Vitória do querer…

avszinhaaaa

Na segunda metade, os “canarinhos” carregaram no acelerador, mas o Vitória soube com mestria a tapar todos os caminhos para a sua baliza… e quando tal não sucedia, Douglas demonstrava estar de volta à sublime forma que o notabilizou ou a estrelinha da sorte, que tantas vezes andou arredia das cores brancas, não virava as costas à equipa d’El Rei. E, como cereja no topo do bolo, o Vitória seria frio, cínico como um psicopata em busca da vítima… grande passe de André, Maazou a fintar Vágner e a dar o golo a Marco Matias que não desperdiçaria, confirmando-se como o melhor marcador da equipa.

O Vitória confirmava um saboroso triunfo e reforçava a candidatura para o regresso europeu ao vencer no terreno de um rival directo. Não era Marco Silva o sonho de muitos vitorianos e o futebol estilista o sonho mais ousado de alguns vitorianos? Depois de hoje,isso será certamente passado ou pura má fé…

O Vitória venceu, esta noite, o Estoril por duas bolas a zero num jogo em que a abnegação e a vontade dos Conquistadores ditou a diferença- Apresentando cinco jogadores da cantera -João Amorim, Luís Rocha, Tiago Rodrigues, Paulo Oliveira e Tomané -os branquinhas foram uma equipa rigorosa que nem o susto inicial provocado pelo bulicioso Luís Leal atemorizou.

E se deste susto a equipa sobreviver, também sobreviveria à lesão de Abdoullaye que teve de ser substituído por Freire que demonstrou que as notícias acerca da sua “morte” (ainda que futebolística) eram manifestamente exageradas, arrancando uma exibição segura.