Vasco Ferreira foi terceiro na Penha

Desilusão na Penha, no fecho do Grande Prémio do Minho. Nem o vitoriano Vasco Ferreira (na foto) conseguiu chegar à meta na primeira posição, nem o vimaranense José Mendes, da LA-Rota dos Móveis, conseguiu conservar a camisola amarela, com que partiu para a derradeira etapa.

O grande vencedor do 28º Grande Prémio do Minho foi Ricardo Mestre do Palmeiras-Resort-Prio, que cortou a meta na Cidade Berço no quarto posto, ganhando mais de um minuto aos mais directos perseguidores, João Benta da Madeinox-Boavista e José Mendes da formação de Paredes.

A etapa final, com partida e chegada na Cidade Berço, foi quase toda feita com fugitivos. Desde o arranque, junto ao Estádio D. Afonso Henriques, as equipas apostaram tudo numa fuga, que acabaria por se desfazer aos 12.5 Kms, mas foi já na Póvoa de Lanhoso que um outro grupo de 15 ciclistas – entre eles os vitorianos Vasco Ferreira e Fábio Lopes – fugiu ao pelotão, ganhando desde logo uma vantagem considerável, que chegou a ser de 6.30 minutos.

No início da subida à montanha da Penha, Vasco Ferreira (ASC/Vitória/RTL) , Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista) eHélder Oliveira (Barbot-Siper) deixaram a concorrência para trás, e depois de vários ataques inconsequentes do vitoriano – muito apoiado pelo público ao longo da subida – Sérgio Sousa, já dentro dos últimos 500 metros, arrancou para o triunfo na etapa.

Ricardo Mestre (Palmeiras-Resort-Prio), chegou 20 segundos depois, na 4ª posição, ganhando mais de um minuto a José Mendes e João Benta, o suficiente para festejar a conquista do 28º Grande Prémio do Minho.

Bruno Borges do ASC/Vitória/RTL ganhou ainda o prémio atribuído pela ACM ao melhor atleta classificado, filiado na associação minhota.

O balanço, apesar de não ser totalmente positivo, acaba por ser satisfatório para o Vitória que foi a melhor das equipas de sub-23, ficando igualmente à frente de muitas outras equipas profissionais. Bruno Borges foi o terceiro melhor atleta da categoria mais jovem, arrecadando no geral um 14º lugar.

O VitóriaSempre acompanhou nos últimos três dias, na estrada, o prémio minhoto de ciclismo, que regressou após três anos de interregno. A AVS agradece à Associação de Ciclismo do Minho toda a colaboração.

CLASSIFICAÇÕES
3.ª Etapa: Guimarães – Alto da Penha, 144 km (Média: 41,274 km/h)

1º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), 3h29m20s
2º Hélder Oliveira (Barbot-Siper), a 5s
3º Vasco Pereira (ASC/Vitória/RTL), a 15s
4º Ricardo Mestre (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 20s
5º Nilton Lopes (Aluvia/Valongo), a 31s
6º Ricardo Vilela (Madeinox-Boavista), a 1m02s
7º Celestino Pinho (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), a 1m45s
8º João Benta (Madeinox-Boavista), mt
9º Danail Petrov (Madeinox-Boavista), a 1m52s
10º José Mendes (LA-Paredes Rota dos Móveis), mt
11º Santiago Pérez (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), a 1m56s
12º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), mt
13º Ricardo Poloni (Cartaxo Capital do Vinho), a 2m05s
14º Rui Vinhas (Aluvia/Valongo), a 2m13s
15º Bruno Silva (Aluvia/Valongo), a 2m20s

Geral Individual

1º Ricardo Mestre (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), 10h28m31s
2º João Benta (Madeinox-Boavista), a 1m15s
3º José Mendes (LA-Paredes Rota dos Móveis), a 1m19s
4º Danail Petrov (Madeinox-Boavista), a 1m25s
5º Santiago Pérez (CC Loulé-Louletano-Orbitur-Aquashow), a 1m27s
6º Nelson Vitorino (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 1m33s
7º Rui Vinhas (Aluvia/Valongo), a 1m33s
8º Sérgio Sousa (Madeinox-Boavista), a 1m51s
9º Sérgio Ribeiro (Barbot-Siper), a 1m57s
10º Vergílio Santos (LA-Paredes Rota dos Móveis), a 2m00s
11º André Cardoso (Palmeiras Resort-Prio-Tavira), a 2m25s
12º Nilton Lopes (Aluvia/Valongo), a 2m32s
13º Bruno Silva (Aluvia/Valongo), a 2m47s
14º Bruno Borges (ASC/Vitória/RTL), a 3m19s
15º Hugo Sancho (Mortágua/Basi), a 3m22s

Foto: Rui Jorge/ACM

  Categories: