Vitória – Braga (Antevisão)

Antevisão

O Clássico é já esta 6ªfeira, e o Vitória vai à Conquista dos 3 pontos.

Frente ao eterno rival, os Branquinhos pretendem dar continuidade ao triunfo alcançado em Moreira de Cónegos, e dar mais um salto na tabela classificativa.

No Jogo que ninguém gosta de perder, o Vitória vai tentar dar mais uma alegria aos Vitorianos, que vão deslocar-se em massa ao Estádio do Rei, ajudando a sua Equipa a sair co os 3 pontos do Clássico.

Nos 53 desafios já disputados na Cidade-Berço, os Conquistadores venceram por 35 vezes, registaram-se 13 empates, e o vizinho logrou por 5 vezes o triunfo na deslocação a Guimarães, o que mostra claramente que em Guimarães manda o Conquistador.

A arbitragem essa, estará a cargo de Paulo Baptista de Portalegre, de quem se espera uma arbitragem isenta, é que nas duas últimas épocas, o adversário desta 6ª feira, foi beneficiado (há 2 anos com um golo 3 metros fora de jogo, e o ano passado com um livre inexistente que resultou no golo do empate já perto do final da partida).

Nas Bancadas, espera-se muita emoção, e muito apoio dos Vitorianos, que mais uma vez serão o 12º Jogador, e mostrarão que o amor pelo Vitória é desde sempre, e não apenas há meia dúzia de anos como outro Clube bem próximo, que a nível de apoio deverá contar com 250 adeptos (ainda assim bem mais que há uma década, onde apenas vinha o Adepto do “Bombo”, o respetivo filho, e um Táxi com mais 4 a 5 simpatizantes).

E oh Vitória vamos a eles!

Questão Técnico -Tática

Para o Clássico, e em comparação ao derby frente ao Moreirense, Rui Vitória deve apenas fazer uma alteração no 11 inicial, apostando num meio-campo mais ofensivo e tecnicista, do que “musculado”, como aconteceu na 1ª metade da última ronda.

Assim na baliza, Douglas (precisa melhorar o jogo com os pés, pois não se podem continuar a falhar tantos passes nesse detalhe) continuará na Baliza Vitoriana.

Depois no quarteto defensivo, João Gonçalves (fez uma partida consistente em Moreira de Cónegos, defendendo bem, faltou apoiar mais o ataque, situação que pode e deve melhorar esta 6ª feira) vai continuar no lado direito da defesa, continuando Alex no banco de suplentes.

No eixo da defesa, a dupla N´Diaye – Defendi, continuará a formar parelha, que na última jornada, esteve a um excelente nível, mostrando coesão, consistência e boa sincronização.

No lado canhoto, David Addy (mostrou já boa condição física, e a nível defensivo e ofensivo esteve em grande plano, o golo do triunfo mostrou velocidade, raça, e o acreditar até à ultima instância) vai jogar novamente na esquerda, onde seria importante que mantivesse a mesma consistência.

Na zona intermediaria, e na posição 6, El Adoua (fez uma 2ª parte de grande categoria frente ao Moreirense, recuperando muitas bolas, e o passe de ruptura para o golo de Addy é “delicioso”) mantem-se de pedra e cal, e é fulcral que faça uma marcação intensa a Rúben Micael.

Já André André, é provável que regresse à posição 8, depois de ter jogado na 1ª parte da última partida na posição 10. É importante que André consiga melhorar o capítulo do passe, pois assim o Vitória chegará com mais qualidade à zona do ataque.
A assumir a condução do jogo Vitoriano, deve estar o jovem Tiago Rodrigues (entrou bem na partida, trazendo imaginação ao jogo ofensivo da Equipa, não tendo receio de ter bola, tentando também a meia distância, pois tem um remate potente), que está a fazer por merecer uma oportunidade para entrar no 11, ainda que seja uma Partida, onde o Tiago Rodrigues, possa “acusar” algum nervosismo, o que é perfeitamente natural numa partida destas.
Outra possibilidade, ainda que pouco crível, passa pela inclusão de Marcelo Toscano (vem de uma lesão e está sem ritmo competitivo) como número 10, fazendo várias vezes trocas com João Ribeiro no lado esquerdo do ataque.
Na frente de ataque, Ricardo (tem estado um pouco “desajeitado” no 1×1, mas quando conseguir ultrapassar logo nos minutos iniciais o lateral contrário, vai ganhar muita confiança, e fazer ainda melhores exibições) jogará na faixa direita, onde a sua velocidade e técnica pode desequilibrar a partida.

À esquerda, estará João Ribeiro, que tem mostrado “garra” e espirito de Equipa. O extremo criou desequilíbrios no último jogo, e está 6ª feira, tem que apostar nos duelos individuais com Salino, não podendo também permitir que o brasileiro suba muito no terreno.

Na área Soudani (a sua velocidade e poder de desmarcação podem ser uma das “chaves” da partida, pois os defesas contrários são lentos e “duros de rins”), será a referência, e que bom seria se fizesse golos que dessem o triunfo aos Branquinhos.

Nestas partidas, é preciso um Vitória “humilde”, trabalhador, que defenda bem, troque bem a bola e saia com qualidade para o ataque (deve apostar na profundidade nos corredores, e em passes longos, mas rasteiros para as costas da defesa adversária), onde as oportunidades de golo, não podem ser desperdiçadas.

Força Vitória e Vitória Sempre!

Sistema Tático
A nível tático, o Técnico José Peseiro, vai colocar a sua Equipa a jogar no Estádio do Rei num 1x4x3x3, com um triângulo de qualidade a meio-campo, ainda que Rúben Amorim (jogador de equilíbrio, e não tão ofensivo como Alan), faça com que a sua Equipa jogue em alguns momentos da partida num 1x4x4x2.

Na frente estarão, Hélder Barbosa (outra possibilidade passa pela aposta em Mossóro no lado esquerdo do ataque) e Éder, vão continuar no ataque.

Está época, o adversário tenta jogar com um bloco defensivo subido (tem cometido inúmeros erros, era excelente que assim continua-se), e gosta de ter muito tempo a bola em sua posse, ao contrário das últimas épocas, onde tentava defender muito bem, e depois sair rápido para as transições ofensivas, detalhe que era explorado com muita astúcia.

Falta agora saber, se esta 6ª feira, será um adversário a jogar nas transições, ou uma Equipa a ter grande percentagem da posse de bola, e a jogar em ataque continuado, como tem procurado incrementar neste início de época.

O seu Treinador, diz que a sua Equipa assumirá as despesas de Jogo, o que se verá “verdadeiramente” no terreno de Jogo.

Pontos Fortes
* Na defesa, Douglão e Paulo Vinícius, são muito fortes no jogo aéreo (o passe pelo ar deve ser evitado, e deve ser utilizado o passe rasteiro a pedir desmarcação). Á direita, Salino sobe muito no terreno, tentando desequilibrar pelo seu corredor.
* Na zona intermediária, Custódio equilibra a Equipa, Hugo Viana (forte no passe longo e na meia distância, mas que parece passar por um período menos bom) e Rúben Micael (grande visão de jogo), pauta com qualidade o jogo ofensivo.
* Na frente de ataque, Hélder Barbosa (é rápido, com boa capacidade técnica e com boa capacidade no cruzamento, pois cruza de forma muito tensa) e Éder (possante, de passada larga, e que joga muito no limite do fora de jogo), podem causar problemas à defesa do Vitória.
* Nas bolas paradas ofensivas, é necessária muita atenção a Douglão (aparece muito na zona do penalty), Paulo Vinícius (está quase sempre nas costas do Custódio), Custódio (surge ao 1º poste, junto à zona do guarda-redes, seja um canto na esquerda ou na direita,) e Éder (ataca logo o 1ºposte, seja um canto à direita ou à esquerda), são fortes no jogo aéreo, e atacam com muita convicção a bola.
* No Banco, há jogadores de qualidade como Mossóro (pode trazer virtuosismo, irreverência e mobilidade no espaço entre-linhas), Alan (já sem velocidade, mas ainda forte nas diagonais curtas) e Michel (“explosivo” e forte nos duelos individuais).

Pontos Fracos
* Douglão e Paulo Vinícius, tem muitas dificuldades na velocidade, e a nível de sentido posicional, tem também debilidades (o Vitória tem que apostar em passes em profundidade para o Soudani). À esquerda, Elderson, dá muitos espaços nas costas, fecha mal a zona central (Ricardo como já foi dito, pode claramente desequilibrar neste corredor).
* As subidas de Salino, causam problemas a nível defensivo, pois a defesa adversária, tem dificuldade em fazer a basculação, abrindo assim brechas na zona defensiva.
* Se o meio-campo do Vitória, pressionar bem Hugo Viana, e acertar na marcação de Rúben Micael (não o deixando ter a bola), vai fazer com que o adversário, não tenha o controlo das operações a meio-campo, e não consiga impor o seu estilo de jogo.
* Nas bolas paradas defensivas, o adversário defende à zona, e tem dificuldade na marcação e no atacar a bola ao 1º poste (é importante que o N´Diaye ataque bem a bola nesta zona, podendo também abrir espaços para o Defendi, Adoua e Soudani na zona do penalty e 2º poste).
* Se o adversário sofrer um golo primeiro, a nível defensivo, vai dar ainda mais espaços a nível defensivo, e o Vitória deve explorar sempre as suas costas (mais entre a zona central e o lado esquerdo), pois vão surgir ainda mais espaços, e mais oportunidades de fazer o golo.

  Categories: