Vitória – Académica (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

Está 6ª feira, há nova reedição do duelo entre Vitória e os da Terra do Mondego. Será uma partida, onde os branquinhos atacarão o 3º lugar da Liga, que neste momento está na posse do Sporting que conta com mais um ponto que o Vitoria.

No confronto contra os da Terra do Mondego, que estrearão novo treinador, a formação branquinha tentará dar continuidade ao triunfo conquistado no Lis na jornada anterior, e cimentar ainda mais uma posição europeia.
Para o jogo desta 6ª feira, comparativamente ao onze que entrou inicialmente em Leiria, é esperada apenas uma alteração na equipa inicial.

O quarteto defensivo, deve manter-se o mesmo que na última ronda apesar de alguns sustos, conseguiu manter as redes de Nilson invioláveis.

Também na zona intermediária não devem efectuar-se modificações. Apesar de ser visível que Renan ainda não se encontra nas melhores condições físicas, e que também ainda procura adaptar-se ao futebol europeu, é muito provável que o brasileiro, continue como médio mais defensivo da formação Vitoriana. Cléber, até pode regressar ao meio campo, mas não é crível que isso venha a acontecer.

Já no ataque, e com o marroquino Faouzi ausente devido a um surto gripal, o brasileiro Marcelo Toscano deve regressar ao onze 3 jogos depois de não ser opção para o técnico Manuel Machado.

Outra possibilidade, pode ser o facto de Tiago Targino ser titular, ele que tem tido poucas oportunidades para jogar na formação vitoriana.

Será necessário, um Vitória dinâmico, acutilante e a jogar com atitude de conquistador, diante de um adversário que irá jogar seguramente para o “pontinho”.

O Vitória jogará então no habitual 1x4x4x2 losango, apresentando o seguinte onze:

Adversário: Académica

A formação de Terras do Mondego, vai estrear novo Treinador na deslocação que efectuará à Cidade Berço. Ulisses Morais, substitui José Guilherme que em 6 jogos para a Liga ao serviço da formação do Mondego, o melhor que conseguiu foram 2 empates.

Espera-se portanto, um adversário onde os seus jogadores terão uma motivação extra com a entrada do novo técnico.
Fora de portas, em 9 partidas, o adversário desta 6ªfeira conseguiu 2 triunfos, nos casos na Luz e em Setúbal.
No Estádio do Rei, a equipa agora orientada por Ulisses Morais apostará certamente no contra ataque como forma de tentar surpreender o Vitória.
Os da Terra do Mondego, devem jogar com dois blocos baixos defendendo com muitos homens atrás da linha da bola, apostando na velocidade do senegalês Sougou e no poder de desmarcação de Miguel Fidalgo.
A nível defensivo, o esteio da equipa do Mondego é guarda-redes francês Peiser, ele que ainda há um mês atrás fez uma exibição portentosa no D.Afonso Henriques.

Na direita, jogará Pedrinho um lateral raçudo e que apoia bem o ataque. No eixo da defesa jogarão o possante Luís Nunes e o “duro” Berger. Na esquerda, e não podendo contar com Hélder Cabral que está castigado, o ganês Addy (muito faltoso e “ingénuo”) será o substituto.

No meio campo, como médio defensivo deve jogar o corpulento Pape Sow. Como médios interiores, jogarão Adrien que pauta o jogo na zona intermediária, e o canhoto experiente Hugo Morais.

Na frente de ataque, pela direita jogará o velocista Sougou, e pela faixa esquerda o tecnicista Diogo Valente. A referência de área será o português Miguel Fidalgo, um avançado muito móvel e bastante oportuno.
O Vitória, já sabe que uma alteração no comando técnico da equipa adversária, mexe sempre com a atitude do adversário. Existe o exemplo do jogo contra a Naval.

Será portanto, necessário que os branquinhos joguem nos limites, e que corram e lutem mais que o opositor.
Com o apoio das gentes vitorianas, o triunfo ficará mais fácil de conquistar. Todos ao Estádio do Rei apoiar os branquinhos.

Força Vitória e Vitória Sempre!