Sporting-Vitória (Antevisão)

Questão Técnico-Tática

O Vitória, joga este Domingo em Alvalade, ante o Sporting, numa partida em que os Branquinhos em caso de triunfo, ficam a apenas 3 pontos do seu adversário.

Após o triunfo ante o Marítimo, outro dos adversários na luta por um lugar europeu, os Conquistadores, vão à procura de vencer mais uma “batalha”, o que lhe permitirá ficar mais perto de um lugar que dá acesso à Liga Europa.

Comparativamente ao jogo frente aos Insulares, no passado Domingo, não são esperadas alterações no 11, por parte de Rui Vitória, que manterá então a Equipa que deu boa conta de si, no jogo frente ao Marítimo.

Assim o quinteto defensivo, manter-se – à, com Nilson na baliza, Alex (está num belo momento de forma, e com grande capacidade física) e Bruno Teles (tem que ser mais “combativo” nos duelos individuais) nas laterais, e N´Diaye (esteve intransponível, e mostrou que se tiver mais calma, mais frieza, pode ser um central de top) e Defendi (é um central com excelente leitura de jogo, e forte jogo aéreo, e aproveitou muito bem as oportunidades concedidas, mostrando que a sua dispensa, seria mais um erro), no eixo defensivo, dupla que se entendeu muito bem e que não permitiu veleidades aos avançados do Marítimo.

Na zona intermediária, Olímpio continuará na posição 6,onde o brasileiro, veio claramente, dar mais “bravura” e músculo ao meio-campo. Falta agora aprimorar a entrega da bola, se isso acontecer, o brasileiro, fará um resto de temporada, em grande nível, mostrando as qualidades, que levaram o Vitória a contrata-lo.

Também no miolo do terreno, continuará João Alves, que tem feito exibições consistentes, e mostrando que está de “corpo e alma” no Vitória, pois as exibições de um passado recente, são muito melhores que as que o médio transmontano, realizou na 1ª metade da época.

A assumir, a batuta do jogo Vitoriano, estará novamente Nuno Assis, que esteve algo apagado no jogo frente ao Marítimo, e que se espera, que regresse à sua forma habitual, pois se o “mágico”, estiver em dia sim, o jogo ofensivo Vitoriano, ganha outro requinte, outra qualidade, e fica mais perto de vencer uma partida.

Na frente de ataque, Urreta, continuará à direita, mas o uruguaio, tem que se mostrar mais lúcido no passe, e tem que arriscar mais no 1×1, pois a sua capacidade técnica, permite-lhe “aventurar-se” mais nos duelos individuais.

Na esquerda, estará Toscano, que foi mais uma vez precioso no jogo passado. Este Domingo, o brasileiro, terá em 1ª instância, acompanhar as subidas de João Pereira, e depois partir rápido para as transições ofensivas.

Na área, estará Edgol, onde o brasileiro, fará balançar as redes de Rui Patrício, que já não sofre um golo em Alvalade para a Liga há 4 meses.

É fulcral, que o Vitória, entre bem no encontro, fazendo uma boa circulação de bola, e imprimindo velocidade ao jogo (sobretudo no meio-campo ofensivo, e nas alas), pois assim o Sporting, acusará o desgaste do jogo realizado para a Liga Europa, frente ao Manchester City.

Os Branquinhos, tentarão assim, à imagem da época passada, voltar a vencer em Alvalade, onde em 10 minutos diabólicos, passaram de uma desvantagem de 2-0, para um triunfo de 2-3. Espera-se, é que o árbitro da partida, não volte a fazer das suas, 2 anos depois, de um “roubo”, que deixou marcas naquela época.

Numa parte de uma das Bancadas de Alvalade, estarão 500 Vitorianos, que mostrarão mais uma vez, que o Vitória nunca caminhará só.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Adversário

Sistema Tático
O Sporting, agora orientado por Sá Pinto (à sua imagem, a equipa está mais “combativa”), joga num sistema tático assente num 1x4x3x3 (será mais uma vez, a variante tática, apresentada frente ao Vitória, ainda que na 5ª feira passada, tenho jogado num “calculoso” 1x4x1x4x1), sistema que era também utilizado por Domingos Paciência.

A Equipa Leonina, esta a realizar mais uma época, muito irregular, e depois de já nesta Liga, ter estado a apenas 3 pontos da liderança, vê-se agora com o 5º lugar em risco.

Ainda assim, os leões, vem de um triunfo altamente moralizador frente ao City, o que pode ajudar a recuperar índices de confiança, para o que ainda resta da época.

Pontos Fortes
* Subidas de João Pereira, que dão muita profundidade ao lado direito da formação Leonina.
* Qualidade de Elias no meio-campo, pois o brasileiro (ainda que esteja num momento menos bom), marca os ritmos de jogo da equipa do Sporting. Neutralizando o brasileiro, os leões, sentem muitas dificuldades na construção de jogo, ate porque Schaars, está em baixo de forma, e só tem aparecido nas bolas paradas, onde bate com força e colocação.
* Capacidade de desequilíbrios nas alas, onde Izmailov (o russo, é muito dotado tecnicamente, e tem uma excelente meia distância), e Capel (o espanhol é forte no 1×1, e dá muita verticalidade na faixa esquerda do ataque), são jogadores com talento.
* Movimentações de Wolfswinkel, que arrastam os defesas centrais, e abrem espaços numa defesa.

Pontos Fracos
* Debilidade da dupla de centrais, constituída por Xandão e Polga, que é lenta, e dá muitos espaços nas costas.
* Sem Ínsua, no lado esquerdo da defesa, o Sporting fica ainda mais débil no setor defensivo, pois Evaldo comete muitos erros posicionais, e é frágil a defender.
* Os muitos espaços dados no lado direito defensivo, pelas subidas de João Pereira, e que não têm a devida compensação de um outro companheiro.
* Sem Rinaudo na posição 6, o Sporting, perde agressividade na zona central do terreno, pois Carriço é demasiado “permissivo” na luta pela bola, e tem pouca
qualidade de passe, começando assim algo desorganizada a 1ª fase da transição ofensiva.
* Debilidade nas bolas paradas defensivas, onde apenas Xandão é forte no jogo aéreo, e onde o Sporting, neste detalhe, tem sentido muitas dificuldades.

  Categories: