2 minutos depois, Soudani do alto da sua condição de herói nacional no seu país de origem aponta o golo do empate correspondendo na perfeição a um cruzamento de David Addy. A maior presença de homens na área do adversário permitiu ao avançado argelino ter finalmente espaço para desta vez, ao contrário do que havia feito na primeira parte, não vacilar e colocar justiça no marcador.

A partir daí viu-se um Vitória mais aberto e estendido no terreno, procurando aumentar a pressão sobre os homens de negro por forma a alcançar o tento dos 3 pontos. Pelo meio disto tudo Douglas ainda faz uma defesa do outro mundo negando o golo a Edinho, que no lance seguinte atira à base lateral do poste da baliza do guardião brasileiro.

Porém, a força de vontade dos Conquistadores da Cidade Berço veio ao de cima nos últimos minutos da partida e na recarga a um remate de N´Diaye, Hilal Soudani vestiu a pele de salvador levando consigo para Guimarães os 3 preciosos pontos. Afinal, Fernando Machado Soares sempre tinha razão: Coimbra tem mais encanto na hora da despedida… Que o digam os corajosos adeptos Vitorianos que nunca se demarcaram no apoio à equipa e festejaram efusivamente os dois remates certeiros do argelino que guiou a equipa Vitoriana para uma posição mais encantadora…

Com 8 pontos em 6 jogos, o Vitória sai do 14º lugar de onde partia à entrada para este encontro  e coloca-se numa confortável 6ª posição. O próximo jogo realiza-se apenas no dia 26 deste mês, após uma paragem prolongada do Campeonato. Nesse dia terá lugar no D. Afonso Henriques o já tradicional duelo de Vitórias.

  Categories: