Vitória – Braga (Antevisão)

Questão Técnico – Tática

É no Estádio do Rei, que esta 2ª feira se joga mais um derby de todas as emoções no Minho.

Com um ambiente, que se espera de grande fervor, e de amor ao Vitória, os branquinhos medem forças com os de “lá da Morreira”.

Após o “roubo de catedral”, que foi alvo na jornada passada, que o impediu de conquistar mais um bom resultado, a turma Vitoriana, pretende regressar aos triunfos ante o rival, proporcionando assim uma grande alegria à sua massa associativa.

Em relação ao jogo da jornada passada, onde os Conquistadores, lutaram com todas as forças contra 15 elementos adversários, espera-se novamente um Vitória a pressionar alto, tentando jogar a toda a largura do relvado, à imagem do que vem acontecendo desde a entrada de Rui Vitória no comando técnico.

A nível tático, não é de prever alterações na equipa (o 1x4x2x3x1, deve continuar a ser o modelo tático).

Ainda assim, devem registar-se 3 alterações no onze inicial.
Na zona central do miolo do terreno, João Alves (muita experiencia nestes jogos), deve entrar para o lugar de Olímpio.
Já Nuno Assis, (entrou muito bem, impulsionando a equipa), e que também conta com muitos derbys na sua carreira, pode com a sua experiência e categoria, assumir a batuta do jogo Vitoriano. Assim sendo, o jovem uruguaio Barrientos, (ainda inexperiente em jogos deste tipo, carregados de grande emoção, e o facto de a partir dos 60 minutos, começar a perder fulgor físico), pode fazer com que comece a partida no banco de suplentes.
Por último, o Uruguaio Urreta, deve entrar para o lugar de Faouzi, ganhando a frente de ataque, mais repentismo e objetividade.

É importante, que Toscano, Urreta, ou Faouzi possam fazer mais trocas nas faixas, causando com isso, possíveis desorganizações defensivas nos adversários.

No último jogo, por exemplo, Toscano jogou sempre na esquerda, e pouco conseguiu desequilibrar, nesse contexto, quando é assim, o melhor é passar para a outra faixa, tentando que o jogo lhe possa permitir subir de rendimento.

Frente aos “de lá da Morreira”, os branquinhos, com muita garra e querer, e fazendo um jogo inteligente, com boa circulação de bola, e dando profundidade nas faixas (o adversário é débil nas laterais), ficarão muito mais perto do êxito.

Como sempre, o forte apoio nas bancadas de todos os Vitorianos, é fulcral, pois assim os nossos jogadores ganharão ainda mais força.

E o Vitória vamos a eles!

Adversário

O conjunto adversário, tem feito um bom início de época, contando com 3 triunfos e 1 empate, tendo apenas sofrido 1 golo na presente Liga.

A equipa treinada pelo jovem madeirense Leonardo Jardim, tem jogado num sistema tático assente num 1x4x2x3x1, que por vezes passa ao 1x4x4x2 (com Nuno Gomes junto a Lima na frente de ataque).

A nível defensivo, apesar de o sector ter sido bastante remodelado em comparação ao da época passada, a solidez e consistência, tem sido eficaz neste início de temporada. O experiente Quim (quando um resultado favorece a sua equipa, irrita demasiado o público adversário, ao fazer um nítido anti-jogo), é dono da baliza do clube da Cidade dos Arcebispos.

No restante da defesa, Baiano joga na direita (é rápido, ataca bem, mas a nível defensivo, dá espaços ao seu opositor direto).

Como centrais jogam os brasileiros Paulo Vinícius (defesa forte na marcação, e no jogo aéreo), e Ewerton (defesa jovem, com bom sentido posicional, mas com pouca velocidade).

Na esquerda, joga o Nigeriano Elderson (lateral que sobe bem no corredor, mas com muitas carências a nível defensivo, dando bastantes espaços nas costas).

Na zona intermediária, em frente à defesa, joga o Líbio Djamal (muito possante, recupera muitas bolas).

A seu lado, joga Hugo Viana (o canhoto com a sua visão de jogo, é o jogador que começa a fazer a transição para o ataque).

A assumir as funções de médio organizador, ou estará o brasileiro Mossóro (tecnicista e irreverente), ou Nuno Gomes (sente-se bem a jogar nas costas do avançado, e apesar dos 35 anos, é um jogador ainda móvel, que “arrasta” os defesas e que sabe fazer golos).

Na frente de ataque, muita atenção às diagonais de Alan, (tenta sempre os movimentos interiores). Na esquerda, estará Hélder Barbosa (fantástico início de época, deste canhoto de drible curto, e que chuta bem de meia distância).

A referência na área será Lima (avançado móvel, e que remate sempre que pode à baliza adversária, tentado fazer uso do seu forte remate com ambos os pés).

De Pedro Proença, espera-se a isenção, que um árbitro deve ter numa partida. Que seja um jogo sem muitos casos, e que no final o triunfo sorria ao Vitória.

Força Vitória e Vitória Sempre!

  Categories: